Dardânia (Europa)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Dardânia (Bálcãs))
Ir para: navegação, pesquisa
Região da Dardânia, ainda parte da Mésia Superior, num mapa de 1886.

Dardânia (em albanês: Dardania; em sérvio e macedônio: Дарданија, Dardanija; em em grego: Δαρδανία; transl.: Dardania) foi uma região histórica que abrangia os atuais territórios do sul da Sérvia (incluindo Kosovo), o norte da República da Macedônia (incluindo sua capital, Escópia) e o nordeste da Albânia.

Alguns acadêmicos, como o geólogo austríaco Ami Boué, sustentam que o nome da Dardânia viria de uma palavra ilíria, que teria evoluído para o albanês dardhë ("pera", em português).

População[editar | editar código-fonte]

A região era habitada por ilírios, celtas[1] [2] e trácios[2] [3] . Os habitantes originais da região eram parte da tribo dos dardânios (dardani), tida por alguns estudiosos como uma subdivisão dos ilírios, possivelmente após misturarem-se com os trácios.

Dardânia romana e bizantina[editar | editar código-fonte]

Provincia Dardania
Província da Dardânia
Província do(a) Império Romano e do Império Bizantino

293-Séc. VII
Location of Dardânia
Mapa da Diocese da Dácia volta de 400, mostrando a nova divisão de Diocleciano.
Capital: Scupi
Período : Antiguidade Tardia
 -  Reformas de Diocleciano 293
 -  Invasões eslavas dos Balcãs Séc. VII
681

Depois da conquista romana da Ilíria em 168 a.C., a região foi colonizada por romanos e diversas cidades foram fundadas na região[4] . A região foi conquistada pelos romanos em 28 a.C. e tornou-se parte da província romana da Mésia, que constituía a fronteira entre as províncias da Ilíria e a Macedônia.

A partir de 238, a Mésia passou a ser constantemente invadida ou atacada pelos cárpios (carpi) e godos.

Durante a reforma administrativa de Diocleciano (r. 284-311) e Constantino (r. 306-337), a Diocese da Mésia foi criada abrangendo a maior parte da região central dos Balcãs e da península da Grécia. Depois de uns poucos anos, porém, ela foi dividida em duas, formando a Diocese da Macedônia e a Diocese da Dácia, esta última subdividida nas províncias da Dácia Mediterrânea, Mésia Inferior, a Dardânia, Prevalitana e a Dácia Ripense.

Pressionados pelos hunos, os godos cruzaram novamente o Danúbio - eles já haviam invadido em 250 - durante o reinado de Valente (376) e, com permissão imperial, assentaram-se na Mésia como federados Contudo, a Dardânia desta fase tardia não incluía mais sua porção oriental, a chamada Dácia Aureliana[5] .

A Dardânia permaneceu sob controle do Império Bizantino até o início do século VII, quando a invasão eslava dos Balcãs acabou com a autoridade bizantina na maior parte da península balcânica. Desde então, deixou de existir como entidade administrativa segregada.

Cidades[editar | editar código-fonte]

As maiores cidades da Dardânia na época romana eram Ulpiana (atual Pristina, capital do Kosovo), Theranda, Viciano, Scupi (Escópia, na República da Macedônia)[6] , a capital da província, Vindenis e Velanis. Nesta época, Naísso (Niš, na moderna Sérvia)[7] , um antigo assentamento celta, era a cidade mais importante da província. Os romanos fundaram ainda a cidade mineira de Município Dardânico[8] (Socanica perto do vale do Ibar), que estava intimamente ligado à forja conhecida como Metalla Dardanica[8] .

Dácios[9] também viveram na região, principalmente na cidade de Quemedava.

Sés episcopais[editar | editar código-fonte]

As sés episcopais da província que aparecem no Annuario Pontificio como sés titulares são[10] :

Influência[editar | editar código-fonte]

Os kosovares representam a Dardânia como o berço do Kosovo, e as escolas albanesas da região ensinam os seus alunos que eles são os descendentes dos dardânios, coincidindo as fronteiras da antiga Dardânia com as do Kosovo atual (que só foram determinadas em 1945).

Referências

  1. "The central Balkan tribes in pre-Roman times: Triballi, Autariatae, Dardanians, Scordisci and Moesians" de Fanula Papazoglu, ISBN 90-256-0793-4, page 265
  2. a b Pannonia and Upper Moesia: a history of the middle Danube provinces of the Roman Empire The Provinces of the Roman Empire Tome 4, ISBN 0710077149, 9780710077141, 1974, page 9
  3. Wilkes, J. J. The Illyrians, 1992, ISBN 0-631-19807-5, page 85
  4. Hauptstädte in Südosteuropa: Geschichte, Funktion, nationale Symbolkraft by Harald Heppner, page 134
  5. Starinar,Books 45-46,by Srpsko arheološko društvo,Arheološki institut (Belgrade, Serbia), page 33
  6. The Illyrians by J. J. Wilkes, 1992, ISBN 0-631-19807-5, page 49
  7. Naissos
  8. a b The Illyrians by J. J. Wilkes, 1992, ISBN 0-631-19807-5, page 258
  9. Ethnic continuity in the Carpatho-Danubian area by Elemér Illyés, 1988, ISBN 0-88033-146-1, page 223
  10. Annuario Pontificio 2013 (Libreria Editrice Vaticana 2013 ISBN 978-88-209-9070-1), "Sedi titolari", pp. 819-1013