D.F.C.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de DFC)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde abril de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
D.F.C.
Informação geral
Origem Brasília, DF
País  Brasil
Gênero(s) Hardcore punk
Crossover thrash
Período em atividade 1993 - atualmente
Gravadora(s) 53HC
Página oficial Página Oficial
Integrantes Túlio
Miguel
Leonardo
Fabrício
Ex-integrantes Ralph
Therje
Luciano Tododoido
Renzo
Havoc
Phú
Jão

Distrito Federal Caos (mais conhecida como D.F.C.) é uma banda brasileira de hardcore punk e crossover thrash formada em Brasília no ano de 1993.[1] A banda é conhecida pela suas letras de forte orientação política e pelo seu sarcasmo irreverente. A banda continua na ativa, ininterruptamente até hoje e tem uma forte legião de fãs, tendo seu status de cult hoje em dia.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Distrito Federal Caos foi formado em 1993 com a junção de três bandas locais (DFTA, Swankers e o antigo D.F.C. que já era ex-DFChaos). O objetivo era, tocar o hardcore com consciência, protesto, atitude e diversão influenciados por bandas como D.R.I., Attitude Adjustment, Varukers, Cryptic Slaughter, Dead Kennedys, Agnostic Front, Discharge, Ratos de Porão, Lobotomia, Extreme Noise Terror, Suicidal Tendencies, Napalm Death entre várias outras. Nos primeiros ensaios era a seguinte formação: Túlio no vocal, Ralph e Miguel nas Guitarras, Phú no baixo e Renzo na bateria. Com essa formação, foi gravado uma demo tape com 6 músicas chamada "Erramos ao mesmo tempo agora" em 20 minutos, aproveitando o tempo de sobra da gravação de uma banda de uns amigos que faziam covers do Iron Maiden. Com apenas 4 ou 5 meses de banda, gravam o disco Tchan Nan Nan Nan Nan em duas sessões no estúdio Zen com Guilherme Bonolo em Brasília sendo lançado em LP e CD pela gravadora Eldorado em 1994 que, devido a grande agressividade das letras para a época, censurou alguns nomes de músicas, não colocou letras no encarte e estampou o selo de "letras explícitas" na capa do disco. Esse disco gerou uma forte polêmica por causa das músicas Mulheres I, II & III.

Após o lançamento do álbum, o guitarrista Ralph deixa a banda e começou a tocar na banda Os Cabelo Duro, sendo então substituído por Therje que já havia tocado com o Renzo em sua antiga banda DFTA. Hoje em dia, Therje toca na banda Detegente C.O. e no Satan's Pray.

O guitarrista Miguel mudou-se para o Rio de Janeiro apesar de não sair da banda e para a outra guitarra é chamado Luciano Tododoido Torres que era roadie da banda na época e havia tocado na banda BSB-H e no Swankers, antiga banda do Tulio e do Miguel. Nessa época o disco "Tchan nan nan nan nan" foi lançado em Portugal pelo selo Fast'n'loud, que também lançou-os em algumas coletâneas. Therje sai da banda para ser jogador profissional de futsal (na posição de goleiro) ficando apenas Luciano, após isso gravam o CD "Igreja Quadrangular do Triângulo Redondo" em 1995, novamente com o produtor e amigo da banda, Guilherme Bonolo no estúdio Zen, sendo mixado por Tom Capone (já falecido) no A.R. Studio no Rio de Janeiro. O disco saiu em 1996 e ainda nessa época, a banda também participa de algumas coletêneas lançadas pelo selo Sonya Music que pertencia ao ex-integrante Phú e Tulio e lança o CD "Igreja...". Fazem vários shows no Nordeste, onde poderão tocar em eventos como o festival Abril pro Rock em Recife, e Sudeste onde visitamos varias cidades do interior de São Paulo. Então o integrante Miguel volta para Brasília, mas Luciano começa a trabalhar de roadie com os Raimundos, então entra em seu lugar o Rogério Havoc, famoso na época pelos seus inúmeros acidentes de carro, mas Luciano aparecia de vez em quando para tocar, então a banda chega a ter três guitarristas, até que o Havoc e o Luciano decidem sair definitivamente da banda, então são testados alguns guitarristas e escolhem Léo, que tocava guitarra numa banda chamada Untruth.

Com esta formação foi gravado o CD "Sob o Signo de Satã" no ano de 1999 pela gravadora de heavy metal mineira Cogumelo Records e também o álbum ao vivo, "Farofa Kind" pela Silvia Music, disco ao vivo gravado por Rodrigo Castanho em dois shows no Teatro Garagem em Brasília no ano anterior. No meio da gravação do "Sob o Signo..." o baixista Phu sai da banda (hoje ele toca no Macakongs 2099) e o guitarrista Léo passa a tocar baixo e a banda fica apenas com um guitarrista.

Anos 2000 e atualmente[editar | editar código-fonte]

A partir desse momento a banda faz mais uma turne no Nordeste em Janeiro de 2000 e participa de várias coletâneas lançadas no Brasil, como o CD "Tributo ao Olho Seco" pela Red Star Recs e "Apocalipse 2000" pela Tamborete Entertainment, e de coletâneas em vários outros países como o CD "Extra! Break the Speed Limit" pelo selo japonês Trash Ahoy!. Com algumas gravações que sobraram da época (11 sons), a banda pretendia lançar um EP 7" intitulado "O Massacre da Guitarra Eletrica" por uma gravadora que fazia tais EP. Como o projeto com a gravadora para lançar o 7" não foi adiante, a banda lança apenas em CD pela Silvia Music. O EP saiu em outubro de 2002 com algumas músicas a mais e portanto sendo promovido de EP a Maxi-CD.

Em 2002 a banda acerta com o selo mineiro 53HC para a gravação de um novo CD "O Mal Que Vem Para Pior" com 21 faixas inéditas, gravadas no Orbis Estúdio em Brasília sendo lançado apenas em lançado em março de 2005.

Ainda em 2003 foi lançado no Japão um split 7" com a banda Fido's Brunch, contendo cinco canções inéditas também gravadas no Orbis Estúdio, entre elas o um cover do Iron Maiden com letra em português chamado "Esses Ratos".

No ano de 2004 uma sociedade entre selo argentino Azucar Lies e do selo peruano Contraorden lançou outro split 7" em vinil com a banda peruana Anfo contendo 7 canções inéditas.

Já em 2005, com o CD (gravado em 2003) finalmente lançado pela 53HC, a banda partcipa de alguns lançamentos no exterior, entre eles um cassete comemorativo na Republica Tcheca pela (Ragedis Recs) "The Ten Year Plan Tape 1993-2003" contendo um "the best of" dos primeiros 10 anos da banda e também um Split CD com a banda portuguesa MAD lançado em Portugal pelo selo Anti-Corpos contendo, entre várias outras músicas inéditas e não inéditas, todo o material que até o momento só havia sido lançado em vinil.

Recentemente a banda fez alguns shows pelo sudeste com o novo integrante João, substituindo o baterista Renzo que hoje mora na cidade do Rio de Janeiro e toca na banda Gangrena Gasosa.Mas hoje quem está no controle das baquetas do D.F.C. é Fabrício. Também foi lançado um video clip para a música Mentira de Eleição feito pela Pepa Filmes, famosa produtora de filmes trash do Rio de Janeiro.

Em 2007 o D.F.C. lança um Spli CD com a banda paulista Presto? intitulado Inferno na Terra, onde cada banda tem 15 músicas e faz uma turnê na Europa tocando em 18 paises.

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Formação atual[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Splits[editar | editar código-fonte]

  • Fido's Brunch/D.F.C (2003) - Japão
  • Anfo/D.F.C (2005) - Peru
  • M.A.D/D.F.C (2005) - Portugal
  • Presto?/D.F.C (2007) - Brasil

Coletâneas[editar | editar código-fonte]

  • Chute na Oreia (1995) - Portugal
  • Play it Loud (1995) - Portugal
  • Banana 2 (1997) - Brasil
  • Nervoso á a Mãe (1998) - Brasil
  • Traidô: 20 bandas tocando Ratos de Porão (1998)- Brasil
  • Tributo ao Olho Seco (1999) - Brasil / Alemanha
  • Mutante Vol.1 (2000) - Colômbia
  • Thrash Ahoy Extra! Break the Speed Limit!!! (2001) - Japão
  • Apocalipse 2000 (2001) - Brasil
  • Cerrado All Stars (2001) - Brasil
  • Thrash Thrash Thrash (2001) - EUA
  • Tributo Ação Direta (2002) - Brasil
  • Dream of a World Without... (2002) - Rep. Tcheca
  • V/A-Losing your way Vol.4 (2002) - Japão
  • 20 Anos de Podridão: Tributo aos Garotos Podres (2003) - Brasil
  • V/A -Punk is Everywere Pt.2 (2003) - Alemanha
  • Más Victimas Inocentes (2003) - Peru
  • RR Sampler Vol.2 (2004) - Filipinas
  • Un Segundo de Olvido (2004) - Argentina
  • Something Must Be Done (2005) - Rússia
  • Cheap Ass Music - Volume 1 (2006) - EUA

Tapes/Demos[editar | editar código-fonte]

  • Erramos tudo ao mesmo tempo agora (1993)
  • The Ten Year Plan Tape: 1993-2003 (2005) - Rep. Tcheca
  • O Mal que Vem para Pior + 7 songs (2007) - Rep. Tcheca

Referências

  1. Deise Santos. Entrevista DFC.
  2. Alessandro Ferrony. [http://www.punknet.com.br/entrevistas/mostra_entrevistas.php?id_entrevistas=180 DFC Hardcore satânico].

Ligações externas[editar | editar código-fonte]