Deir el-Bahari

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Djeser-Djeseru, no templo de Hatshepsut, ponto focal do complexo.
Plano do sítio de Deir el-Bahari.

Deir el-Bahari ou Deir el-Bahri (em árabe: الدير البحري, transl. ad-dayr al-baḥrī, lit. "Mosteiro do Norte") é um complexo de sepulturas e templos mortuários dos antigos egípcios situados na margem ocidental do rio Nilo, no lado oposto à cidade de Luxor, no Egito.

O primeiro monumento construído no sítio foi o templo mortuário de Mentuhotep II, na XIX Dinastia.

Durante a XVIII Dinastia Amenófis I e Hatshepsut também construíram no local.

O ponto focal do complexo de Deir el-Bahari é o Djeser-Djeseru (lit. "Santo dos Santos"), templo mortuário da rainha Hatshepsut. É uma estrutura cercada por colunas, projetada e implementada por Senemut, criado real e arquiteto da rainha (e, segundo alguns, seu amante),[carece de fontes?] para servir para seu culto póstumo e honrar a glória do deus Amon.

O Djeser-Djeseru se localiza sobre uma série de terraços cercados por colunas, que são acessados por meio de longas rampas decoradas com jardins. Foi construído dentro da face de um penhasco que se ergue sobre sua estrutura, e é considerado um dos "monumentos incomparáveis do Egito Antigo".[1]

Referências

  1. Trachtenberg, Marvin e Isabelle Hyman. Architecture, from Prehistory to Postmodernity. Itália: Prentice-Hall Inc., 2003. p. 71. ISBN 978-0810906075.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Deir el-Bahari

25° 44′ N 32° 36′ E

Ícone de esboço Este artigo sobre arquitetura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.