Clássico das Emoções (Espírito Santo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Desportiva x Vitória)
Ir para: navegação, pesquisa
Logo Desportiva ES.png
VitoriaFutebolClube.png‎
Escudos da Desportiva e do Vitória

História[editar | editar código-fonte]

Desportiva Ferroviária e Vitória Futebol Clube fazem um dos clássicos capixabas de maior emoção, pois tem duas torcidas apaixonadas.

A primeira partida oficial ocorreu em 3 de agosto de 1963 pela Taça Cidade de Vitória , empate em 1x1, porém antes disso em 7 de julho de 1963 pelo Torneio Início Desportiva e Vitória empataram em 0x0 e na disputa de pênaltis o Vitória venceu por 2x1, por não durar o tempo oficial esta partida não consta como o primeiro clássico.(Torneio início as partidas duravam apenas 20 minutos). Ao todo Desportiva e Vitória se enfrentaram 154 vezes, com larga vantagem grená. São 79 vitórias da Desportiva, 49 empates e 26 triunfos do Vitória, a Desportiva marcou 196 gols contra 105 marcados pelo Vitória. Pleo Campeonato Capixaba são 103 partidas, 52 vitórias da Desportiva , 31 empates e 16 vitórias do Vitória. Desportiva marcou 128 gols o Vitória 59.

Maiores goleadas [editar | editar código-fonte]

Vitória 0x5 Desportiva[editar | editar código-fonte]

Competição : Amistoso

Local : Estádio Salvador Costa

Data : 03 de setembro de 1969

Desportiva 5x0 Vitória[editar | editar código-fonte]

Competição : Taça Cidade de Vitória 1972

Local : Salvador Costa

Data : 21 de abril

Desportiva 5x0 Vitória[editar | editar código-fonte]

Competição : Campeonato Capixaba

Local : Estádio Engenheiro Alencar Araripe

Data : 13 de setembro 1992

Vitória 0x5 Desportiva[editar | editar código-fonte]

Competição : Campeonato Capixaba

Local : Estádio Salvador Costa

Data : 16 de fevereiro 2013

Vitória 1x4 Desportiva[editar | editar código-fonte]

Competição Campeonato Capixaba

Local : Estádio Governador Bley

Data : 20 de março 1966

A partida com mais gols no clássico[editar | editar código-fonte]

Vitória 5x3 Desportiva[editar | editar código-fonte]

Competição : Taça Cidade de Vitória 1965

Local : Salvador Costa

Data : 02 de outubro


Atualidades[editar | editar código-fonte]

No último jogo pelo capixabão entre as duas equipes a grama seca do Engenheiro Araripe viu a água de que precisava. Mas o time da Desportiva, que treinou sob chuva, espera encontrar mesmo o seu alívio no clássico contra o também desgastado Vitória, no dia 28/02/10, às 15 horas, no Jardim, pela quarta rodada do Capixabão 2010.

Zerada e na lanterna do campeonato, a Desportiva sabia que o primeiro passo era ter cabeça fria. A pressão existia nos dois times, já que o Vitória só empatou seus últimos três jogos. "Quem tiver mais controle emocional pode vencer", previu o volante grená George, que andou falhando no quesito tranquilidade, quando foi expulso por reclamação, no segundo jogo.

"Amadureci com meu erro infantil diante do São Mateus. O Vitória é favorito, pois não venceu, mas também não perdeu. Mas estamos evoluindo", explicou George.

No Vitória, o meia Gugu podia ser o que faltava ao alvianil para diminuir a fervura que tomou conta do Ninho da Águia após o começo vacilante da equipe. Vindo do Tractorsazi, do Irã, o ex-jogador de Americano (RJ) e Serra finalmente foi regularizado e pode estrear.

"Fiquei dois meses só treinando. Não aguentava mais esperar. Para mim, a favorita é a Desportiva, que joga em casa. Vamos ver se vencemos para tirar essa pressão sobre a equipe", declarou Gugu.

Após cinco anos sem se enfrentarem, Desportiva e Vitória empataram em 1 a 1, no estádio Engenheiro Araipe. O time grená, porém, esteve muito perto de seu primeiro triunfo na competição, mas cedeu o empate ao Alvianil aos 45 minutos do segundo tempo. Apesar de ter pontuado pela primeira vez, a Desportiva continua amargando a lanterna do Capixabão, com apenas um ponto. O Vitória, por sua vez, chegou ao seu quarto empate, em quatro jogos, e agora ocupa a oitava colocação.

Árbitro: Rafael Guijansque

Desportiva: Daniel, Victor, Tony, Alex Passos e Matheus; Ygor, George, Barros (Paulo César) e Thales (Hudson); Kill e Zé Afonso. Técnico: Cosme Eduardo

Vitória: Reinaldo; Luciano, Nem, Rodrigo e Wallace; Carlos Alberto, Dias, Thiago Keller e Gugu; Adênis e Euller. Técnico: Fábio Henrique

A partida mais recente entre as duas agremiações foi em 5 de Novembro de 2011 pela Copa Espírito Santo,a Desportiva jogava pela vantagem pois havia vencido a partida de ida no Salvador Costa casa do rival por 1x0,podendo então perder por até um gol de diferença,e o clássico foi quente dentro de campo

Mesclando jogadores experientes e com história grená, com jovens, a Tiva atropelou no primeiro turno. No segundo, manteve boa campanha e garantiu a vaga na semifinal. Na sequência, teria o Vitória, atual bicampeão da competição. E a equipe de Mauro Soares, que teve Aridelson Bianchi como técnico até boa parte do turno, não tomou conhecimento. Neste domingo, no Engenheiro Araripe, já como favorito, a Desportiva confirmou sua condição, empatou com o Vitória por 1 a 1, e garantiu a vaga na decisão (no jogo de ida havia vencido por 1 a 0 no Salvador Costa).

Gol e confusão

Seguindo à risca o pedido do técnico Vevé, o Vitória começou o clássico com a quinta marcha engatada. Marcando em cima, sem dar espaços, o alvianil fazia a Desportiva se precipitar. Errando muitos passes, os grenás foram encurralados nos primeiros minutos. Assim, não demorou e as chances começaram a surgir para o Vitória.

Após uma delas, escanteio para o alvianil. E o primeiro gol do jogo. Adriano cobrou, e Leandro, sempre ele, subiu mais alto que todo mundo, colocando o alvianil na frente. A Desportiva então acordou. Quatro minutos depois o artilheiro Flávio dividiu com a zaga do Vitória, avançou até a pequena área e bateu prensado, levando perigo ao gol de Robson Bahia.

A Tiva adiantou a marcação, e Arpini passou a participar mais do jogo. Depois da bronca de Mauro Soares, o grená passou a valorizar a posse de bola. E teve outra chance aos 26. Em bate-rebate, a bola foi salva por Robson Bahia no reflexo. Na sequência, em contra-ataque, o Vitória quase ampliou. Feijão perdeu grande chance, na frente do goleiro Dênis.

Nos acréscimos, Gilmar levantou bola despretenciosa para a área. Robson Bahia saiu em falso, e Arpini se antecipou, cabeceando. Sem ninguém para evitar o gol, restou ao alvianil torcer e ver a bola de Arpini sair caprichosamente ao lado da trave direita. Na sequência do lance, o zagueiro Ernandes e o goleiro Robson Bahia se estranharam, trocaram empurrões e foram punidos com o cartão amarelo por Devarly do Rosário.

Confusão no intervalo

Assim que Devarly encerrou o primeiro tempo, o preparador de goleiro da Desportiva foi até o goleiro Robson Bahia. Em seguida, o goleiro alvianil desferiu uma cabeçada no membro da comissão técnica grená. A confusão foi formada, os jogadores da Tiva foram até o quarto árbitro pedir a expulsão de Robson. O goleiro teve que deixar o gramado sob escolta da Polícia Militar, até o vestiário.

As equipes voltaram para o segundo tempo e o goleiro não foi substituído. A arbitragem garantiu não ter visto a agressão e a confusão acabou não gerando expulsão para o Vitória, que chegou a cogitar a entrada do goleiro Edgar no intervalo. A confusão teria começado após o preparador de goleiros da Tiva ter chamado Robson Bahia de 'bandido'. Os dois poderiam ir parar no DPJ.

Segundo tempo nervoso

Precisando de mais um gol para conseguir a vaga na decisão, o técnico Vevé mandou o Vitória ainda mais para cima. Mineiro entrou na segunda etapa na vaga do meia Feijão. Mas os primeiros 20 minutos foram de poucas chances e muitos erros de passe. O alvianil seguia marcando em cima, não deixando a Desportiva jogar. Isolado na frente, o atacante Flávio perdia a paciência com as precipitações grenás. Duvida durante a semana, o atacante acabou substituído aos 21 minutos. No seu lugar entrou Robinho, que no primeiro lance levou perigo para a defesa do Vitória, driblando bonito e batendo prensado. Em seguida, quatro minutos depois, a Desportiva começou a se complicar.

O zagueiro Tony, que já havia recebido cartão amarelo na primeira etapa após falta em Vitinho, recebeu a segunda advertência depois de mais uma falta e acabou expulso pelo árbitro Devarly do Rosário. Mas o que era motivo de preocupação, acabou se tornando alívio. Aos 27 minutos, a Desportiva empatou o jogo após jogada despretenciosa do lateral-esquerdo Giovani Bellon, que entrou na segunda etapa, no lugar de Reinan.

Após saída de bola errada do Vitória, a Tiva roubou a bola na intermediária. Giovani tabelou com Gilmar pela esquerda e foi a linha de fundo. O lateral levantou a cabeça e cruzou rasteiro, sem força. A bola, porém, desviou no zagueiro Leandro e enganou o goleiro Robson Bahia, morrendo no fundo do gol alvianil: 1 a 1.

Para piorar, aos 32 o Vitória, que precisava de dois gols, foi expulso pelo árbitro Devarly do Rosário, após desentendimento com o quarto árbitro da partida. O jogador acabara de entrar na vaga de Zanini, que deixou o campo de jogo contundido.

Os últimos minutos de jogos foram desespero do Vitória, que buscava o segundo gol a qualquer custo. Já a Desportiva valorizou a posse de bola, controlou o jogo e no apito final comemorou a volta a uma decisão de campeonato, no seu retorno ao futebol profissional

Desportiva 1 X 1 Vitória, Copa Espírito Santo 6 de novembro de 2011. Desportiva Ferroviária: Denis; Thiago, David, Tony e Renan (Giovani Bellon); Gilmar, Diogo, Pablo e Léo Oliveira; Arpini (Ygor) e Flávio (Robinho). Técnico: Mauro Soares. Vitória FC: Robson Bahia; Zanini (Roni), Leandro, Ernandes e Wallace; Adriano, Junior Fuskinha, Diogo (Flávio Santos) e Feijão (Mineiro); Vitinho e Marcelo Pelé. Técnico: Vevé : Gols: Leandro, aos sete minutos do 1º tempo, e Giovani Bellon, aos 27 minutos do 2º tempo. Árbitro: Devarly Do Rosário

Essas duas equipes que sempre fazem partidas muita equilibradas mesmo a Desportiva levando grande vantagem, já se enfrentaram não só em competições dentro do Espírito Santo mais também em competições a nível nacional...Estamos falando de campeonato brasileiro...Ambas as partidas ocorreram no nacional de 1977.Mais precisamente no dia 6 de Outubro no estádio Engº Araripe pela 7ª rodada da primeira fase pelo grupo E com o mando de campo do Vitória FC.Pelo Vitória entraram em campo Jonas,Julinho e Dário,Carlos Alberto,Osvaldir, Ribom(Quico)Paulo Roberto(Chiquinho)Zezinho,marcos Antônio Visgo,Vanderlei,Luís Carlos...o técnico era Paulistinha...Pelo lado grená a equipe veio a campo da seguinte forma...Samuel,Edmar,Paulo César Colorado,Suemar,Vicente Paixão,Sérgio,Marcos,Célio,Toninho II,Wilson(Orlando) e Corinto,nossa equipe era dirigida por Nelsinho Rosa.A partida começou a ter emoção mesmo só aos 2 minutos da segunda etapa pois até então uma partida muito truncada e nervosa,quem veio balançar as redes foi o Vitória com Zezinho abrindo o marcador...aos 11 minutos o Vitória ampliou para 2x0 com Marco Antônio Visgo que minutos depois seria expulso em confusão junto com Suemar da desportiva,a partida seguia nervosa e voltou a ser truncada,a desportiva atrás do placar corria em busca de seu primeiro gol enquanto o rival administrava o placar até que Sérgio deu uma emoção a mais na partida e diminuiu para os grenás aos 31 deixando 1 gol de vantagem na partida.porém o placar não se modificou...As duas equipes voltariam a se encontrar na segunda fase no grupo Q na 5ª rodada no dia 11 de Dezembro de 1977 no estádio Engº Alencar de Araripe e desta vez quem levou a melhor foi a desportiva vencendo pelo mesmo placar de 2x1,porém nesta partida as coisas foram bem diferentes da outra pois as duas equipes foram pra cima...Afinal um triunfo daria uma provável vaga na próxima fase do campeonato brasileiro de 1977,então foram a campo da seguinte forma....

Desportiva com Samuel,Edmar,Paulo César Colorado,Suemar,Vicente Paixão,Evandro,Célio,Marcos,Vandinho (Sérgio)Orlando,Corinto(Wilson)Nelsinho Rosa no banco grená.Já pelo Vitória George,Júlio César,Ronaldo Castro (Osvaldir),Serginho,Paulo Roberto(Moreira),Carlos Alberto,Wilson Melo,Clóvis,Marco Antônio Visgo,Zezinho e Vanderlei,no banco...Paulistinha...Vamos ao jogo desde o começo ambas as equipe mostraram a vontade de vencer,porém é a desportiva que entra com mais gana jogando com o apoio de seu torcedor a Tiva abre o placar logo aos 10 minutos de partida com Orlando,esse gol que levava a desportiva para a segunda fase afinal o resultado deixava a Deportiva com 7 pontos contra 5 do Volta Redonda e os mesmos 7 do Vitória/BA...o jogo seguia com emoção com os times se agredindo no ataque deixando o resultado em aberto tanto é que aos 41 minutos do segundo tempo Zezinho que na primeira partida entre as duas equipes marcou o dele deixa tudo igual no Araripe,os jogadores do Vitória se abraçam e comemoram como se a partida já tivesse acabado,afinal oque o time da desportiva poderia fazer com a partida já aos 41 minutos levando o empate que evitava a classificação para a próxima fase antecipada da equipe grená e de quebra ainda teria que jogar fora de casa contra o Volta Redonda/RJ.Pois bem a equipe grená simples mente foi pra cima...foi com tudo ao ataque e nem deu tempo de se abater por que a Tiva honrou seu apelido e foi feito uma locomotiva pra cima do Vitória que ainda comemorava seu empate e marcou o gol da Vitória,Evandro aos 42 isso mesmo 1 minuto após levar o empate a desportiva puxou forças do fundo da alma e marcou o gol da classificação para a fase seguinte de quebra praticamente eliminando o rival capixaba da competição...




Desportiva Ferroviária[editar | editar código-fonte]

  • Cidade: Cariacica
  • Cores: Grená e Branco
  • Fundação: 17/06/1963

Principais títulos[editar | editar código-fonte]

  • Campeonato Capixaba: 1964, 1965, 1967, 1972, 1974, 1977, 1979, 1980, 1981, 1984, 1986, 1989, 1992, 1994, 1996, 2000, 2013.
  • Campeonato Capixaba Segunda Divisão: 2007, 2012.
  • Taça Cidade de Vitória: 1966, 1968
  • Copa Espírito Santo : 2008, 2012
  • Copa dos Campeões Espírito Santo : 2014

Estádio[editar | editar código-fonte]

  • Capacidade: 15.000 (atualmente)
  • Endereço: Rodovia BR-262 - Km 0 - Jardim América - Cariacica
  • Inauguração: 16/01/1966
  • Recorde de Público: 27.600 (Flamengo-RJ 0 x 1 Vitória-BA - 28/09/1995)
  • Recorde de Público da Desportiva : 27.232 (Desportiva 0x2 Atlético/MG - 17/01/1982)

Vitória Futebol Clube[editar | editar código-fonte]

  • Cidade: Vitória
  • Cores: Azul e Branco
  • Fundação: 01/10/1912

Principais títulos[editar | editar código-fonte]

  • Campeonato Capixaba: 1920, 1932, 1933, 1943, 1950, 1952, 1956, 1976, 2006.
  • Copa ES: 2009, 2010.
  • Campeonato Capixaba Segunda Divisão: 2009.
  • Taça Cidade de Vitória: 1920, 1932, 1933, 1943, 1950, 1952, 1956, 1972.

Estádio[editar | editar código-fonte]

  • Capacidade: 2.500
  • Endereço: Avenida Joubert de Barros, 333 – Bento Ferreira – Vitória
  • Inauguração: 16/01/1967
  • Recorde de Público: 7.000 (Vitória 3x1 Estrela do Norte 09/04/2006)


Ícone de esboço Este artigo sobre futebol brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.



Fontes :

ferroviaria.blogspot.com.br