Demografia da África

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Março de 2009).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde Março de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Mapa da África mostrando Índice de Desenvolvimento Humano (2004).
A expectativa de vida está abaixo de 50 anos na maior parte dos países africanos, e abaixo de 60 anos, em todos os países, exceto para a África do Norte.
A maioria dos países africanos tem taxas de crescimento anual da população acima dos 2%.

A população da África tem crescido exponencialmente ao longo do último século, e consequentemente mostra uma população muito jovem, ainda reforçado por uma baixa expectativa de vida abaixo de 50 anos na maioria dos países africanos. (Ver Anexo:Lista de países por expectativa de vida); de acordo com a CIA Factbook 2006, 28 de 53 países mostram uma expectativa de vida ao nascer abaixo de 50 anos, 43 de 53 abaixo de 60 anos; em Lesoto, Botswana e Suazilândia abaixo de 35 anos.

O total da população da África é estimado em 922 milhões (a partir de 2005). Ela duplicou nos últimos 28 anos, e se quadruplicou nos últimos 55 anos (estimativas dsa Nações Unidas: [2]). Crê-se que tenha alcançado os mil milhões antes de 2010[1] . O mais populoso país africano é a Nigéria com 133 milhões de habitantes (em 2006), seguido pelo Egito (83 milhões) e Etiópia (77 milhões).

Vários países, como a Libéria, Burundi, Uganda, a República Democrática do Congo, Madagáscar e o Burkina Faso têm taxas de crescimento anual da população acima dos 3%.

35 dos 54 países africanos são contados entre "países menos desenvolvido" do mundo.

O total da população da África é de mais de 900 milhões de habitantes, distribuídos em 54 países e representando cerca de um sétimo da população do mundo. Abaixo alguns índices relativos à população do continente (ano a que se referem):

Principais indicadores populacionais[editar | editar código-fonte]

  • Área total em km²: 30 272 922
  • População: 1 000 010 0001 (2005, 2°)
  • Densidade (habitantes/km²): 25,88 (2000)
  • População urbana: 289 964 000 (37%)
  • População rural: 493 731 000 (63%)
  • Taxa de crescimento urbano (1995-2000): 4,3%
  • Analfabetismo: 40,3% (2000)
  • Natalidade: (% hab): 37% (1998)
  • Mortalidade: (% hab): 13 (1998)
  • PIB Total: US$ 517 104 000,00 (1998)
  • PIB per capita: US$ 693.00 (1998)
  • Religiões principais:
  • Média de idade da população: 18,3 anos (1998)

Maiores cidades africanas:

)

os melhores da tercera sao os tic nours C, M e A

==África Subsaariana==marcos alander e cidio e nois

A Mortalidade infantil na África está na taxa de 9% e de mortalidade infantil abaixo de 5 anos em 15%.[1]

Mais de 40% da população têm menos de 15 anos na maior parte dos países subsarianos, com a exceção da África do Sul,[2] , em Uganda não menos que 50% (comparando com 20% nos EUA).

A mortalidade infantil é alta, com não menos que 190 mortes por 1000 nados-vivos em Angola, e entre 25% e 50% desnutridas na Tanzânia, Quênia, Sudão, Moçambique, Madagáscar, Zimbabwe, Zâmbia, Angola e outros países.

AIDS é um problema generalizado na África subsariana, com cerca de 11% da população adulta infectada.

Etnicidade[editar | editar código-fonte]

Falantes de línguas bantu (parte da família Níger-Congo) são a maioria na África Negra. Mesmo assim, também existem vários grupos nilóticos na África Oriental e alguns coisanídeos e pigmeus no sul e no centro do continente, respectivamente,cidio marcos e alander e nois

A África do Sul tem a maior população de brancos, indianos e mestiços na África. Pessoas com ascendência europeia incluem descendentes de neerlandeses, alemães e ingleses, principalmente. A população de Madagáscar é de origem austronésia e africana, e a área do sul do Sudão é habitada por povos nilóticos.

Lista das principais línguas da África subsariana e número total de falantes (em milhões)
África Oriental
África Ocidental
Sudoeste
África Central

Norte da África[editar | editar código-fonte]

A população da África Branca pertence a três grupos principais; os povos berberes ao sul e os árabes no norte. Os árabes chegaram ao norte da África no século VII e introduziram a língua árabe e o Islão no continente. Outros grupos importantes para a formação étnica do norte africano foram os fenícios, gregos, romanos e vândalos, que também estabeleceram colônias no norte, especialmente no litoral do Mar Mediterrâneo.

Os berberes estão presentes em Marrocos, na Argélia, na Tunísia e na Líbia. Os tuaregues e outros povos nômades podem ser encontrados no interior do continente, a sul do deserto do Saara. Os núbios vivem na parte nordeste do continente, mais precisamente no Egito.

Durante o século passado, pequenas colônicas de libaneses, indianos e chineses formaram-se nas costas da África Ocidental e da África Oriental e tornaram-se relativamente importantes para a economia de alguns países.

Alguns grupos da Etiópia e da Eritreia (como os povos Amhara e trigrayanos, coletivamente conhecidos como "Habesha") falam línguas semíticas. Os oromo e somalis falam línguas cuchíticas, mesmo que alguns clãs somalis prefiram o árabe de seus legendários ancestrais.

Sudão e Mauritânia são países divididos entre um norte árabe e um sul africano (mesmo que muitos "árabes" do Sudão tenham claramente raízes africanas). Algumas áreas da África Oriental, como a ilha de Zanzibar e a ilha de Lamu, também receberam muçulmanos árabes e colonos e mercadores asiáticos durante a Idade Média.

Ver também[editar | editar código-fonte]

os tic nours e nois cidio marcos alander

Notas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]