Deodápolis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Deodápolis
Bandeira de Deodápolis
Brasão de Deodápolis
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 13 de maio
Fundação 13 de maio de 1976 (37 anos)
Emancipação 13 de maio de 1976
Gentílico deodapolense
Padroeiro(a) Nossa Senhora Aparecida
Prefeito(a) {{{prefeito}}} (PT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Deodápolis
Localização de Deodápolis no Mato Grosso do Sul
Deodápolis está localizado em: Brasil
Deodápolis
Localização de Deodápolis no Brasil
22° 16' 33" S 54° 09' 54" O22° 16' 33" S 54° 09' 54" O
Unidade federativa  Mato Grosso do Sul
Mesorregião Sudoeste de Mato Grosso do Sul IBGE/2008 [1]
Microrregião Iguatemi IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes ao norte: com o município de Rio Brilhante;
ao sul: com os municípios de Glória de Dourados e Fátima do Sul;
ao leste: com os municípios de Ivinhema e Angélica;
ao oeste: com o município de Dourados.
Distância até a capital federal: 1 400 km
estadual: 266
km
Características geográficas
Área 831,263 km² (MS: 70º)[2]
Área urbana 2,376 km² (MS: 38º) – est. Embrapa[3]
Distritos Deodápolis (sede), Lagoa Bonita, Porto Vilma, Presidente Castelo e Vila União
População 12 200 hab. (MS: 45º) –  est. IBGE 2011[4]
Densidade 14,676 hab/km²
Altitude 418 m
Clima tropical Aw
Fuso horário UTC−4
Indicadores
IDH-M 0,739 (MS: 37º) – alto PNUD/2000 [5]
Gini 0,430 (MS: 26º) – est. IBGE 2003[6]
PIB R$ 98 966,134 mil (MS: 53º) – IBGE/2008[7]
PIB per capita R$ 8,541 87 IBGE/2008[7]
Página oficial

Deodápolis é um município brasileiro da região Centro-Oeste, situado no estado de Mato Grosso do Sul.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localização[editar | editar código-fonte]

O município de Deodápolis está situado no sul da região Centro-Oeste do Brasil, no Sudoeste de Mato Grosso do Sul (Microrregião de Iguatemi). Localiza-se a uma latitude 22º16'32" sul e a uma longitude 54º09'54" oeste. Distâncias:

Geografia física[editar | editar código-fonte]

Solo

Latossolo roxo.

Relevo e altitude

Está a uma altitude de 418 m.

Clima, temperatura e pluviosidade

Está sob influência do clima tropical (AW).

Hidrografia

Está sob influência da Bacia do Rio da Prata.

Vegetação

Se localiza na região de influência do Cerrado.

Geografia política[editar | editar código-fonte]

Fuso horário

Está a -1 hora com relação a Brasília e -4 com relação a Greenwith.

Área

Ocupa uma superfície de de 831,263 km², que representa 0,23% do Estado.

Subdivisões

Deodápolis tem como subdivisões os seguintes distritos além da sede:

Arredores
  • Ao Norte: com o município de Rio Brilhante;
  • Ao Sul: com os municípios de Glória de Dourados e Fátima do Sul;
  • Ao Leste: com os municípios de Ivinhema e Angélica;
  • Ao Oeste: com o município de Dourados.

História[editar | editar código-fonte]

Deodápolis começou a ser colonizada em 20 de maio de 1956, quando 300 homens estavam ocupando uma área inicial de 240 hectares, mas devido ao grande número de famílias a área totalizou 9.100 hectares. A colônia foi dividida em módulos (2.972 módulos de 30 hectares, 25 de 30 á 50 hectares e 6 lotes com mais de 50 hectares). Em 1959 passou a ser distrito de Vila Glória pela Lei Estadual 1.197. Em 11 de novembro de 1963, passou a pertencer ao município de Glória de Dourados. Em janeiro de 1970 a população da região já era de 47.815 habitantes, sendo 36.412 na zona rural e 11.403 na zona urbana. Encarando o objetivo de ocupar novas terras e superando dificuldades, pouca a pouco a região tomara ares de cidade na 11ª linha que mais tarde foi batizada como Vila Bandeirantes.

E seus pioneiros recebiam garantias de bons preços para quem plantassem, diversificando a agricultura (plantaram arroz, amendoim, feijão, milho, mamona, mandioca, batata-doce, cana-de-açúcar, café, araruta, algodão, entre outros). Apesar da precariedade, o movimento era muito grande e conseguiam transportar os seus produtos por estradas e transportes através de pequenas e médias embarcações em Porto Vilma à outros portos dos grandes centros consumidores. Com isso, a pequena vila em grande centro comercial (com farmácias, armazéns, padarias, lojas de tecidos, lojas de armarinhos), industrial (fábricas artesanais, madeira, calçados, olarias, entre outros) e cultural (cinema, desfiles Cívicos, festas Juninas e Folias de Reis). Foi quando surgiu a idéia de mudar o nome de Vila Bandeirantes, para Vila Novo Horizonte pois, de fato, era um novo horizonte que se abria para esta gente batalhadora.

Mas a população crescente não se intimidava e insistia cada vez mais no desenvolvimento da então Vila Novo Horizonte, pois de fato novas perspectivas abriam-se para novos brasileiros (nordestinos e paulistas) e estrangeiros (paraguayos). Com o passar do tempo os frutos da perseverança apareciam: As safras de algodão eram sinônimas de prosperidade, aumentando a movimentação de dinheiro e pessoas. A então Vila Novo Horizonte passaria a chamar-se Vila Deodápolis já com a motivação para a criação de um novo município e em 13 de maio de 1976 o então Governador do Estado de Mato Grosso José Garcia Neto sancionava a Lei Estadual nº 3.690. Era instituído o Município de Deodápolis, abrangendo a Vila Deodápolis e comunidades adjacentes (Lagoa Bonita, Presidente Castelo, Vila União e Porto Vilma), ficando assim o município com 31.520 habitantes.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

O nome Deodápolis foi uma homenagem á Deodato Leonardo da Silva, que foi um dos primeiros pioneiros da região

  • Deoda = Deodato
  • Polis = Cidade
Tradução
Cidade do Deodato

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Urbanização das cidades brasileiras. Embrapa Monitoramento por Satélite. Página visitada em 30 de Julho de 2008.
  4. Estimativa Populacional 2011. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2011). Página visitada em 13 de setembro de 2011.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  6. Indice GINI. Cidade Sat. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2000). Página visitada em 06 de agosto de 2011.
  7. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons