Dídimo, o Cego

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
São Dídimo, o Cego
Ícone copta de São Dídimo
Líder da Escola Catequética de Alexandria
Nascimento ca. 313 dC em Egito
Morte ca. 398 dC em Alexandria?
Veneração por Igreja Ortodoxa
Gloriole.svg Portal dos Santos

Dídimo, o Cego (ca. 313 dC - ca. 398 dC) foi um teólogo da Igreja Copta de Alexandria, cuja famosa Escola catequética ele dirigiu por meio século.

Diversas Igrejas Ortodoxas se referem a ele como "São Dídimo, o Cego".[1]

História[editar | editar código-fonte]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Ele se tornou um cego em tenra idade e, portanto, lhe faltavam os rudimentos do aprendizado. Ainda assim, ele demonstrou uma inteligência milagrosa ao aprender com perfeição a dialética e até mesmo geometria, um ramo que necessita particularmente da visão.[2]

Embora ele tenha ficado cego com a idade de quatro anos[3] antes de ter aprendido a ler, ele conseguiu aprender toda a gama de ciências disponível para os estudiosos da época. Ele foi também um leal estudante de Orígenes e um opositor feroz do arianismo e de Macedônio.

Escola Catequética de Alexandria[editar | editar código-fonte]

Ao entrar para o serviço para a Igreja, ele foi colocado como líder da Escola Catequética de Alexandria, onde ele vivia e trabalhava. De acordo com Paládio,[4] o bispo e historiador do século V d.C., Dídimo continuou leigo toda sua vida e se tornou um dos mais cultos ascetas de seu tempo. Ele contava entre seus discípulos Jerônimo (que dedicou-lhe um verbete em sua De Viris Illustribus) e Tirânio Rufino.

Como Orígenes, Dídimo pregava a salvação universal, escrevendo que "na liberação de todos, ninguém permanece cativo" e, acreditando que o castigo divino tem natureza corretiva e educativa.[5] Jerônimo, que se referia à Dídimo não como "cego" mas como "vidente"[3] , escreveu que ele "ultrapassava todos de seu tempo em conhecimento das escrituras" e Sócrates Escolástico[6] depois chamou-o de "o grande bastião da verdadeira fé".[5] Dídimo era visto como um professor cristão ortodoxo e era muito admirado e respeitado até o fatídico ano de 553 dC, pelo menos.[7]

Segundo Concílio de Constantinopla[editar | editar código-fonte]

Em 553 dC, o Segundo Concílio de Constantinopla condenou suas obras, mas não ele. No Terceiro Concílio de Constantinopla (680 dC), Dídimo foi novamente ligado à Orígenes e acabou condenado com ele. Porém, a doutrina de Orígenes e de Dídimo que se entendia ser a mais herética não era o universalismo, nem a sua confiança no não cânonico Evangelho dos Hebreus e nem também sua crença de que Mateus e Levi[8] seriam duas pessoas diferentes (ao contrário de Lucas 5:27, mas sim a sua fé na "abominável doutrina da transmigração das almas".[5]

Obras[editar | editar código-fonte]

Dídimo escreveu muitas obras: comentários sobre todos os Salmos, sobre os evangelhos de Mateus e João, uma obra "Contra os Arianos" e "Sobre o Espírito Santo", que Jerônimo traduziu para o latim. Ele também escreveu sobre Isaías, Oséas, Zacarias, Jó e sobre muitos outros assuntos[2] .

Como resultado de sua condenação em Constantinopla, muitas de suas obras acabaram não sendo copiadas durante a Idade Média e se perderam. Porém, um grupo de códices de papiros dos séculos VI e VII dC foram descobertos em 1941 perto de Toura, no Egito (ao sul da cidade do Cairo) incluem seus comentários sobre Jó, Zacarias, Gênesis e - de autoria incerta - Eclesiastes e dos Salmos 20 até 46.[9]

Referências

  1. St. Nikolai of Zica. Prologue of Ohrid (em inglês).
  2. a b Wikisource-logo.svg "De Viris Illustribus - Didymus the Blind", em inglês.
  3. a b Wikisource-logo.svg "Didymus the Blind" na edição de 1913 da Catholic Encyclopedia (em inglês)., uma publicação agora em domínio público.
  4. Dídimo, o Cego (em inglês) Encyclopædia Britannica. Página visitada em 01/12/2010.
  5. a b c Mercy Aiken. Dídimo, o Cego (em inglês) TentMaker.org. Página visitada em 01/12/2010.
  6. Sócrates Escolástico. História Eclesiástica: Of Didymus the Blind Man. (em inglês). [S.l.: s.n.]. Capítulo: 25. , vol. IV.
  7. Layton, Richard A.. Didymus the Blind and his circle in late-antique Alexandria (em inglês). [S.l.]: University of Illinois Press, 2004. ISBN 0252028813
  8. Klijn, Albertus Frederik Johannes. Jewish-Christian Gospel tradition: Dydimus (em inglês). [S.l.: s.n.]. 8 pp.
  9. Oxford Dictionary of the Christian Church. edition 2: Didymus the Blind (em inglês). [S.l.: s.n.]. 402 pp.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]