Dama-ciega-blanca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaDama-ciega-blanca
Dama ciega blanca.jpg

Estado de conservação
Status iucn2.3 VU pt.svg
Vulnerável (IUCN 2.3)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Superclasse: Osteichthyes
Classe: Actinopterygii
Ordem: Ophidiiformes
Família: Bythitidae
Género: Ogilbia
Espécie: O. pearsei
Nome binomial
Ogilbia pearsei
Hubbs, 1938
Distribuição geográfica
Península do Iucatão, no México
Península do Iucatão, no México
Sinónimos
Typhliasina pearsei (Hubbs, 1938)

A dama-ciega-blanca (Ogilbia pearsei) é um peixe vivíparo, desprovido de olhos ou pigmentação, e o único elemento da família Bythitidae que habita lençóis de água doce.

Vive num sistemas de grutas cavadas em rochas calcárias na península do Yucatão, onde atinge cerca de 9 cm. Neste momento, a espécie está classificada como vulnerável na Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas do IUCN, sobretudo devido à poluição dos lençois subterrâneos que suportam o seu habitat por coliformes fecais.

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

Colectada por Pearse em 22 Junho de 1936, e originalmente baptisada de Typhlias pearsei, esta espécie não teve uma vida taxonómica particularmente agitada:

  • Typhlias pearsei
  • Ogilbia pearsei
  • Typhliasina pearsei
  • Actualmente: Ogilbia pearsei

Distribuição e Diversidade[editar | editar código-fonte]

Nos cenotes e grutas calcárias da peninsula do Yucatão, estes peixes são um predador de topo. Não parecendo particularmente abundante, partilha este ecossistema com os Astyanax fasciatus, Rhamdia Guatemalensis e Ophisternon infernale. Na base da cadeia alimentar estão pequenos crustáceos (Creaseria morleyi, Typhlatya mitchelli, Typhlatya pearsei e Creaseriella anops) e, como flora nos cenotes, Chara spp. (uma macro-alga morfologicamente semelhante às Ceratophillum spp.), para além de pontuais Echinodorus spp..

Descrição física[editar | editar código-fonte]

De cor branca translúcida, despigmentado, tornando-se rosado ao longo da margem posterior devido ao sistema vascular, tem a forma típica da família Bythitidae, com uma cabeça grande e boca larga. A sua característica mais peculiar é ausência total de olhos. Parcialmente coberto com escamas, possui barbatanas dorsal e anal longas, mas interrompidas em relação à caudal. O macho apresenta gavinhas.

Ecologia e Comportamento[editar | editar código-fonte]

Vive a uma temperatura entre os 22 e os 27°C, e a sua fonte de alimento são os pequenos crustáceos com que partilha o ecossistema. É vivíparo, e reproduz-se entre Dezembro e Fevereiro.

Os alevins (22-34mm) são completamente independentes desde o nascimento, e nascem em ninhadas de 2 a 11 alevins, dependendo do tamanho da fêmea. As águas têm um pH do lado alcalino (pH 7,8), e elevada dureza (dH 30º).

Nomes comuns[editar | editar código-fonte]

Bibliografia e links externos[editar | editar código-fonte]