Dangerously in Love

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dangerously in Love
Álbum de estúdio de Beyoncé
Lançamento Estados Unidos 24 de Junho de 2003
Gravação 2002 - 2003;
Patchwerk Studios
(Atlanta, Georgia)
SugarHill Studios
(Houston, Texas)
South Beach Studios
(Miami, Flórida)
Baseline Studios
SoHo Studios
Sony Music Studios
(Nova Iorque, Nova Iorque)
COE.BE.3 Studios
(Stone Mountain, Georgia)
Gênero(s) R&B, soul
Duração 60:52
Formato(s) CD, download digital
Gravadora(s) Columbia
Produção Beyoncé Knowles, Rich Harrison, Scott Storch, Missy Elliott, Craig Brockman, Nisan Stewart, Bryce Wilson, Bernard "Focus…" Edwards, Jr., Andreao "Fanatic" Heard", Sherrod Barnes, D-Roy, Mr. B, Nat Adderley, Jr., Errol "Poppi" McCalla, Jr., Mark Batson
Cronologia de Beyoncé
Último
Último
B'Day
(2006)
Próximo
Próximo
Singles de Dangerously in Love
  1. "Crazy in Love"
    Lançamento: 1 de Julho de 2003
  2. "Baby Boy"
    Lançamento: 9 de Setembro de 2003
  3. "Me, Myself and I"
    Lançamento: 16 de Dezembro de 2003
  4. "Naughty Girl"
    Lançamento: 2 de Abril de 2004

Dangerously in Love é o álbum solo de estreia da artista musical estadunidense Beyoncé. O seu lançamento ocorreu em 20 de junho de 2003, através da Columbia Records. Durante a gravação do terceiro álbum de estúdio do grupo Destiny's Child Survivor (2001), suas integrantes anunciaram que iriam lançar álbuns solo. As gravações do projeto ocorreram entre março de 2002 e março de 2003 em diversos estúdios nos Estados Unidos, durante a separação das Destiny's Child. Como produtora executiva do disco, Beyoncé assumiu um papel mais amplo em sua produção; ela co-compôs e co-produziu diversas das faixas, escolheu diversos produtores e compartilhou ideias sobre a mixagem e a masterização das canções.

Musicalmente, as faixas de Dangerously in Love apresentam misturas do uptempo e de baladas, e são inspiradas por gêneros como o R&B e soul; também são inspiradas por gêneros urbanos como o hip hop e o funk, além da música árabe. Embora Beyoncé tenha sido discreta na interpretação das canções, seus significados foram atribuídos por analistas como alusões ao relacionamento da cantora com seu atual marido e rapper Jay-Z. O disco recebeu revisões positivas pela mídia especializada, a qual prezou as habilidades vocais de Knowles, bem como elogios ao "salto artístico" de Beyoncé. Subsequentemente, Beyoncé foi nomeada a seis Grammy Awards em sua 45ª edição, vencendo cinco indicações, incluindo a de Best Contemporary R&B Album.

Dangerously in Love impulsionou a carreira de Beyoncé como uma artista solo bastante conhecida, bem como uma das cantoras com maior número de vendas na indústria musical. O disco teve um desempenho comercial favorável, listando-se entre os dez álbuns mais vendidos na Austrália, na Áustria, na Dinamarca, na Finlândia e na Suíça, enquanto liderou as tabelas de álbuns da Alemanha, do Canadá, da Europa, da Grécia e de outros nove periódicos. Nos Estados Unidos, o disco debutou na liderança da Billboard 200 vendendo 317 mil cópias em sua semana de lançamento, fazendo Beyoncé ser a artista com o maior número de vendas em sua semana de estreia entre os álbuns solo das integrantes do grupo Destiny's Child. Posteriormente, foi classificada como platina quádrupla pela Recording Industry Association of America (RIAA) ao vender quatro milhões de exemplares nos Estados Unidos. Dangerously in Love é, até hoje, o álbum mais vendido de Beyoncé, vendendo 12 milhões de cópias mundialmente.

O álbum rendeu quatro singles, em que todos classificaram-se entre as cinco canções mais vendidas nos Estados Unidos. "Crazy in Love" e "Baby Boy" atingiram a liderança da Billboard Hot 100 durante oito e nove semanas, respectivamente. Com "Crazy in Love" e Dangerously in Love, Beyoncé converteu-se na quarta artista — sendo a primeira do sexo feminino — a ter o álbum e seu respectivo single a liderar as tabelas musicais de álbuns e de singles dos Estados Unidos e do Reino Unido. A fim de promover o disco, Beyoncé entrou em sua primeira turnê solo, Dangerously in Love Tour. Em 2004, ela embarcou na turnê Verizon Ladies First Tour junto com Alicia Keys e Missy Elliot.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Beyoncé iniciou sua carreira musical como vocalista principal do grupo feminino de R&B Destiny's Child no final da década de 1990. De acordo com Corey Moss, da MTV News, "os fãs estavam ansiosos para ver como Beyoncé, depois de anos com o grupo [Destiny's Child], seria em sua carreira solo".[1] Durante a gravação do terceiro álbum de estúdio das Destiny's Child, Survivor, em 2000, Beyoncé anunciou o grupo seria colocado em hiato para que cada uma de suas integrantes pudessem produzir álbuns solo. As integrantes do grupo inicialmente planejaram que este anúncio iria despertar mais interesse no Destiny's Child.[2] A ideia dos lançamentos solo do grupo emanou seu empresário e pai de Beyoncé, Matthew Knowles.[3]

Com diferentes estilos musicais para serem produzidos por cada integrante, os álbuns não tinham intenção de competir nas tabelas musicais.[4] A gestão das Destiny's Child estrategicamente planejou o lançamento do álbum em diferentes épocas; Michelle Williams foi a primeira das integrantes a lançar seu álbum solo de estreia, intitulado Heart to Yours, em abril de 2002.[4] Enquanto isso, Beyoncé estreou nos cinemas como uma das protagonistas do longa-metragem Austin Powers in Goldmember e lançou seu primeiro single solo "Work It Out", que conta com a participação de Missy Elliott. Além de fazer parte da trilha sonora do filme.[4] Kelly Rowland colaborou com o rapper Nelly na faixa "Dilemma" como artista convidada. Após atingir sucesso comercial ao liderar a Billboard Hot 100 por sete semanas consecutivas, a gravadora de Rowland avançou o lançamento de seu primeiro álbum solo Simply Deep no final de 2002. Beyoncé também atuou em The Fighting Temptations e gravou mais um single solo. Em agosto de 2002, ela colaborou com o rapper Jay-Z em "'03 Bonnie & Clyde" e passou a namorá-lo após diversas especulações. Apesar de ser um single de Jay-Z, Beyoncé acabou por ganhar maior credibilidade e aumentou as possibilidades do lançamento de Dangerously in Love.[4] [5]

Gravação[editar | editar código-fonte]

Beyoncé cantando a faixa-título "Dangerously in Love 2", cantada originalmente por Destiny's Child.

Antes de Beyoncé começar a gravar Dangerously in Love, ela escolheu os produtores que iriam colaborar com o álbum, durante dois dias, ela teve reuniões com potenciais produtores de toda a costa oeste a costa leste e tinha entrevistas com eles.[6] Beyoncé foi para Miami para começar as sessões de gravação com o produtor canadense Scott Storch, seu primeiro colaborador,[7] ela passou a viver em um hotel de Miami, nos meses seguintes.[8] Como ela queria se concentrar para trabalhar no álbum, Beyoncé "teve seu tempo", para evitar toda a pressão, muito diferente das produções dos álbuns de Destiny's Child.[8]

Igual em Survivor, Beyoncé teve um papel mais amplo na produção de Dangerously in Love, ela co-escreveu maioria das canções, produziu uma delas e deu ideias na mixagem e master das faixas.[9] Mesmo que Beyoncé não tenha ciado o tempo, ela veio com melodias e ideias que ela compartilhou com os produtores. Com quarenta e três músicas (sendo que apenas quinze foram para o álbum)[8] Beyoncé recebe créditos como co-roteirista e co-produtora,[10] também como produtora executiva do álbum ao lado de Mathew Knowles.

Beyoncé sentiu que a gravação de um álbum sem seus companheiros de grupo foi "libertador e terapêutico", entrar em estúdio e expressar livremente suas ideias com seus colaboradores.[9] A dependência ela desenvolveu com Destiny's Child, no entanto, passaram a ser mais difícil "para estar na [sua] própria criatividade"[9] Beyoncé queria crescer como artista e ser capaz de colaborar com as pessoas, por isso ela chamou outros artistas. Depois que escreveu várias canções, ela enviou para os seus possíveis clientes cópias das canções, depois de conversar com eles por telefone para negociar uma possível colaboração, ela finalmente ganhou sua aprovação. Além do rapper Jay-Z, Beyoncé trabalhou com jamaicano Sean Paul, com a rapper americana Missy Elliott, entre outros artistas. Alguns artistas enviaram enviaram cópias de músicas para Beyoncé que foram eventualmente produzidas. Além disso, Beyoncé também trabalhou com Timbaland e Missy Elliott em uma faixa intitulada "Wrapped Around Me" feita para esse álbum, mas por razões desconhecidas, a canção não apareceu no álbum.[11]

O álbum Dangerously in Love, originalmente foi feito a partir de uma canção com o mesmo título, que foi escrita por Beyoncé para o álbum Survivor. A canção "Dangerously in Love" foi considerada "sofisticada" entre outras canções do álbum Survivor, então o grupo decidiu que essa canção não deveria ser lançada como um single do álbum. Depois que Beyoncé havia gravado algumas músicas para o álbum Dangerously in Love, ela decidiu acrescentar a música "Dangerously in Love", logo depois de ter percebido que essa canção se encaixa ao tema principal do álbum.[7] O lançamento do álbum era para acontecer em 2002, mas Beyoncé decidiu adiar o lançamento do seu álbum aproveitando o sucesso da música "Dilemma", dueto feito por Kelly e o rapper Nelly.[10] Mesmo decepcionada na época, Beyoncé afirmou:

Cquote1.svg Tudo acontece por uma razão, e eu realmente sei disso, porque se eu tivesse lançado o meu álbum ele poderia ter soado um pouco mais diferente. Cquote2.svg
Beyoncé fala sobre o adiamento do lançamento do seu álbum.[10]

No final de 2002, Beyoncé fez uma pausa nas gravações de Dangerously in Love para uma turnê de férias com o Destiny's Child.[12] Em março de 2003, Beyoncé terminou as gravações do álbum e ainda gravou com outros artistas como Sean Paul e P. Diddy.[13]

Música[editar | editar código-fonte]

Estilo musical[editar | editar código-fonte]

Pai e empresário de Beyoncé disse que Dangerously in Love exibe suas raízes musicais.[14] Enquanto Michelle e Kelly estão focadas em gospel e pop alternativo, respectivamente, Beyoncé se manteve em gravar R&B.[15] As músicas do álbum são variadas, a primeira parte do álbum são de músicas animadas e a segunda parte é de baladas.[9] [16] Em uma entrevista Beyoncé disse:

Cquote1.svg Meu álbum é um bom equilíbrio de baladas e up-tempo, com músicas realmente "sexy", com canções que fazem você se sentir emocionado. É uma boa mistura de diferentes tipos de faixas. Cquote2.svg
Beyoncé fala sobre estilo musical de seu álbum.[17]

Com músicas de alta energia como "Crazy in Love" e "Naughty Girl", no entanto, o foco do álbum é lento e melancólico.[8] Beyoncé afirmou que ela havia escrito muitas baladas no álbum.[9] De acordo com Beyoncé, ela queria ser entendida como uma artista e mostrar a ela o seu limite, na realidade, ela misturou o álbum com diversos gêneros e influências musicais.[9] O álbum inclui o R&B, hip hop, soul e rock como suas influências.[18] O álbum teve influências do hip hop a partir de Jay-Z, OutKast e Lil' Kim, o reggae é de Sean Paul e a música árabe explorada no álbum é graças a Scott.[9] Seu estudo pessoal desse tipo de música deu ao álbum uma energia do Oriente Médio.[19] Beyoncé e os produtores também utilizaram uma grande variedade de instrumentos.[18]

Lista de faixas[editar | editar código-fonte]

Edição padrão[20]
N.º Título Compositor(es) Produtor(es) Duração
1. "Crazy in Love" (com Jay-Z) Beyoncé Knowles, Rich Harrison, Shawn Carter, Eugene Record Harrison, Beyoncé 3:56
2. "Naughty Girl"   Knowles, Scott Storch, Robert Waller, Angela Beyincé, Pete Belotte, Giorgio Moroder, Donna Summer Storch, Beyoncé 3:29
3. "Baby Boy" (com Sean Paul) Knowles, Storch, Sean Paul Henriques, Waller, Carter Storch, Beyoncé 4:05
4. "Hip Hop Star" (com Big Boi e Sleepy Brown) Knowles, Bryce Wilson, Makeda Davis, Antwan Patton, Carter Wilson, Beyoncé 3:43
5. "Be With You"   Knowles, Harrison, Beyincé, Shuggie Otis, George Cliton, Jr., William Collins, Gary Cooper Harrison, Beyoncé 4:20
6. "Me, Myself and I"   Knowles, Storch, Waller Storch, Beyoncé 5:01
7. "Yes"   Knowles, Bernard Edwards, Jr., Carter Focus..., Beyoncé 4:19
8. "Signs" (com Missy Elliott) Melissa Elliott, Nisan Stewart, Craig Brockman Elliott, Brockman*, Stewart* 4:58
9. "Speechless"   Knowles, Andreao Heard, Sherrod Barnes, Beyincé Adreao "Fanatic" Herad, Barnes, Beyoncé 6:00
10. "That's How You Like It" (com Jay-Z) Delroy "D-Roy" Andrews, Brian Bridgeman, Carter, Randy DeBarge, Eldra DeBarge, Etterlene Jordan D-Roy, Mr. B, Beyoncé 3:39
11. "The Closer I Get to You" (dueto com Luther Vandross) James Mtume, Reggie Lucas Nat Adderley, Jr. 4:58
12. "Dangerously in Love 2"   Knowles, Errol McCalla, Jr. Errol "Poppi" McCalla, Jr., Beyoncé 4:53
13. "Beyoncé Interlude"   Knowles Beyoncé 0:16
14. "Gift from Virgo"   Knowles, Shuggie Otis Beyoncé 2:45
15. "Daddy" (faixa escondida) Knowles, Mark Batson Batson, Beyoncé 4:57
Duração total:
60:52

(*) denota co-produtores

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Nomeação Categoria Resultado
2004 BRIT Awards[23] Dangerously In Love Best International Female Solo Artist Venceu
BET Awards[24] "Crazy in Love" (com Jay-Z) Best Female R&B Artist Venceu
Best Collaboration Venceu
Grammy Awards[25] [26]
Record of the Year Indicado
Best Rap/Sung Collaboration Venceu
Best R&B Song Venceu
"Dangerously In Love 2" Best Female R&B Vocal Performance Venceu
Dangerously In Love Best Contemporary R&B Album Venceu
"The Closer I Get to You" (com Luther Vandross) Best R&B Performance by a Duo or Group with Vocal Venceu
2003 International Dance Music Awards[27] "Crazy in Love" (com: Jay-Z) Best R&B/Urban Dance Track Venceu
MTV Music Video Awards[28] Best Female Video Venceu
Best R&B Video Venceu
Best Choreography Venceu
Viewer's Choice Indicado
2004 "Naughty Girl" Best Female Video Venceu
2003 MTV Europe Music Awards[29] "Crazy in Love" (com: Jay-Z) Best R&B Song Venceu
Best Song of the year Venceu
2004 MTV Video Music Awards Japan[30] Best Collaboration Venceu
ASCAP Pop Music Awards[31] [32] Most performed song Venceu
2005 "Baby Boy" (com: Sean Paul) Venceu
"Me, Myself and I" Venceu
Songwriter of the Year Indicado
"Naughty Girl" Venceu
Most performed song Venceu
2004 Soul Train Music Awards"[33] Dangerously In Love Best R&B/Soul Album Venceu
Nickelodeon Kids' Choice Awards[34] "Crazy in Love" (com Jay-Z) Favorite Female Performer Venceu
2003 "Vibe Awards"[35] Coolest Collaboration Venceu

Precessão e sucessão[editar | editar código-fonte]

Gráficos de sucessão
Precedido por
"Family Affair" por Mary J. Blige
Best R&B/Urban Dance Track no International Dance Music Awards
("Crazy in Love")

2003 – 2004
Sucedido por
"Yeah!" por Usher com Lil Jon & Ludacris
Precedido por
"Get The Party Started" por Pink
Best Female Video no MTV Video Music Award
("Crazy in Love")

2003 – 2004
Sucedido por
"Naughty Girl" por Beyoncé
Precedido por
"No More Drama" por Mary J. Blige
Best R&B Video no MTV Video Music Award
("Crazy in Love")

2003 – 2004
Sucedido por
"If I Ain't Got You" por Alicia Keys
Precedido por
"Can't Get You Out Of My Head" por Kylie Minogue
Best Choreography no MTV Video Music Award
("Crazy in Love")

2003 – 2004
Sucedido por
"Hey Mama" por Black Eyed Peas
Precedido por
"Get the Party Started" por Pink
Best Song no MTV Europe Music Awards
("Crazy in Love")

2003 – 2004
Sucedido por
"Hey Ya!" por Outkast
Precedido por
"Beautiful" por Snoop Dogg com Pharrell
Best Collaboration no BET Awards
("Crazy in Love")

2004 – 2005
Sucedido por
"1, 2 Step" por Ciara com Missy Elliott
Precedido por
"Gimme The Light" por Sean Paul
Best International Video Artist no MuchMusic Video Awards
("Crazy in Love")

2004 – 2005
Sucedido por
"Caught Up" por Usher
Precedido por
"Good Life" por Suite Chic com Firstklas
Best Collaboration no MTV Video Music Awards Japan
("Crazy in Love")

2004 – 2005
Sucedido por
"Numb/Encore" por Jay-Z e Linkin Park
Precedido por
"Dilemma" por Nelly com Kelly Rowland
Best Rap/Sung Collaboration no Grammy Award
("Crazy in Love")

2004 – 2005
Sucedido por
"Yeah!" por Usher com Ludacris e Lil Jon
Precedido por
"Love Of My Life (An Ode To Hip Hop)" por Erykah Badu com Common
Best R&B Song no Grammy Award
("Crazy in Love")

2004 – 2005
Sucedido por
"You Don't Know My Name" por Alicia Keys

Créditos[editar | editar código-fonte]

Lista-se abaixo os profissionais envolvidos na elaboração de Dangerously in Love, de acordo com encarte do álbum:

Desempenho[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

Ano Single Melhor posição Certificações
EUA
[36]
EUA Dance
[36]
AUS
[37]
AUT
[38]
CAN
[36]
FRA
[39]
GER
[40]
NZ
[41]
SWI
[42]
UK
[43]
2003 "Crazy in Love" 1 1 2 8 2 21 6 2 3 1
"Baby Boy" 1 2 3 18 8 2 5 2
"Me, Myself and I" 4 3 11 51 7 35 18 41 11
2004 "Naughty Girl" 3 1 9 29 2 18 16 6 18 10
"—" denotas não entrou na tabela musical do país.

Precessão e sucessão[editar | editar código-fonte]

Gráficos de sucessão
Precedido por
St. Anger de Metallica
Primeira posição na Irish Albums Chart
26 de Junho de 2003
Sucedido por
So Much for the City de The Thrills
Precedido por
Fallen de Evanescence
Primeira posição na UK Albums Chart
5 de Julho - 2 de Agosto de 2003
Sucedido por
Magic and Medicine de The Coral
Precedido por
After the Storm de Monica
Primeira posição na Billboard 200
12 de Julho de 2003
Sucedido por
Chapter II de Ashanti
Precedido por
St. Anger de Metallica
Primeira posição na Norwegian Albums Chart
14 de Julho de 2003
Sucedido por
The Second You Sleep de Saybia
Precedido por
St. Anger de Metallica
Primeira posição na German Albums Chart
26 de Julho - 9 de Agosto de 2003
Sucedido por
Tour de France Soundtracks de Kraftwerk
Precedido por
St. Anger de Metallica
Primeira posição na European Top 100 Albums
26 de Julho - 20 de Setembro de 2003
Sucedido por
'Dance of Death' de Iron Maiden

Referências

  1. Moss, Corey. Beyoncé: Genuinely In Love – Part 1 (em inglês) MTV News. MTV Networks. Visitado em 9 de maio de 2008.
  2. vanHorn, Teri (8 de dezembro de 2000). Destiny's Child Solo CDs Won't Compete With Group, Each Other (em inglês) MTV News. MTV Networks. Visitado em 24 de abril de 2008.
  3. Kelly Rowland pursues her own destiny (em inglês) CNN. Turner Broadcasting System (13 de janeiro de 2003). Visitado em 22 de maio de 2008.
  4. a b c d Kaufman, Gil (13 de junho de 2005). Destiny's Child's Long Road To Fame (The Song Isn't Called 'Survivor' For Nothing) (em inglês) MTV News. MTV Networks. Visitado em 24 de abril de 2008.
  5. Louie, Rebecca (6 de agosto de 2007). Crazy in love with Beyonce (em inglês) Daily News Daily News, L.P. Visitado em 8 de maio de 2008.
  6. Uh-oh! Uh-oh! Uh-oh! Guardian. Visitado em 3 de Abril de 2010.
  7. a b The Making of Dangerously in Love. Columbia Records. Acessado em 2003.
  8. a b c d Destiny's Adult TIME. Visitado em 3 de Abril de 2010.
  9. a b c d e f g Beyoncé's debut Album, Dangerously in Love (em Inglês) Thread. Visitado em 08 de Maio de 2008.
  10. a b c Beyoncé: Genuinely In Love – Part 2 MTV. Visitado em 3 de Abril de 2010.
  11. Beyonce Working It With Missy Elliott On Solo Album MTV. Visitado em 3 de Abril de 2010.
  12. Beyonce Working It With Missy Elliott On Solo Album MTV. Visitado em 9 de Abril de 2010.
  13. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas MTV_News_2
  14. Beyonce Pushes Up Release Date Of Solo Debut MTV. Visitado em 22 de Abril de 2010.
  15. Beyoncé's Second Date With Destiny's Child The New York Times. Visitado em 22 de Abril de 2010.
  16. MUSIC; The Solo Beyoncé: She's No Ashanti New York Times. Visitado em 22 de Abril de 2010.
  17. Beyonce Smitten By Triplets, Hungry Unknowns At Dance Audition MTV. Visitado em 22 de Abril de 2010.
  18. a b "Destiny's Child Attack The Movies, Broadway; Plan New Album" MTV. Visitado em 22 de Abril de 2010.
  19. "Scott Storch's Outrageous Fortune" Rolling Stone. Visitado em 22 de Abril de 2010.
  20. Dangerously in Love Allmusic. Visitado em 6 de Março de 2010.
  21. Dangerously in Love (Import Bonus Tracks) Allmusic. Visitado em 6 de Março de 2010.
  22. Dangerously in Love (Japan Bonus Tracks) Allmusic. Visitado em 6 de Março de 2010.
  23. "Brits 2004: The winners", BBC News, 2004-02-17.
  24. "Beyonce, Jay-Z Reign At BET Awards", CBS News, 2004-06-30.
  25. Beyonce Knowles biography, information, news, pics (pictures), links and products (music) Popstarsplus.com. Visitado em 2010-10-24.
  26. "Beyonce tops with five Grammys", CNN, 2004-02-08.
  27. Winter Music Conference - 19th Annual International Dance Music Awards Dancemusic.about.com (2010-06-11). Visitado em 2010-10-24.
  28. MTV Video Music Awards | Show Highlights, Winners, Performers, Hosts and More From Past Video Music Awards MTV.com. Visitado em 2010-10-24.
  29. "MTV Europe Music Awards: The winners", BBC News, 2003-11-06.
  30. 音楽のことならMTVJAPAN.com | 邦楽・洋楽・イベントなどの音楽エンターテイメント Mtvjapan.com (2010-10-13). Visitado em 2010-10-24.
  31. ASCAP 2004 Pop Music Awards Ascap.com. Visitado em 2010-10-24.
  32. ASCAP 2005 Pop Music Awards: Winners List Ascap.com. Visitado em 2010-10-24.
  33. 2004 Soul Train Music Awards Metrolyrics.com (2004-03-20). Visitado em 2010-10-24.
  34. Who Won Nickelodeon Kids Choice Awards in 2004? Whowonwhen.com (2004-04-03). Visitado em 2010-10-24.
  35. The 411/2003 Vibe Awards The411online.com. Visitado em 2010-10-24.
  36. a b c Beyoncé > Charts & Awards > Billboard Singles Allmusic. Rovi Corporation (2003–2010). Visitado em 2011-03-08.
  37. Beyoncé Singles Discography Australian Recording Industry Association. Hung Medien. Visitado em 2011-03-08.
  38. Beyoncé Singles Discography Ö3 Austria Top 40. Hung Medien. Visitado em 2011-03-08.
  39. Beyoncé Singles Discography Syndicat National de l'Édition Phonographique. Hung Medien (2003–2010). Visitado em 2011-03-08.
  40. Beyoncé Singles Discography Media Control Charts. Musicline.de (2002–2010). Visitado em 2011-03-08.
  41. Beyoncé Singles Discography Recording Industry Association of New Zealand. Hung Medien. Visitado em 2011-03-08.
  42. Beyoncé Singles Discography Swiss Music Charts. Hung Medien (1999–2010). Visitado em 2011-03-08.
  43. Beyoncé Singles Discography The Official Charts Company. Visitado em 2011-03-08. Cópia arquivada em 2012-05-27.
  44. ARIA Charts - Accreditations - 2003 Singles Australian Recording Industry Association. Visitado em 2011-03-08.
  45. New Zealand Portal Recording Industry Association of New Zealand. Visitado em 2011-03-08.
  46. Beyoncé – Crazy in Love Recording Industry Association of America (2004-10-22). Visitado em 2011-03-08.
  47. Certified Awards Search British Phonographic Industry. Visitado em 2011-03-08.
  48. ARIA Charts – Accreditations – 2003 Singles Australian Recording Industry Association. Visitado em March 08, 2011.
  49. Gold and Platinum Recording Industry Association of America. Visitado em March 08, 2011.
  50. Gold and Platinum Recording Industry Association of America. Visitado em March 08, 2011.
  51. ARIA Charts - Accreditations - 2004 Singles Australian Recording Industry Association. Visitado em March 08, 2011.
  52. Top 40 Singles Recording Industry Association of New Zealand. Visitado em March 08, 2011.
  53. Gold and Platinum : Naughty Girl - Beyoncé Recording Industry Association of America. Visitado em March 08, 2011.
  54. a b c d e f g h i j k l m n Beyoncé – Dangerously In Love 'Ultratop' Hung Medien. Visitado em November 17, 2010.
  55. a b c Dangerously in Love – Beyoncé Billboard Nielsen Business Media, Inc. Visitado em November 17, 2010.
  56. Sexton, Paul (July 28, 2003). Bedingfield Bounces Beyonce On U.K. Charts Billboard Nielsen Business Media, Inc. Visitado em April 21, 2010.
  57. Musicline.de – Chartverfolgung – Beyonce – Dangerously In Love (em german) 'Media Control' PhonoNet GmbH. Visitado em November 17, 2010.
  58. Você deve especificar url = ao usar a
    Predefinição:Citar web. Parâmetros disponíveis:

    {{citar web
    |url =             |ano =
    |titulo =          |mes =
    |acessodata =      |formato =
    |acessodiames =    |obra =
    |acessomesdia =    |publicado =
    |acessoano =       |paginas =
    |autor =           |lingua =
    |ultimo =          |doi =
    |primeiro =        |arquivourl =
    |autorlink =       |arquivodata =
    |coautores =       |citacao =
    |data =
    }}
    
    (em greek) IFPI Greece. Visitado em November 17, 2010. Cópia arquivada em April 14, 2004.
  59. Top 40 album- és válogatáslemez-lista – 2003. 37. hét (em hungarian) Mahasz. Visitado em April 22, 2010.
  60. Top 75 Artist Album, Week Ending 26 June 2003 'Irish Recorded Music Association' Chart-Track. Visitado em November 17, 2010.
  61. Dangerously In Love – Beyoncé (em japanese) Oricon. Visitado em April 21, 2010.
  62. Oficjalna lista sprzedaży OLiS (August 18, 2003). Visitado em November 17, 2010.
  63. Chart Stats – Beyonce – Dangerously In Love 'The Official Charts Company' Chart Stats. Visitado em November 17, 2010. Cópia arquivada em May 27, 2012.
  64. Top 75 Artist Album, Week Ending 30 June 2011 Irish Recorded Music Association. Chart-Track. Visitado em July 1, 2011.
  65. Music Video Top 40 UK Video Charts. Visitado em 05 de Dezembro de 2010.
  66. FPI Germany – Gold/Platin-Datenbank Bundesverband Musikindustrie. Visitado em 24 de Abril de 2010.
  67. CAPIF – Discos de Oro y Platino Argentine Chamber of Phonograms and Videograms Producers. Visitado em 24 de Abril de 2010.
  68. ARIA Charts – Accreditations – 2011 Albums Australian Recording Industry Association. Visitado em September 7, 2011.
  69. IFPI Austria – Gold & Platin Datenbank IFPI. Visitado em 24 de Abril de 2010.
  70. Ultratop – Gold and platinum certifications – Singles – 2004 Ultratop. Visitado em 24 de Abril de 2010.
  71. CRIA: Gold & Platinum – October 2003 CRIA. Visitado em 24 de Abril de 2010.
  72. RIAA – Gold & Platinum Recording Industry Association of America. Visitado em 24 de Abril de 2010.
  73. November 2003 – Platinum Europe Awards International Federation of the Phonographic Industry. Visitado em 24 de Abril de 2010.
  74. Certifications Albums Double Or – Année 2005 Syndicat National de l'Édition Phonographique. Visitado em 24 de Abril de 2010.
  75. Beyonce-Gold in Greece! Sony Music Entertainment Greece. Visitado em 24 de Abril de 2010.
  76. NVPI – Goud/Platina NVPI. Visitado em 24 de Abril de 2010.
  77. Recording Industry Association of Japan – List of works certified Gold in July 2003 Recording Industry Association of Japan. Visitado em 24 de Abril de 2010.
  78. IFPI Norway – Salgstrofeer International Federation of the Phonographic Industry. Visitado em 24 de Abril de 2010.
  79. New Zealand Top 50 Albums (veja "Chart #1370 – Sunday 10 August 2003" Recording Industry Association of New Zealand. Visitado em 24 de Abril de 2010.
  80. BPI Certified Awards British Phonographic Industry. Visitado em 24 de Abril de 2010.
  81. Gold and Platinum International Albums in Russia – 2003 2M. Visitado em 24 de Abril de 2010.
  82. IFPI Sweden – Guld & Platina – År 2003 International Federation of the Phonographic Industry. Visitado em 24 de Abril de 2010.
  83. Swiss Certifications – Awards 2004 International Federation of the Phonographic Industry. Visitado em 24 de Abril de 2010.
  84. ARIA Charts – End Of Year Charts – Top 100 Albums 2003 Australian Recording Industry Association. Visitado em May 8, 2008.
  85. Jaaroverzichten 2003 (em dutch) 'Ultratop' Hung Medien. Visitado em November 17, 2010.
  86. Myydyimmät ulkomaiset albumit vuonna 2003 (em finnish) 'YLE' International Federation of the Phonographic Industry. Visitado em November 17, 2010.
  87. Classement Albums – année 2003 (em french) Syndicat National de l'Édition Phonographique. Visitado em November 17, 2010.
  88. Összesített album- és válogatáslemez-lista – chart-pozíció alapján 2003 (em hungarian) Mahasz. Visitado em November 17, 2010.
  89. Top 20 Albums of 2003 Irish Recorded Music Association. Visitado em November 17, 2010.
  90. Annual Top 50 Albums Chart 2003 Recording Industry Association of New Zealand. Visitado em November 17, 2010. Note: The reader must select "2003" → "Albums".
  91. Årslista Album – År 2003 Swedish Recording Industry Association. Visitado em November 17, 2010.
  92. Swiss Year-End Charts 2003 'Media Control' Hung Medien. Visitado em November 17, 2010.
  93. UK Yearly Best Selling Albums (1999-2009) British Phonographic Industry. Visitado em August 26, 2011.
  94. 2003 Year End Charts – Top Billboard 200 Albums Billboard Nielsen Business Media, Inc (December 27, 2003). Visitado em November 17, 2010.
  95. Top 50 Global Best Selling Albums for 2003 International Federation of the Phonographic Industry. Visitado em November 17, 2010.
  96. Decade End Charts – Billboard 200 Albums Billboard Nielsen Business Media, Inc. Visitado em November 17, 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]