Dakhla

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde março de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Saara OcidentalMarrocos
Dakhla
الداخلة
Dajla, Villa Cisneros
 
—  Município  —
Jardim e mesquita em Dakhla
Jardim e mesquita em Dakhla
Dakhla está localizado em: Saara Ocidental
Dakhla
Localização de Dakhla no Saara Ocidental
23° 41' 25" N 15° 56' 30" O
Região Oued Ed-Dahab-Lagouira
Província Oued Ed-Dahab
Fundação 1884 (130 anos)
Administração
 - Prefeito Hajj Sloh Joumani (2009)
Altitude 10 m (33 pés)
População (2004)[1] [2]
 - Total 55 618
 - Estimativa (2012) 97 635
Código postal 73000
Território do Saara Ocidental sob o controle de Marrocos

Dakhla, ad-Dakhla, Dajla (em árabe: الداخلة; transl.: ad-Daḫla, "a interior"), Villa Cisneros no período colonial espanhol é uma cidade do Saara Ocidental administrada de facto por Marrocos, que a considera parte do seu território. É capital da província de Oued Ed-Dahab e da região de Oued Ed-Dahab-Lagouira. Em 2004 tinha 55 618 habitantes[1] e estimava-se que em 2012 tivesse 97 635 habitantes.[2]

Situa-se 22 km a norte do Trópico de Câncer, 535 km a sudoeste de El Aaiún, 1 175 km e 1 600 km, na península de Rio do Ouro na costa atlântica e à beira duma lagoa de água salgada.

As principais atividades económicas da região são a pesca e o turismo. A partir dos últimos anos do século XX a cidade tornou-se um centro com alguma popularidade para a prática de surf casting ("pesca nas ondas"), kitesurf e windsurf.[carece de fontes?]

Devido à repressão da luta pela independência do Saara Ocidental, muitos habitantes da região fugiram para campos de refugiados em Tindouf, na Argélia, controlados pela República Árabe Saaraui Democrática, que reclama a jurisdição sobre todo o Saara Ocidental. Um desses campos tem o nome de Dakhla. A principal base da OTAN para as operações de manutenção da paz na região iniciadas em 1986 situa-se em Dakhla.[carece de fontes?]

História[editar | editar código-fonte]

Segundo algumas fontes, Dakhla teria sido fundada em 1502 por colonos espanhóis, pois a região era um dos enclaves a leste dos Açores concedidos aos espanhóis por bula papal.[carece de fontes?]

No entanto, o nome de Villa Cisneros só surge em 1884, quando ali foi fundada uma localidade com esse nome em honra do cardeal Cisneros. A região atraiu o interesse dos espanhóis devido às atividades pesqueiras levadas a cabo a partir das vizinhas ilhas Canárias. Em 1881 foi fundeado um cais flutuante na costa da península do Rio do Ouro para apoiar a atividade das frotas pesqueiras canárias.

Em 1884, a Sociedade Espanhola de Africanistas levou a cabo uma operação de reconhecimento da costa entre o Cabo Bojador e o Cabo Branco (o do extremo noroeste da Mauritânia, não o próximo a Dakhla). A operação foi financiada pelo governo de Cánovas del Castillo e liderada pelo militar e arabista Emilio Bonelli e no seu decurso foram fundadas três localidades na costa saariana: Villa Cisneros; Puerto Badía em Angra de Cintra, uma baía alguns quilómetros a sul de Dakhla, em honra ao arabista e aventureiro Domingo Badía; e Medina Gatell, no Cabo Branco, perto do que é hoje Nouadhibou.

Bonelli conseguiu que os habitantes nativos da península de Rio do Ouro assinassem uma acordo mediante o qual se punham sob a proteção de Espanha. Graças à presença daqueles três postos criados, em dezembro de 1884, o governo espanhol comunicou às potências reunidas na Conferência de Berlim que tinha tomado posse dos territórios situados entre os cabos Bojador e Branco. No entanto, Medina Gatell e Puerto Badía foram abandonados pouco tempo depois, e só Villa Cisneros se manteve como assentamento permanente.

Praça do centro de Dakhla

Durante muito tempo, Villa Cisneros foi a única presença espanhola em território sarauí e só na segunda década do século XX é que a presença espanhola se ampliou. Apesar do governador Francisco Bens tenha chegado a Villa Cisneros em 1904, só em 1916 ocupou Villa Bens (atual Tarfaya), na zona atribuída a Espanha pelo tratado hispano-francês de 1912 imediatamente a norte do Saara Ocidental, oficialmente denominada zona sul do protetorado espanhol de Marrocos ou colónia do Cabo Juby. Em 1920 Bens ocupou La Güera (Lagouira), no Cabo Branco, o extremo sudoeste do Saara Ocidental.

Durante o período colonial espanhol, Villa Cisneros foi a capital da colónia de Rio do Ouro, uma das duas regiões em que se dividia o Saara Espanhol. Foram construídas uma fortaleza e uma igreja católica, que hoje são dois dos pontos de interesse para os visitantes da cidade. Durante a Segunda República Espanhola (1931-1939) existiu em Villa Cisneros um campo de deportados, onde estiveram presos anarquistas como Buenaventura Durruti ou Francisco Ascaso e um grupo de militares e civis que participaram na "Sanjurjada", o golpe de estado de 10 de agosto de 1932 contra a república protagonizado pelo general José Sanjurjo. Durante a Guerra Civil Espanhola o campo continuou a funcionar e nele estiveram presos republicanos esquerdistas que nas vizinhas ilhas Canárias se opuseram à sublevação de 18 de julho de 1936 que marcou o início da guerra civil.

Durante a década de 1960, a ditadura franquista construiu a norte da cidade, na península do Rio do Ouro, um dos três aeroportos com pistas asfaltadas existentes no Saara Ocidental[carece de fontes?] (IATA: VIL).

Entre 1975 e 1979, quando parte do ex-Saara Espanhol foi anexado pela Mauritânia, Dakhla foi a capital da província mauritana de Tiris al-Gharbiyya.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima da região é desértico, pois situa-se em pleno deserto do Saara, mas devido à proximidade do mar, as temperaturas não são extremas e a amplitude térmica não é muito elevada.

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Dakhla Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima registrada (°C) 28 31 37 36 31 36 38 33 41 38 35 32 41
Temperatura máxima média (°C) 21 20 22 21 22 23 23 25 25 25 23 21 22
Temperatura mínima média (°C) 15 15 17 17 17 18 20 20 20 20 18 16 18
Temperatura mínima registrada (°C) 11 10 10 10 15 11 16 16 13 8 7 7 7
Dias com chuva 1 1 1 1 1 0 1 1 2 1 1 2 13
Fonte: Weatherbase [3]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em espanhol, cujo título é «Dajla», especificamente desta versão.
  • Ellingham, Mark; McVeigh, Shaun; Jacobs, Daniel; Brown, Hamish. The Rough Guide to Morocco (em inglês). 7ª ed. Nova Iorque, Londres, Deli: Rough Guide, Penguin Books, 2004. 824 pp. p. 661-662. ISBN 9-781843-533139
  1. a b Recensement général de la population et de l'habitat 2004 (em francês). www.hcp.ma. Royaume du Maroc - Haut-Comissariat au Plan. Página visitada em 11 de março de 2012.
  2. a b Sahara Occidental: Les villes les plus grandes avec des statistiques de la population (em francês). gazetteer.de. World Gazeteer. Página visitada em 11 de março de 2012.
  3. Dados meteorológicos de Dakhla (em inglês). www.Weatherbase.com. Canty and Associates LLC. Página visitada em 11 de março de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Dakhla
Wikivoyage
O Wikivoyage possui o guia en:Ad Dakhla
  • Kjeilen, Tore. Dakhla - Deep South (em inglês). LookLex.com (Lexic Orient). Lexicorient.com. Página visitada em 11 de março de 2012.