Designação provisória

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde abril de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Em astronomia, designação provisória é uma convenção de nomenclatura aplicada a corpos celestes imediatamente após suas descobertas. A designação provisória geralmente é substituída por um nome permanente quando a órbita do objeto é determinada, mas no caso de asteroides, são tantos descobertos que muitos nunca receberão uma designação permanente.

Corpos menores do sistema solar[editar | editar código-fonte]

O sistema atual de designação provisória de asteroides, centauros e objetos transneptunianos existe desde 1925, e substituiu diversas outras convenções de nomenclatura, que foram obsoletas pelo crescente número de asteroides descobertos.

O primeiro elemento na designação provisória é o ano de descoberta, seguido por duas letras e, opcionalmente, um número.

A primeira letra indica a metade de mês da descoberta do objeto naquele ano. "A" indica descoberta na primeira metade de janeiro, "D" é para a segunda metade de fevereiro, "J" é para a segunda metade de março ("I" não é usado), e assim sucessivamente até "Y" para a segunda metade de dezembro.

A segunda letra e o número indicam a ordem de descoberto na metade do mês. O oitavo asteroide descoberto na segunda metade de março de 1950, por exemplo, receberia a designação provisória 1950 JH. Mas como técnincas modernas geralmente acham bem mais de 25 asteroides numa metade de mês (novamente "I" não é usado), um número subscrito é usado para indicar o número de vezes que as letras se repetiram. Assim, o 28º asteroide descoberto na segunda metade de março de 1950 seria 1950 FC1. Por razões técnicas, como limitações ASCII, o subscrito é às vezes retirado, então isso poderiam ser escrito 1950 FC1.

Designações especiais[editar | editar código-fonte]

Os asteroides descobertos durante quatro levantamentos astronómicos especiais têm designações que consistem de um número (de ordem no levantamento), seguido por um espaço e um dos identificadores:

  • P-L Pesquisa Palomar-Leiden (1960)
  • T-1 Primeira pesquisa de troianos (1971)
  • T-2 Segunda pesquisa de troianos (1973)
  • T-3 Terceira pesquisa de troianos (1977)

Por exemplo, o 4659º asteroide descoberto na Pesquisa Palomar-Leiden é 4659 P-L. A maioria destes corpos têm já atribuído um número.

Satélites e anéis planetários[editar | editar código-fonte]

Quando satélites ou anéis são descobertos, eles recebem uma designação provisória como "S/2000 J 11" (o 11° satélite de Júpiter descoberto em 2000), "S/2005 P 1" (o primeiro satélite de Plutão descoberto em 2005), ou "R/2004 S 2" (o segundo anel de Saturno descoberto em 2004). A inicial "S/" ou "R/" se refere a "satélite" ou "anel", respectivamente, distinguindo a designação dos prefixos "C/", "D/", "P/", e "X/" usada para cometas. Às vezes essas designações são escritas como "S/2005 P1", sem o segundo espaço.

O prefixo "S/" ou "R/" é seguido pelo ano de descoberta do satélite ou anel. Um código de uma letra identifica o planeta, e então um número identifica a ordem de descoberta de satélites ou anéis em um planeta naquele ano. Por exemplo, Náiade, a lua mais interna de Netuno, foi designada "S/1989 N 6". Mais tarde, após a confirmação de sua existência e órbita, ela recebeu uma designação permanente, Náiade.

Ver também[editar | editar código-fonte]