Deriva do SY Aurora

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
SY Aurora, ancorado no gelo antártico.
1914–1917: Mapa com as rotas marítimas dos navios Endurance, Aurora e James Caird; a rota terrestre planeada do grupo transcontinental; e a rota do Grupo do Mar de Ross para instalação dos depósitos:
  Viagem do Aurora para a Antártida
  Deriva e regresso do Aurora

A deriva do SY Aurora foi um episódio ocorrido durante a Expedição Transantártica Imperial de Ernest Shackleton (1914–17). O navio, pertencente ao Grupo do Mar de Ross, ficou à deriva durante 312 dias, depois de uma tempestade o ter arrancado do Estreito de McMurdo, onde estava ancorado, em Maio de 1915. Depois de ter ficado preso nas placas de gelo e incapaz de navegar, o Aurora foi levado até às águas do Mar de Ross e do Oceano Antártico, deixando dez homens no gelo com poucos recursos.

O Aurora, um ex-baleeiro do Ártico, de 40 anos de idade, registado como navio-a-vapor, tinha transportado o Grupo do Mar de Ross para o Cabo Evans, no Estreito de McMurdo em Janeiro de 1915, para aí instalar uma base de apoio à travessia continental de Shackleton e do seu grupo. Quando o capitão do Aurora's, Aeneas Mackintosh tomou a liderança das operações em terra, o primeiro-oficial Joseph Stenhouse assumiu o comando do navio. A falta de experiência de Stenhouse pode ter contribuído para a escolha de um local inapropriado para passar o Inverno, embora as suas opções fossem limitadas pelas instruções dos seus superiores. Depois de o navio ter sido arrancado, sofreu sérios danos no gelo, incluindo a destruição do leme e a perda das âncoras; em várias ocasiões, a situação em que se encontravam era de tal modo dramática que Stenhouse pensou em abandonar o navio. Foram feitas várias tentativas de comunicação com o Cabo Evans e com as estações da Nova Zelândia e Austrália, mas sem sucesso, à medida que a deriva os levava através do Inverno e Primavera polar, para uma posição a norte do Círculo Polar Antártico. Em Fevereiro de 1916, o gelo começou a partir-se e, um mês depois, o navio estava livre do gelo. Seguiu para a Nova Zelândia, onde foi reparado e onde foi reabastecido, antes de voltar à Antártida para resgatar os membros sobreviventes do grupo terrestre.

Embora Stenhouse tenha salvo o navio, após a chegada a Port Chalmers, foi afastado do comando pelos organizadores da expedição de resgate ao Grupo do Mar de Ross; também a tripulação foi, na sua maioria, substituída. Pelos serviços prestados a bordo do Aurora, Joseph Stenhouse foi, mais tarde, nomeado Oficial da Ordem do Império Britânico (OBE).

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]