Dakar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dakar
—  Cidade  —
Vista de Dakar
Vista de Dakar
Brasão de armas de Dakar
Brasão de armas
Divisão da Cidade de Dakar
Divisão da Cidade de Dakar
14° 41' 34" N 17° 26' 48" O
País Senegal
Região Dakar
Departamento Dakar
Distritos Distritos
Administração
 - Prefeito Abdoulaye Wade
Área
 - Total 82 km²
Altitude 298 m (978 pés)
População (Censo 2009)
 - Total 1 030 594
    • Densidade 12 568,2/km2 
' - Conurbação' 2 452 656
'    • Densidade conurbação' 4484 hab/km2 
Fuso horário UTC (UTC+0)
Sítio http://www.dakarville.sn

Dakar ou Dacar[1] [2] [3] [4] é a capital e a maior cidade do Senegal, na península do Cabo Verde. Fundada pelos franceses em 1857, é uma das quatro cidades históricas do Senegal e a antiga capital da África Ocidental Francesa (AOF). A sua localização na borda ocidental da África, na estreita península de Cabo Verde, favoreceu os primeiros colonos e o comércio com o Novo Mundo, e lhe dá uma posição privilegiada para intersecção das culturas africanas e européias. Organizando o primeiro Festival Mundial das Artes Negras, em 1966, a cidade é a sede do Instituto Fundamental da África Negra e do Banco Central dos Estados da África Ocidental.

A cidade tem se desenvolvido rapidamente, sob a ação dos fluxos migratórios do campo para as cidades e o aumento populacional. Ela aumentou de 400 000 habitantes, em 1970, para 2,6 milhões em 2005. Sua população, em 2011, era de 3 215 255 habitantes, sendo uma das mais populosas da África Ocidental. Como metrópole, abriga metade da população urbana do país. Ocupando apenas 0,28% do território nacional, a região de Dakar possui 550 km², 25% da população nacional e concentra 80% das atividades econômicas do país.

A cidade sofre com problemas urbanos de grandes metrópoles, como o congestionamento no transporte, desenvolvimento do meio ambiente e infraestrutura, tanto que a fundação de uma nova capital administrativa está sendo considerada desde 2010.[5]

Foi um ponto de referência para o mundialmente famoso rali Dakar. A Bienal de Arte Contemporânea da cidade, chamada de Dak'art, contribui para a sua reputação artística internacional. Os bairros antigos da cidade herdaram a infra-estrutura colonial francesa, além de outros pontos como o porto, a estação ferroviária, o palácio presidencial e a catedral de Remembrance Africano, foram adicionados como os mais modernos edifícios da cidade, além da Universidade Cheikh Anta Diop, a Grande Mesquita, a Porta do Terceiro milênio e o Monumento da Renascença Africana.

História[editar | editar código-fonte]

A cidade de Dakar foi desenvolvida sob domínio francês em torno da Fortaleza da Ilha de Goreia, fundada originalmente por portugueses desde que o navegador Dinis Dias aí aportou em 1444. Substituiu a cidade de Saint-Louis como a capital da colônia francesa do oeste em 1902. Foi a capital do Mali entre 1959 e 1960, convertendo-se depois na capital de Senegal.

Entre os séculos XVI e XIX, Dakar foi o maior centro para o tráfico de escravos para toda América. O governo senegalês restaurou e transformou em museu o forte de Estrées na ilha de Gorée, onde os escravos eram reunidos para serem enviados em navios negreiros. Dakar é o ponto de chegada do Rali Dakar que ocorre no início de cada ano.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Dakar está localizada em um antigo vulcão - agora coberto pelas tetas emblemáticas - o que ocorreu após uma longa erosão, promontório rochoso da península de Cabo Verde. A ilha de Gorée está localizada ao sul, as ilhas Madeleine ao oeste, e ao norte a ilha de Ngor. O Conselho de Administração da cidade abrange a vila de Pikine e o departamento de Guédiawaye. A Grande Dakar cobre quase toda a península de Cabo Verde.

Em um subtrópico saariano, Dakar tem um microclima do tipo costeiro influenciado por ventos marítimos. A estação quente e úmida se estende de junho a outubro, com temperaturas em torno de 27 °C e uma chuva de pico em agosto (250 mm). Inundações excepcionais ocorreram em agosto de 2005. Durante a estação seca, que começa em novembro e vai até maio, não há praticamente nenhuma chuva (cerca de 1 mm por mês).[6]

Administração[editar | editar código-fonte]

Vista da Praça da Independência.

A cidade de Dakar é uma comuna (commune, às vezes chamada commune de ville), uma das 67 comunas de Senegal. A comuna de Dakar foi criada pela administração colonial francesa em 17 de junho de 1887, ao separá-la da comuna de Gorée. A comuna de Gorée, criada em 1872, era um dos municípios de estilo europeu mais antigos da África (junto com os da Argélia e África do Sul).

Economia[editar | editar código-fonte]

O setor industrial é composto, em sua maior parte, por indústria de alimentos, têxteis, de madeira e produtos químicos e mobiliário. Como em outros lugares, a indústria têxtil está sofrendo com as importações chinesas. A indústria de materiais de construção está presente na cidade com fábricas de cimento e agregados.

Junto com a urbanização, o setor terciário tem crescido e é na capital, especialmente em Dakar Plateau, que estão a sede de grandes empresas (Air Senegal International, Grands Moulins de Dakar) e grandes bancos, como Societe Generale, instituição bancária na África Ocidental, o Banco Internacional de Comércio e Indústria do Senegal e o Banco de Habitação do Senegal. O serviço público de alto escalão também está concentrado nesta região. O setor de telecomunicações está crescendo, e a empresa Orange, que assumiu a Sonatel, é onipresente na cidade.

O Turismo, incluindo o turismo de negócios, está crescendo em importância, impulsionado por eventos internacionais, como a Rali Dakar e a Bienal de Arte Contemporânea. O setor informal é particularmente ativo em Dakar, incluindo o comércio, transporte e construção. A economia digital não é deixada de fora e começa a encontrar o seu modelo entre o setor formal (na sua maioria feita por operadores de telecomunicações) e informal (uma infinidade de prestadoras de serviços).

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Transportes[editar | editar código-fonte]

Tráfego em Dakar.

Devido à sua localização geográfica no continente africano, Dakar atraiu a atenção dos primeiros navegadores e colonizadores da África. Esta posição estratégica foi fundamental para o desenvolvimento do comércio, inclusive no contexto do comércio atlântico de escravos. O clima favorável foi uma das vantagens adicionais, e a administração colonial construiu um porto de águas profundas e uma estação ferroviária. Uma ferrovia ligando Dakar à St. Louis também foi construída enquanto o Senegal era colônia da França, fazendo ligação da capital com o interior do país.

Importante porto e centro ferroviário, Dakar também encontra seu lugar na história da aviação. O primeiro correio aéreo deu-se em 1925, entre Dakar e Toulouse, na França. Em 21 de janeiro de 1976, a cidade experimentou seu primeiro voo internacional, realizado pela Air France e ligando a cidade à Paris e ao Rio de Janeiro. No mesmo ano, a British Airways passou a realizar voos de Dakar para Londres e o Bahrein. A cidade é servida pelo Aeroporto Internacional Yoff-Léopold Sédar Senghor, mas há um outro aeroporto em construção para atender a demanda de passageiros, o Internacional Blaise Diagne, previsto para inauguração em 2014.[7]

Os táxis da cidade possuem cor amarela e preta, e há um grande número de veículos que realizam transporte irregular. Também fazem parte do transporte coletivo de Dakar, os ônibus e microônibus, sendo que alguns destes últimos são privados. Assim como outras metrópoles mundiais, Dakar sofre problemas no transporte urbano e interurbano, como o congestionamento no transito e a precariedade na estrutura de estradas.

Educação[editar | editar código-fonte]

Pátio da Escola Sainte- Marie Hann.

Em 2000, Dakar sediou o Fórum Mundial de Educação, organizado sob os auspícios da UNESCO. Como outros, o setor da educação

Dakar possui quinze escolas de ensino secundário. As escolas públicas são: A escola Blaise Diagne, Lamine Gueye, High School de John Fitzgerald Kennedy, Parcelles Assainies, escola moderna Dakar (LMD), Thierno Seydou, Galandou Diouf, Escola Islâmica de Ensino Médio, Seydina Limamou Laye, Maurice Delafosse, African College West of Atlantic, Senegalese American Bilingual School (SABS) e Ecole Actuelle Bilingue (EAB). Existem várias instituições de ensino mantidas por organizações e empresas de caráter educacional francesas, que recebem a maior parte dos filhos de expatriados, além de várias escolas católicas privadas, como a Sainte- Marie Hann, Sagrado Coração e St. Joan of Arc. Muitas destas instituições também têm classes primárias.

Apesar da reputação da Universidade Gaston Berger, em Saint-Louis, e os esforços de descentralização da educação no país, a maior parte do ensino superior senegalês continua concentrado na capital. Além da Universidade Cheikh Anta Diop (UCAD), que possui cerca de 60.000 estudantes, outras importantes instituições de ensino superior são a Escola Nacional de Economia Aplicada, Escola Nacional de Administração, Escola Interestadual de Ciências e Medicina Veterinária e outras instituições privadas.

O Centro Africano de Estudos Avançados em Gestão (CESAG), uma grande escola pública, criou um MBA com a Universidade de Paris I e Paris Dauphine, também presentes na cidade.[8]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Criatividade no Instituto Francês Léopold Sédar Senghor.

O Festival Mundial de Artes Negras, organizado na capital, por iniciativa de Leopold Sedar Senghor, em 1966 e relançado em 2010, é um evento sem precedentes na história cultural, e a declaração solene e festiva da negritude.

Anexado ao Instituto Africano, o Museu de Arte Africana Théodore Monod está agora dedicada às artes e tradições da África Ocidental, com cerca de 300 coleções e 9.000 peças, que são exposições temporárias em temas específicos. Com a inclusão da Ilha de Gorée na Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO, em 1978, Dakar é um membro da Organização das Cidades Património Mundial, criado em 1993.

Esporte[editar | editar código-fonte]

Dakar sedia grandes eventos esportivos, por ter a melhor infraestrutura do país, especialmente aqueles que se dedicam aos esportes nacionais, como o futebol e wrestling senegalês. Os estádios Léopold-Sédar-Senghor e Demba Diop estão situados na cidade.

Embora seja agora altamente contestado, o Rally Dakar é o evento de maior destaque no mundo com participação na cidade. As praias da cidade também são usadas frequentemente pelos para a prática de esportes, especialmente o futebol.

Nativos famosos[editar | editar código-fonte]

Cidades irmãs[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikivoyage
O Wikivoyage possui o guia Dakar

Referências

  1. Porto Editora. Dacar. Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa da Infopédia – Enciclopédia e Dicionários Porto Editora. Página visitada em 18 de janeiro de 2012.
  2. Rocha, Carlos (2 de janeiro de 2006). Sobre a forma do topó(ô)nimo Dacar. Ciberdúvidas da Língua Portuguesa. Página visitada em 6 de março de 2012.
  3. Serviço das Publicações da União Europeia. Anexo A5: Lista dos Estados, territórios e moedas. Código de Redacção Interinstitucional. Página visitada em 18 de janeiro de 2012.
  4. Macedo, Vítor. (Primavera de 2013). "Lista de capitais do Código de Redação Interinstitucional". A Folha — Boletim da língua portuguesa nas instituições europeias (n.º 41): 13; 15 pp.. Sítio web da Direcção-Geral da Tradução da Comissão Europeia no portal da União Europeia. ISSN 1830-7809. Página visitada em 23 de maio de 2013.
  5. Nouvelle capitale du Sénégal : Les chantiers de l'Anoci ont-ils fait oublier ce projet de Me Wade ? », Wal Fadjri.
  6. Passage traduit de l'article Wikipédia en anglais.
  7. Senegal's second international airport ready in 2014 - Panapress (em francês)
  8. GEO N°403 de septembre 2012 p.70