Dynamic Host Configuration Protocol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de DHCP)
Ir para: navegação, pesquisa
DHCP Server.png
Protocolos Internet (TCP/IP)
Camada Protocolo
5.Aplicação HTTP, SMTP, FTP, SSH, Telnet, SIP, RDP, IRC, SNMP, NNTP, POP3, IMAP, BitTorrent, DNS, Ping ...
4.Transporte TCP, UDP, RTP, SCTP, DCCP ...
3.Rede IP (IPv4, IPv6) , ARP, RARP, ICMP, IPsec ...
2.Enlace Ethernet, 802.11 (WiFi), 802.1Q (VLAN), 802.1aq (SPB), 802.11g, HDLC, Token ring, FDDI, PPP,Switch ,Frame relay,
1.Física Modem, RDIS, RS-232, EIA-422, RS-449, Bluetooth, USB, ...

O DHCP, Dynamic Host Configuration Protocol (Protocolo de configuração dinâmica de host), é um protocolo de serviço TCP/IP que oferece configuração dinâmica de terminais, com concessão de endereços IP de host, Máscara de sub-rede, Default Gateway (Gateway Padrão), Número IP de um ou mais servidores DNS, Número IP de um ou mais servidores WINS e Sufixos de pesquisa do DNS. Este protocolo é o sucessor do BOOTP que, embora mais simples, tornou-se limitado para as exigências atuais. O DHCP surgiu como padrão em Outubro de 1993. O RFC 2131 contém as especificações mais atuais (março de 1997). O último standard para a especificação do DHCP sobre IPv6 (DHCPv6) foi publicado a Julho de 2003 como RFC 3315.

Funcionamento Básico[editar | editar código-fonte]

Resumidamente, o DHCP opera da seguinte forma:

  • Um cliente envia um pacote UDP em broadcast (destinado a todas as máquinas) com uma requisição DHCP (para a porta 67);
  • Os servidores DHCP que capturarem este pacote irão responder (se o cliente se enquadrar numa série de critérios — ver abaixo) para a porta 68 do Host solicitante com um pacote com configurações onde constará, pelo menos, um endereço IP, uma máscara de rede e outros dados opcionais, como o gateway, servidores de DNS, etc...

O DHCP usa um modelo cliente-servidor, no qual o servidor DHCP mantém o gerenciamento centralizado dos endereços IP usados na rede.

Termos Utilizados no DHCP[editar | editar código-fonte]

Servidor DHCP: É um servidor onde foi instalado e configurado o serviço DHCP. Após a instalação de um servidor DHCP ele tem que ser autorizado no Active Directory, antes que ele possa, efetivamente, atender a requisições de clientes. O procedimento de autorização no Active Directory é uma medida de segurança, para evitar que servidores DHCP sejam introduzidos na rede sem o conhecimento do administrador. O servidor DHCP não pode ser instalado em um computador com o Windows 2000 Professional, Windows XP Professional ou Windows Vista. Além do Windows Server, o serviço de DHCP também pode ser instalado nas distribuições LINUX, como o serviço DHCP3 Server, que já vem na maioria das distribuições LINUX de rede.

Cliente DHCP: É qualquer dispositivo de rede capaz de obter as configurações do TCP/IP a partir de um servidor DHCP. Por exemplo, uma estação de trabalho com o Windows 95/98/Me, Windows NT Workstation 4.0, Windows 2000 Professional, Windows XP, Windows Vista, uma estação com qualquer distribuição LINUX, uma impressora com placa de rede habilitada ao DHCP e assim por diante.

Escopo: Um escopo é o intervalo consecutivo completo dos endereços IP possíveis para uma rede (por exemplo, a faixa de 10.10.10.100 a 10.10.10.150, na rede 10.10.10.0/255.255.255.0). Em geral, os escopos definem uma única sub-rede física, na rede na qual serão oferecidos serviços DHCP. Os escopos também fornecem o método principal para que o servidor gerencie a distribuição e atribuição de endereços IP e outros parâmetros de configuração para clientes na rede, tais como o Default Gateway, Servidor DNS e assim por diante..

Superescopo: Um superescopo é um agrupamento administrativo de escopos que pode ser usado para oferecer suporte a várias sub-redes IP lógicas na mesma sub-rede física. Os superescopos contêm somente uma lista de escopos associados ou escopos filho que podem ser ativados em cojunto. Os superescopos não são usados para configurar outros detalhes sobre o uso de escopo. Para configurar a maioria das propriedades usadas em um superescopo, você precisa configurar propriedades de cada escopo associado, individualmente. Por exemplo, se todos os computadores devem receber o mesmo número IP de Default Gateway, este número tem que ser configurado em cada escopo, individualmente. Não tem como fazer esta configuração no Superescopo e todos os escopos (que compõem o Superescopo), herdarem estas configurações.

Intervalo de exclusão: Um intervalo de exclusão é uma seqüência limitada de endereços IP dentro de um escopo, excluído dos endereços que são fornecidos pelo DHCP. Os intervalos de exclusão asseguram que quaisquer endereços nesses intervalos não são oferecidos pelo servidor para clientes DHCP na sua rede. Por exemplo, dentro da faixa 10.10.10.100 a 10.10.10.150, na rede 10.10.10.0/255.255.255.0 de um determinado escopo, você pode criar uma faixa de exclusão de 10.10.10.120 a 10.10.10.130. Os endereços da faixa de exclusão não serão utilizados pelo servidor DHCP para configurar os clientes DHCP.

Pool de endereços: Após definir um escopo DHCP e aplicar intervalos de exclusão, os endereços remanescentes formam o pool de endereços disponíveis dentro do escopo. Endereços em pool são qualificados para atribuição dinâmica pelo servidor para clientes DHCP na sua rede. No nosso exemplo, onde temos o escopo com a faixa 10.10.10.100 a 10.10.10.150, com uma faixa de exclusão de 10.10.10.120 a 10.10.10.130, o nosso pool de endereços é formado pelos endereços de 10.10.10.100 a 10.10.10.119, mais os endereços de 10.10.10.131 a 10.10.10.150.

Concessão': Uma concessão é um período de tempo especificado por um servidor DHCP durante o qual um computador cliente pode usar um endereço IP que ele recebeu do servidor DHCP (diz-se atribuído pelo servidor DHCP). Uma concessão está ativa quando ela está sendo utilizada pelo cliente. Geralmente, o cliente precisa renovar sua atribuição de concessão de endereço com o servidor antes que ela expire. Uma concessão torna-se inativa quando ela expira ou é excluída no servidor. A duração de uma concessão determina quando ela irá expirar e com que freqüência o cliente precisa renová-la no servidor.

Reserva: Você usa uma reserva para criar uma concessão de endereço permanente pelo servidor DHCP. As reservas asseguram que um dispositivo de hardware especificado na sub-rede sempre pode usar o mesmo endereço IP. A reserva é criada associada ao endereço de Hardware da placa de rede, conhecido como MAC-Address. No servidor DHCP você cria uma reserva, associando um endereço IP com um endereço MAC. Quando o computador (com o endereço MAC para o qual existe uma reserva) é inicializado, ele entre em contato com o servidor DHCP. O servidor DHCP verifica que existe uma reserva para aquele MAC-Address e configura o computador com o endereço IP associado ao Mac-address. Caso haja algum problema na placa de rede do computador e a placa tenha que ser substituída, mudará o MAC-Address e a reserva anterior terá que ser excluída e uma nova reserva terá que ser criada, utilzando, agora, o novo Mac-Address.

Tipos de opção: Tipos de opção são outros parâmetros de configuração do cliente que um servidor DHCP pode atribuir aos clientes. Por exemplo, algumas opções usadas com freqúência incluem endereços IP para gateways padrão (roteadores), servidores WINS (Windows Internet Name System) e servidores DNS (Domain Name System). Geralmente, esses tipos de opção são ativados e configurados para cada escopo. O console de Administração do serviço DHCP também permite a você configurar tipos de opção padrão que são usados por todos os escopos adicionados e configurados no servidor. A maioria das opção é predefinida através da RFC 2132, mas você pode usar o console DHCP para definir e adicionar tipos de opção personalizados, se necessário.

Critérios de atribuição de IPs[editar | editar código-fonte]

O DHCP, dependendo da implementação, pode oferecer três tipos de alocação de endereços IP:

  • Atribuição manual - Onde existe uma tabela de associação entre o Endereço MAC do cliente (que será comparado através do pacote broadcast recebido) e o endereço IP (e dados restantes) a fornecer. Esta associação é feita manualmente pelo administrador de rede; por conseguinte, apenas os clientes cujo MAC consta nesta lista poderão receber configurações desse servidor;
  • Atribuição automática - Onde o cliente obtém um endereço de um espaço de endereços possíveis, especificado pelo administrador. Geralmente não existe vínculo entre os vários MAC habilitados a esse espaço de endereços;
  • Atribuição dinâmica - O único método que dispõe a reutilização dinâmica dos endereços. O administrador disponibiliza um espaço de endereços possíveis, e cada cliente terá o software TCP/IP da sua interface de rede configurados para requisitar um endereço por DHCP assim que a máquina for ligada na rede. A alocação utiliza um mecanismo de aluguel do endereço, caracterizado por um tempo de vida. Após a máquina se desligar, o tempo de vida naturalmente irá expirar, e da próxima vez que o cliente se conectar, o endereço provavelmente será outro.

Algumas implementações do software servidor de DHCP permitem ainda a atualização dinâmica dos servidores de DNS para que cada cliente disponha também de um DNS. Este mecanismo utiliza o protocolo de atualização do DNS especificado no RFC 2136.

Detalhes técnicos[editar | editar código-fonte]

DHCP descoberta[editar | editar código-fonte]

O cliente transmite mensagens na sub-rede física para descobrir os servidores DHCP disponíveis. Os administradores de rede podem configurar um roteador local para encaminhar pacotes DHCP a um servidor DHCP de uma sub-rede diferente. Este cliente cria um User Datagram Protocol pacote (UDP), com o destino de difusão de 255.255.255.255 ou o endereço de broadcast de sub-rede específica. Um cliente DHCP também pode solicitar o seu último endereço IP conhecido (no exemplo abaixo, 192.168.1.100). Se o cliente permanece conectado a uma rede IP para o qual este é válido, o servidor pode satisfazer o pedido. Caso contrário, ele depende se o servidor está configurado no modo autoritário ou não. Um servidor no modo autoritário irá negar o pedido, fazendo o cliente pedir um novo endereço IP imediatamente. Um servidor no modo não autoritário simplesmente ignora o pedido, levando a um limite de tempo, dependente da implementação, para o cliente desistir do pedido e pedir um novo endereço IP..


DHCPDISCOVER
UDP Src=192.168.1.1 sPort=67
Dest=255.255.255.255 dPort=68
OP HTYPE HLEN HOPS
0x02 0x01 0x06 0x00
XID
0x3903F326
SECS FLAGS
0x0000 0x0000
CIADDR (Client IP Address)
0x00000000
YIADDR (Your IP Address)
0xC0A80164
SIADDR (Server IP Address)
0xC0A80101
GIADDR (Gateway IP Address switched by relay)
0x00000000
CHADDR (Client Hardware Address)
0x00053C04
0x8D590000
0x00000000
0x00000000
192 octets of 0s. BOOTP legacy
Magic Cookie
0x63825363
DHCP Options
DHCP option 53: DHCP ACK
DHCP option 1: 255.255.255.0 subnet mask
DHCP option 3: 192.168.1.1 router
DHCP option 51: 86400s (1 day) IP lease time
DHCP option 54: 192.168.1.1 DHCP server
DHCP option 6: DNS servers 9.7.10.15, 9.7.10.16, 9.7.10.18

DHCP oferta[editar | editar código-fonte]

Quando um servidor DHCP recebe um pedido de concessão de IP de um cliente, ele reserva um endereço IP para o cliente (Essa reserva é opcional, segundo a RFC 2131 - 3.1.2) e estende uma oferta de concessão IP através do envio de uma mensagem DHCPOFFER para o cliente. Esta mensagem contém o endereço do cliente MAC, o endereço IP que o servidor está oferecendo, a máscara de sub-rede, a duração da concessão, bem como o endereço IP do servidor de DHCP que faz a oferta. O servidor determina a configuração com base no endereço de hardware do cliente como especificado no campo chaddr (endereço de hardware do cliente). Aqui o servidor, 192.168.1.1, especifica o endereço IP no campo yiaddr (seu endereço IP).

DHCPOFFER
UDP Src=192.168.1.1 sPort=67
Dest=255.255.255.255 dPort=68
OP HTYPE HLEN HOPS
0x02 0x01 0x06 0x00
XID
0x3903F326
SECS FLAGS
0x0000 0x0000
CIADDR (Client IP Address)
0x00000000
YIADDR (Your IP Address)
0xC0A80164
SIADDR (Server IP Address)
0xC0A80101
GIADDR (Gateway IP Address)
0x00000000
CHADDR (Client Hardware Address)
0x00053C04
0x8D590000
0x00000000
0x00000000
192 octets of 0s. BOOTP legacy
Magic Cookie
0x63825363
DHCP Options
DHCP option 53: DHCP Offer
DHCP option 1: 255.255.255.0 subnet mask
DHCP option 3: 192.168.1.1 router
DHCP option 51: 86400s (1 day) IP lease time
DHCP option 54: 192.168.1.1 DHCP server
DHCP option 6: DNS servers 9.7.10.15, 9.7.10.16, 9.7.10.18

DHCP pedido[editar | editar código-fonte]

Em resposta aos pedidos de oferta de cliente do servidor. O cliente responde DHCPREQUEST, ainda em broadcast para o servidor (para ser visível por todos os DHCP Servers), solicitando o endereço oferecido. Um cliente pode receber ofertas de vários servidores DHCP, mas vai aceitar apenas uma oferta DHCP. Com base no campo ID da transação no pedido, os servidores são informados da oferta que o cliente aceitou. Quando outros servidores DHCP receber esta mensagem, eles retiram quaisquer ofertas que eles poderiam ter feito para o cliente e retornar o endereço oferecido ao pool de endereços disponíveis. Em alguns casos, DHCPMESSAGE é transmitido em broadcast, em vez de ser unicast para um servidor DHCP particular, porque o cliente DHCP ainda não recebeu um endereço IP. Além disso, esta mensagem de uma forma pode deixar todos os outros servidores DHCP saberem que um outro servidor fornecerá o endereço IP sem perder qualquer um dos servidores com uma série de mensagens unicast. A mensagem DHCPREQUEST também é utilizada pelo cliente DHCP para renovar o período de concessão do endereço de rede de tempo em tempo (dependente do período de concessão configurado no servidor DHCP e de implementação do cliente).

DHCPREQUEST
UDP Src=0.0.0.0 sPort=68
Dest=255.255.255.255 dPort=67
OP HTYPE HLEN HOPS
0x01 0x01 0x06 0x00
XID
0x3903F326
SECS FLAGS
0x0000 0x0000
CIADDR (Client IP Address)
0x00000000
YIADDR (Your IP Address)
0x00000000
SIADDR (Server IP Address)
0xC0A80101
GIADDR (Gateway IP Address)
0x00000000
CHADDR (Client Hardware Address)
0x00053C04
0x8D590000
0x00000000
0x00000000
192 octets of 0s. BOOTP legacy
Magic Cookie
0x63825363
DHCP Options
DHCP option 53: DHCP Request
DHCP option 50: 192.168.1.100 requested
DHCP option 54: 192.168.1.1 DHCP server.

DHCP de confirmação[editar | editar código-fonte]

Quando o servidor DHCP recebe a mensagem DHCPREQUEST do cliente, o processo de configuração entra em sua fase final. A fase de reconhecimento envolve o envio de um pacote DHCPACK para o cliente. Este pacote inclui a duração da concessão e quaisquer outras informações de configuração que o cliente pode ter solicitado. Neste ponto, o processo de configuração de IP é concluída. O protocolo prevê que o cliente DHCP configurará sua interface de rede com os parâmetros negociados.

DHCPACK
UDP Src=192.168.1.1 sPort=67
Dest=255.255.255.255 dPort=68
OP HTYPE HLEN HOPS
0x02 0x01 0x06 0x00
XID
0x3903F326
SECS FLAGS
0x0000 0x0000
CIADDR (Client IP Address)
0x00000000
YIADDR (Your IP Address)
0xC0A80164
SIADDR (Server IP Address)
0xC0A80101
GIADDR (Gateway IP Address switched by relay)
0x00000000
CHADDR (Client Hardware Address)
0x00053C04
0x8D590000
0x00000000
0x00000000
192 octets of 0s. BOOTP legacy
Magic Cookie
0x63825363
DHCP Options
DHCP option 53: DHCP ACK
DHCP option 1: 255.255.255.0 subnet mask
DHCP option 3: 192.168.1.1 router
DHCP option 51: 86400s (1 day) IP lease time
DHCP option 54: 192.168.1.1 DHCP server
DHCP option 6: DNS servers 9.7.10.15, 9.7.10.16, 9.7.10.18

DHCP informações[editar | editar código-fonte]

Um cliente DHCP pode solicitar mais informações do que o servidor enviou com o DHCPOFFER original. O cliente também pode solicitar dados repetidos para uma determinada aplicação. Por exemplo, os navegadores usam DHCPINFORMATION para obter as configurações de proxy web via WPAD. Estas consultas com o servidor DHCP não servem para atualizar o tempo de concessão do IP em seu banco de dados (para isso é enviada a mensagem DHCPREQUEST).

DHCP liberando[editar | editar código-fonte]

O cliente envia uma solicitação (DHCPRELEASE) ao servidor DHCP para liberar a configuração de rede e o cliente DHCP desativa seu endereço IP. Como dispositivos de cliente geralmente não sabem quando os usuários podem desligá-los da rede, o protocolo não obriga o envio de DHCPRELEASE.

Cliente parâmetros de configuração no DHCP[editar | editar código-fonte]

Um servidor DHCP pode fornecer parâmetros de configuração opcionais para o cliente. RFC 2132 descreve as opções disponíveis DHCP definidas pelo Internet Assigned Numbers Authority (IANA) - PARÂMETROS DHCP e BOOTP. Um cliente DHCP pode selecionar, manipular e substituir os parâmetros fornecidos por um servidor DHCP. [3]

Identificação do fornecedor[editar | editar código-fonte]

Existe uma opção para identificar o fornecedor e funcionalidade de um cliente DHCP. A informação é uma seqüência de comprimento variável de caracteres ou octetos que tem um significado especificado pelo fornecedor do cliente DHCP. Um método que um cliente DHCP pode utilizar para se comunicar com o servidor que está usando um certo tipo de hardware ou de firmware é definir um valor em seus pedidos de DHCP chamado de classe de fornecedor Identifier (VCI) (Opção 60). Este método permite a um servidor DHCP para diferenciar entre os dois tipos de máquinas de cliente e processar os pedidos provenientes dos dois tipos de modems de forma adequada. Alguns tipos de set-top boxes também definir a VCI (Opção 60) para informar o servidor DHCP sobre o tipo de hardware e funcionalidade do dispositivo. O valor que essa opção é definida para dar ao servidor DHCP uma dica sobre as informações necessárias extra que este cliente precisa de uma resposta do DHCP.

title = DHCP Options and BOOTP Vendor Extensions rfc = 2132 last1 = Alexander first1 = Steve last2 = Droms first2 = Ralph year = 1997 month = March publisher = IETF accessdate = June 10, 2012

}}</ref>

RFC1497 vendor extensions[1]
Code Name Length Notes
0 Pad[2] 1 octet Can be used to pad other options so that they are aligned to the word boundary
1 Subnet Mask[3] 4 octets Must be sent after the router option (option 3) if both are included
2 Time Offset[4] 4 octets
3 Router multiples of 4 octets Available routers, should be listed in order of preference
4 Time Server multiples of 4 octets Available time servers to synchronise with, should be listed in order of preference
5 Name Server multiples of 4 octets Available IEN116 name servers, should be listed in order of preference
6 Domain Name Server multiples of 4 octets Available DNS servers, should be listed in order of preference
7 Log Server multiples of 4 octets Available log servers, should be listed in order of preference.
8 Cookie Server multiples of 4 octets
9 LPR Server multiples of 4 octets
10 Impress Server multiples of 4 octets
11 Resource Location Server multiples of 4 octets
12 Host Name minimum of 1 octet
13 Boot File Size 2 octets Length of the boot image in 4KiB blocks
14 Merit Dump File minimum of 1 octet Path where crash dumps should be stored
15 Domain Name minimum of 1 octet
16 Swap Server 4 octets
17 Root Path minimum of 1 octet
18 Extensions Path minimum of 1 octet
255 End 0 octets Used to mark the end of the vendor option field
IP Layer Parameters per Host[5]
Code Name Length Notes
19 IP Forwarding Enable/Disable 1 octet
20 Non-Local Source Routing Enable/Disable 1 octet
21 Policy Filter multiples of 8 octets
22 Maximum Datagram Reassembly Size 2 octets
23 Default IP Time-to-live 1 octet
24 Path MTU Aging Timeout 4 octets
25 Path MTU Plateau Table multiples of 2 octets
IP Layer Parameters per Interface[6]
Code Name Length Notes
26 Interface MTU 2 octets
27 All Subnets are Local 1 octet
28 Broadcast Address 4 octets
29 Perform Mask Discovery 1 octet
30 Mask Supplier 1 octet
31 Perform Router Discovery 1 octet
32 Router Solicitation Address 4 octets
33 Static Route multiples of 8 octets A list of destination/router pairs
Link Layer Parameters per Interface[7]
Code Name Length Notes
34 Trailer Encapsulation Option 1 octet
35 ARP Cache Timeout 4 octets
36 Ethernet Encapsulation 1 octet
TCP Parameters[8]
Code Name Length Notes
37 TCP Default TTL 1 octet
38 TCP Keepalive Interval 4 octets
39 TCP Keepalive Garbage 1 octet
Application and Service Parameters[9]
Code Name Length Notes
40 Network Information Service Domain minimum of 1 octet
41 Network Information Servers multiples of 4 octets
42 Network Time Protocol Servers multiples of 4 octets
43 Vendor Specific Information minimum of 1 octets
44 NetBIOS over TCP/IP Name Server multiples of 4 octets
45 NetBIOS over TCP/IP Datagram Distribution Server multiples of 4 octets
46 NetBIOS over TCP/IP Node Type 1 octet
47 NetBIOS over TCP/IP Scope minimum of 1 octet
48 X Window System Font Server multiples of 4 octets
49 X Window System Display Manager multiples of 4 octets
64 Network Information Service+ Domain minimum of 1 octet
65 Network Information Service+ Servers multiples of 4 octets
68 Mobile IP Home Agent multiples of 4 octets
69 Simple Mail Transport Protocol (SMTP) Server multiples of 4 octets
70 Post Office Protocol (POP3) Server multiples of 4 octets
71 Network News Transport Protocol (NNTP) Server multiples of 4 octets
72 Default World Wide Web (WWW) Server) multiples of 4 octets
73 Default Finger Server multiples of 4 octets
74 Default Internet Relay Chat (IRC) Server multiples of 4 octets
75 StreetTalk Server multiples of 4 octets
76 StreetTalk Directory Assistance (STDA) Server multiples of 4 octets
DHCP Extensions[10]
Code Name Length Notes
50 Requested IP Address 4 octets
51 IP Address Lease Time 4 octets
52 Option Overload 1 octet
53 DHCP Message Type 1 octet
54 Server Identifier 4 octets
55 Parameter Request List minimum of 1 octet
56 Message minimum of 1 octet
57 Maximum DHCP Message Size 2 octets
58 Renewal (T1) Time Value 4 octets
59 Rebinding (T2) Time Value 4 octets
60 Vendor class identifier minimum of 1 octet
61 Client-identifier minimum of 2 octets
66 TFTP server name minimum of 1 octet
67 Bootfile name minimum of 1 octet

Retransmissão DHCP[editar | editar código-fonte]

Em redes pequenas, onde apenas uma sub-rede IP está a ser gerido, os clientes DHCP se comunicar diretamente com os servidores DHCP. No entanto, os servidores DHCP também pode fornecer endereços IP para várias sub-redes. Neste caso, um cliente DHCP que ainda não adquiriu um endereço IP não podem se comunicar diretamente com o servidor DHCP usando o roteamento IP, porque não tem um endereço de IP, nem ele sabe o endereço IP de um roteador. A fim de permitir que os clientes DHCP em sub-redes não directamente servidos por servidores DHCP para se comunicar com servidores DHCP, os agentes de retransmissão DHCP pode ser instalado nesses sub-redes. As transmissões do cliente DHCP no link local, o agente de retransmissão recebe a transmissão e transmite para um ou mais servidores DHCP usando unicast. O agente de retransmissão armazena seu próprio endereço IP no campo GIADDR do pacote DHCP. O servidor DHCP usa o GIADDR para determinar a sub-rede na qual o agente de retransmissão recebeu a transmissão, e atribui um endereço IP na sub-rede. Quando as respostas do servidor DHCP para o cliente, ele envia a resposta para o endereço GIADDR, novamente usando unicast. O agente de retransmissão então retransmite a resposta na rede local.

Confiabilidade[editar | editar código-fonte]

O protocolo DHCP fornece confiabilidade de várias maneiras: renovação periódica, religação e failover. Clientes DHCP são atribuídos locações que duram por algum período de tempo. Os clientes começam a tentar renovar suas concessões uma vez metade do intervalo o arrendamento expirou. Eles fazem isso através do envio de uma mensagem DHCPREQUEST unicast para o servidor DHCP que concedeu o contrato original. Se esse servidor for inativo ou inacessível, ele vai deixar de responder ao DHCPREQUEST. No entanto, o DHCPREQUEST será repetido pelo cliente ao longo do tempo, [especificar], para quando o servidor DHCP volta-se ou torna-se acessível novamente, o cliente DHCP vai conseguir entrar em contato com ela, e renovar o seu contrato. Se o servidor DHCP está inacessível por um período prolongado de tempo, [especificar] o cliente DHCP tentará religar, transmitindo sua DHCPREQUEST vez de unicasting-lo. Porque ele é transmitido, a mensagem vai chegar DHCPREQUEST todos os servidores DHCP disponíveis. Se algum outro servidor DHCP é capaz de renovar a concessão, ele vai fazê-lo neste momento.

A fim de religação para o trabalho, quando o cliente contatar com êxito um servidor DHCP de backup, o servidor deve ter informações precisas sobre a ligação do cliente. Manter informações vinculativas precisa entre dois servidores é um problema complicado, se os dois servidores são capazes de atualizar o banco de dados mesma locação, deve haver um mecanismo para evitar conflitos entre as atualizações nos servidores independentes. Um padrão para implementação de servidores tolerantes a falhas DHCP foi desenvolvido na Internet Engineering Task Force. [15] [nota 1]

Se religação falhar, o arrendamento acabará por expirar. Quando a concessão expira, o cliente deve parar de usar o endereço IP concedido a ele em seu contrato. Na época, ele irá reiniciar o processo de DHCP desde o início, transmitindo uma mensagem DHCPDISCOVER. Desde o seu contrato de arrendamento expirou, ele vai aceitar qualquer endereço IP que lhe é oferecido. Uma vez que tem um novo endereço IP, provavelmente a partir de um servidor DHCP diferente, vai mais uma vez ser capaz de usar a rede. No entanto, como seu endereço IP mudou, as conexões em curso será quebrado.

Segurança[editar | editar código-fonte]

A base de protocolo DHCP não inclui qualquer mecanismo de autenticação. Por isso, é vulnerável a uma variedade de ataques. Estes ataques se dividem em três categorias principais:

  • Servidores DHCP não autorizados fornecimento de informações falsas aos clientes.
  • Clientes não autorizados tenham acesso aos recursos.
  • Esgotamento dos recursos de clientes ataques maliciosos DHCP.

Porque o cliente não tem como validar a identidade de um servidor DHCP, servidores DHCP não autorizados podem ser operados em redes, prestação de informações incorrectas aos clientes DHCP. Isso pode servir tanto como um ataque de negação de serviço, impedindo o cliente de ter acesso a conectividade de rede. Porque o servidor DHCP fornece o cliente DHCP com endereços IP do servidor, como o endereço IP de um ou mais servidores DNS, um atacante pode convencer um cliente DHCP para fazer pesquisas através de seu DNS seu próprio servidor DNS, e pode, portanto, fornecer suas próprias respostas a consultas DNS do cliente. Por sua vez, permite que o atacante para redirecionar o tráfego de rede através de si, permitindo-lhe escutar as conexões entre os servidores de rede do cliente e ele entra em contato, ou simplesmente para substituir os servidores de rede com o seu próprio. Porque o servidor DHCP não tem nenhum mecanismo seguro para autenticar o cliente, os clientes podem obter acesso não autorizado aos endereços IP de apresentação de credenciais, tais como identificadores do cliente, que pertencem a outros clientes DHCP. Isso também permite que os clientes DHCP para esgotar o DHCP armazenamento de servidor de endereços IP-, apresentando novas credenciais cada vez que ele pede um endereço, o cliente pode consumir todos os endereços IP disponíveis em um link de rede particular, impedindo outros clientes DHCP da obtenção de serviços. DHCP fornece alguns mecanismos para mitigar esses problemas.

O Relé de Agente de Informações extensão protocolo Option (RFC 3046) permite que os operadores de rede para conectar marcas a mensagens DHCP uma vez que estas mensagens chegam na rede de confiança do operador de rede. Esta tag é então usado como um token de autorização para controlar o acesso do cliente aos recursos da rede. Porque o cliente não tem acesso à rede a montante do agente de retransmissão, a falta de autenticação não impede que o operador do servidor DHCP de confiar no token de autorização.

Outro ramal, autenticação para DHCP mensagens (RFC 3118), fornece um mecanismo para autenticação de mensagens DHCP. Infelizmente RFC 3118 não viu a adopção generalizada por causa dos problemas de gerenciamento de chaves para um grande número de clientes DHCP.

Rede sem DHCP - APIPA[editar | editar código-fonte]

APIPA é a abreviatura de Automatic Private IP Addressing. Esta é uma nova funcionalidade que foi introduzida no Windows 98, está presente no Windows 2000, Windows XP, Windows Vista, Windows 7, Longhorn Server e no Windows Server 2003. Imagine um cliente com o protocolo TCP/IP instalado e configurado para obter as configurações do protocolo TCP/IP a partir de um servidor DHCP. O cliente é inicializado, porém não consegue se comunicar com um servidor DHCP. Neste situação, o Windows, usa o recurso APIPA, e automaticamente atribui um endereço IP da rede 169.254.0.0/255.255.0.0. Este é um dos endereços especiais, reservados para uso em redes internas, ou seja, este não seria um endereço de rede, válido na Internet. A seguir descrevo mais detalhes sobre a funcionalidade APIPA.

ATENÇÃO: O número de rede usado pelo recurso APIPA é o seguinte: 169.254.0.0/255.255.0.0 Nota: O recurso APIPA é especialmente útil para o caso de uma pequena rede, com 4 ou 5 computadores, onde não existe um servidor disponível. Neste caso você pode configurar todos os computadores para usarem o DHCP. Ao inicializar, os clientes não conseguirão localizar um servidor DHCP (já que não existe nenhum servidor DHCP nesta rede do nosso exemplo). Neste caso o recurso APIPA atribuirá endereços da rede 169.254.0.0/255.255.0.0 para todos os computadores da rede. O resultado final é que todos ficam configurados com endereços IP da mesma rede e poderão se comunicar, compartilhando recursos entre si. É uma boa solução para um rede doméstica ou de um pequeno escritório.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. RFC 2132: DHCP Options and BOOTP Vendor Extensions IETF (March 1997). Página visitada em 2012-07-26.
  2. RFC 2132: DHCP Options and BOOTP Vendor Extensions IETF (March 1997). Página visitada em 2012-07-26.
  3. RFC 2132: DHCP Options and BOOTP Vendor Extensions IETF (March 1997). Página visitada em 2012-07-26.
  4. RFC 2132: DHCP Options and BOOTP Vendor Extensions IETF (March 1997). Página visitada em 2012-07-26.
  5. RFC 2132: DHCP Options and BOOTP Vendor Extensions IETF (March 1997). Página visitada em 2012-07-26.
  6. RFC 2132: DHCP Options and BOOTP Vendor Extensions IETF (March 1997). Página visitada em 2012-07-26.
  7. RFC 2132: DHCP Options and BOOTP Vendor Extensions IETF (March 1997). Página visitada em 2012-07-26.
  8. RFC 2132: DHCP Options and BOOTP Vendor Extensions IETF (March 1997). Página visitada em 2012-07-26.
  9. RFC 2132: DHCP Options and BOOTP Vendor Extensions IETF (March 1997). Página visitada em 2012-07-26.
  10. RFC 2132: DHCP Options and BOOTP Vendor Extensions IETF (March 1997). Página visitada em 2012-07-26.