Decadência urbana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wiki letter w.svg
Por favor melhore este artigo ou secção, expandindo-o. Mais informação pode ser encontrada nos artigos correspondentes noutras línguas e também na página de discussão. (outubro de 2012)
Uma das ruas degradadas de Camden, Nova Jersey, Estados Unidos.

Decadência urbana é o processo pelo qual a área de uma cidade, ou até mesmo uma cidade inteira, cai em desuso ou decrepitude. As causas podem ser variadas, como desindustrialização, declínio populacional, mudança da população, reestruturação econômica, abandono de edifícios, localidades com altas taxas de desemprego, fragmentação familiar, cassação política e altas taxas de criminalidade, resultando numa paisagem inóspita e desoladora. Desde a década de 1970 e 1980 a deterioração urbana tem sido associada com as cidades ocidentais, especialmente da América do Norte e partes da Europa. Desde essa época, importantes mudanças estruturais nas economias globais, transportes e políticas governamentais, criaram as condições econômicas, e em seguida sociais, que resultaram na decadência urbana.[1]

A decadência é resultado de diversas condições sócio-econômicas. Uma ferrovia ou obra viária construída em má localização, o aumento da pobreza da população local, despovoamento e mudanças de empresas das áreas centrais para a periferia, suburbanização e até mesmo restrições xenofóbicas de imigração no passado podem causar a degradação de regiões inteiras.[2] [3] [4]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Decadência urbana

Referências

  1. Urban Sores: On the Interaction Between Segregation, Urban Decay, and Deprived Neighbourhoods, por Hans Skifter Andersen. ISBN 0-7546-3305-5. 2003.
  2. The Power Broker: Robert Moses and the Fall of New York, por Robert Caro, p.522.
  3. How East New York Became a Ghetto by Walter Thabit. ISBN 0-8147-8267-1. Página 42.
  4. Comeback Cities: A Blueprint for Urban Neighborhood Revival por Paul S. Grogan, Tony Proscio. ISBN 0-8133-3952-9. Publicado em 2002. pp.139-145.