Deusto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Espanha Deusto
Deustu
 
—  Distrito  —
O tigre de Deusto, edifício emblemático do distrito
O tigre de Deusto, edifício emblemático do distrito
Localização de Deusto em Bilbau
Localização de Deusto em Bilbau
42° 16' 15" N 2° 56' 49" O
Comunidade autónoma País Basco
Província Biscaia
Município Bilbau
Área
 - Total 4,95 km²
População
 - Total 52 218
    • Densidade 10 549,09/km2 
Principais festividades sexta-feira de março

Deusto (em basco: Deustu) é o Distrito número 1 correspondente às divisões administrativas de Bilbau, capital da província basca de Biscaia (Espanha). Tem 52 218 habitantes e uma superfície de 4,95 km², embora os seus bairros somente ocupem 3,19 km², sendo o terreno remanescente a encosta do Monte Archanda. Divide-se nos bairros de Arangoiti, Ibarrecolanda, San Ignacio-Elorrieta e San Pedro de Deusto-La Ribera.[1] A anteiglesia de San Pedro de Deusto foi município independente até 1 de janeiro de 1925, dia no que foi unido à capital biscainha.

O distrito é conhecido regionalmente como uma zona de ambiente estudantil,[2] ao ser sede da Escola de Magistério, da Faculdade de Ciências Econômicas e Empresariais da Universidade do País Basco, da Escola Oficial de Idiomas e da Universidade de Deusto.

Localização[editar | editar código-fonte]

O distrito situa-se no extremo noroeste da villa (cidade) de Bilbau, limitando com as áreas municipais de Sondika e Erandio a norte, a leste com o distrito 2 (Uríbarri) e a sul e oeste fica separada dos distritos 6 (Abando) e 8 (Basurto-Zorroza) pela ria de Bilbau.

História[editar | editar código-fonte]

A anteiglesia[editar | editar código-fonte]

Escudo da antiga anteiglesia de Deusto

Pouco se conhece da anteiglesia de Deusto, ao ficar destruída muita da documentação durante a Guerra Civil Espanhola. Porém, é sabido que a paróquia de San Pedro de Deusto data do século XIV. O assentamento em Deusto contou com alguns caseríos desde o século XVI, que foram crescendo em número paulatinamente desde então, sendo a atividade portuária e pesqueira a mais destacada. Já no século XVIII, a povoação era eminentemente agrícola, cultivando-se principalmente trigo e uvas.

Em 1752, foi erigido o primeiro edifício da anteiglesia. Seguiu um segundo edifício construído em 1888, que foi demolido na guerra civil. Ao município correspondia-lhe a cadeira número 35 nas Juntas Gerais de Biscaia. Tradicionalmente, a república dividia-se em "La Ribera", de caráter marinheiro e comercial, e o Goierri, área interior e rural.

No final do século XIX, a zona recebeu um importante impulso devido à chegada do comboio que ligava Bilbau com o balneário de Las Arenas, em Getxo. O mesmo permitia os habitantes transportarem os seus produtos ao mercado da Ribeira de Bilbau, facilitando o trajeto que anteriormente se fazia a pé ou a cavalo. Ainda que o projeto da linha ferroviária existia desde 1872, a mesma foi posta em funcionamento em 1 de junho de 1897.

A anexação a Bilbau[editar | editar código-fonte]

Em 29 de outubro de 1924, um Real Decreto estabelecia o desaparecimento da anteiglesia de Deusto e a sua anexação à villa de Bilbau, em 1 de janeiro de 1925. No mesmo decreto ordenava-se , além disso, a anexação de Begoña e de Erandio.[3]

Nos anos seguintes, sucederam-se uma série de planos por parte do arquiteto Ricardo Bastida, a fim de definir a primeira configuração urbana do território, naquela altura caseríos. A explosão industrial de Bilbau originou, em meados do século XX, uma série de favelas na encosta do monte Banderas. No início dos anos 1950, Francisco Franco veio para zona, e ordenou demolir estas precárias habitações e construir um bairro residencial operário, projeto efetuado na década seguinte.[4]

Entre 1932 e 1936 foram efetuadas as obras da Ponte de Deusto, uma ponte levadiça que viria comunicar o bairro com Abando. Durante a época franquista será conhecido como a ponte do Generalíssimo.

Em 1968 pôs-se em serviço um braço de água ligada pelo lado noroeste à ria conhecido como o "canal de Deusto", com a intenção de descongestionar o tráfego do porto de Bilbau. Com isso foi formada a península de Zorrozaurre.[5]

Bairros[editar | editar código-fonte]

Arangoiti[editar | editar código-fonte]

Rua Gorveia em Arangoiti

Arangoiti é o bairro menor e menos povoado do distrito, com 4 621 habitantes e 0,13 km². Isto torna-o o bairro com maior densidade populacional, com 35 546 hab/km². Situa-se na encosta do monte Banderas (223 m) e limita unicamente com o bairro de San Pedro de Deusto-La Ribera, com o qual se comunica mediante acessos pedestres e um elevador que foi reabilitado em meados de 2007.[6]

Desde 1959 encontra-se no bairro a sede da Escola de Magistério da Universidade do País Basco, edifício que será derrubado ao ser deslocada esta para o campus de Leioa. No solar serão construídas- habitações.[7]

Ibarrekolanda[editar | editar código-fonte]

Ibarrekolanda é o bairro situado no centro do distrito, limitando a norte com São Ignacio-Elorrieta, a sul com San Pedro de Deusto-La Ribera, a oeste com o canal de Deusto e a leste com o monte Banderas. Tem uma população de 11 303 habitantes e 0,39 km². Até meados do século XX o bairro era hortas, caseríos e chalés da burguesia bilbainha. De entre estes se destaca o imóvel de Sarriko, pertencente aos condes de Zubiria, atualmente parque e Faculdade de Ciências Econômicas e Empresariais da Universidade do País Basco.

São Ignacio-Elorrieta[editar | editar código-fonte]

São Ignácio-Elorrieta (em basco San Inazio-Elorrieta) tem uma população de 13 908 habitantes numa superfície de 0,65 km² e uma densidade populacional de 21 397 hab/km². A origem do bairro moderno remonta à década de 1950 e foi construído pelo Estado sob o nome de San Ignacio de Loyola, para alojar a imigração por causa da forte re-industrialização da bacia do Nervión após a Guerra Civil. O bairro de Elorrieta data de 1897, e nele foi localizado o Matadouro de Deusto, junto ao município de Erandio. Santo Ignácio fica sobre o ensanche de Deusto, cheio de marismas e caserío, foi construído após a guerra civil. O extremo noroeste do bairro, Elorrieta, também contou com a primeira estações de tratamento de águas residuais da Espanha. Esta estação foi em parte realizada por uma epidemia de cólera, que impulsionou a necessidade de melhorar a qualidade da água assim como do seu tratamento. As obras começaram em 1895 e terminaram em 1903 sob o comando de Recaredo de Uhagón. Posteriormente à Guerra civil o seu uso limitou-se ao distrito de Deusto. Paulatinamente foi caindo em desuso até a sua espoliação em 1996. Atualmente o que resta da Casa de Bombas foi restaurado e declarado pelo Governo Basco Bem de Interesse Cultural.

O bairro conta com uma equipa de beisebol, o San Inazio Béisbol, na Divisão de Honra, a máxima categoria nacional. O mesmo joga de local no campo do Polidesportivo de Rekaldeberri.[8]

San Pedro de Deusto-La Ribera[editar | editar código-fonte]

A Universidade de Deusto marca o extremo Leste do bairro de San Pedro de Deusto-La Ribera

San Pedro de Deusto-La Ribera (em basco: Deustu Doneperiaga-Deustuibarra) é o bairro mais extenso e povoado do distrito. Tem uma população de 22 267 habitantes e uma superfície de 1,89 km², o que dá uma densidade de 11 781 hab./km².

No bairro encontra-se a Igreja de San Pedro de Deusto, em estilo gótico basco, que foi o núcleo originário da anteiglesia.

Zorrozaurre[editar | editar código-fonte]

Zorrozaurre é o nome que recebe a península formada depois da escavação do canal de Deusto. Tem uma superfície de 601 433 m² e uma população de 452 habitantes. O nome é um composto de Zorroza, bairro situado ao outro lado da ria e aurre, "defronte". Forma parte oficialmente do bairro de San Pedro de Deusto-La Ribera, embora tradicionalmente fosse considerado um bairro à parte.

A península começou a desenvolver-se nos primórdios do século XX, após a abertura do canal de Deusto, em plena expansão industrial. Teve o seu apogeu na década de 1950, época na qual existiram grandes fábricas de mais de 500 trabalhadores, restaurantes para os operários e engarrafamentos no tráfego. Porém, na década de 1970, muitas das empresas deslocaram-se para outros pontos da província.

Em 1989 surgiu a ideia de renovar o bairro. Durante os anos seguintes, avaliaram-se as possibilidades de ocupar o terreno num parque tecnológico, passeios como o de Abandoibarra, e até mesmo um cais para cruzeiros de luxo. Em 2003, a Comissão Gestora para o Desenvolvimento Urbanístico de Zorrozaurre escolheu a arquiteta angloiraquiana Zaha Hadid, ganhadora do prêmio Pritzker de arquitetura, cuja equipa apresentou em 5 de outubro de 2007 o plano diretor, que estipula a conversão da península em ilha, ao continuar o canal de Deusto com uma largura de 75 metros, por motivos hidrológicos (fato que inicialmente teve a desaprovação dos vizinhos e comerciantes);[9] a sua união com Abando, Basurto-Zorroza e o resto de Deusto mediante oito pontes (o que unirá a ilha com Zorroza será de caráter móvel) e a construção de 5.680 habitações, das quais 1 420 serão de "proteção oficial".[10]

Previa-se que as obras começassem em 2010, com um custo inicial de 291 milhões de euros sem contar as habitações, razão pela qual se estima um investimento de 1 425 milhões.[11] Por outro lado, afirmou-se que se manterão em pé 200 habitações existentes como uma "zona antiga", dadas as queixas dos atuais vizinhos, que reclamavam a reabilitação de alguns edifícios emblemáticos.[12]

Na futura ilha de Zorrozaurre serão construídos vários arranha-céus para diferentes empresas. Entre elas, está confirmada a nova sede de Bilbao Bizkaia Kutxa (BBK), que entrará em funcionamento em 2013,[13] ou o World Trade Center Bilbau.[14] Adicionalmente, também se confirmou que o Igualatorio Médico Quirúrgico (IMQ) vai construir uma clínica em Zorrozaurre, cujas obras começaram em 2009 e que, após concluir-se, será um dos primeiros novos edifícios da futura ilha.[15]

Também existe a possibilidade de usar o arco do estádio de San Mamés como uma das futuras pontes da ilha, dado que o campo será derrubado para abrir espaço a um novo.[16] O prefeito de Bilbau, Iñaki Azkuna qualificou a possibilidade de "bilbainada formosa", embora reconhecesse que carece de um projeto estável.[17]

Serviços públicos[editar | editar código-fonte]

Bibliotecas[editar | editar código-fonte]

O distrito conta com duas bibliotecas que fazem parte da rede municipal: a de Deusto e a de Santo Ignácio. A primeira inaugurou-se em 1998 e situa-se num antigo sanatório. Por outro lado, a Biblioteca de Santo Ignácio é das mais antigas da rede, pois a sua inauguração ocorreu em 1966. Sofreu remodelações em 1986 e finalmente em 1996, quando aumentou significativamente a sua superfície. Ambas localizam-se na artéria principal do distrito, a avenida Lehendakari Agirre e entre as duas somam cerca de 40 000 documentos entre livros, publicações periódicas e material audiovisual.[18]

Instalações desportivas[editar | editar código-fonte]

O distrito conta com dois ginásios de esportes em San Pedro de Deusto-La Ribera e em São Ignacio-Elorrieta. O primeiro —o denominado Polidesportivo de Deusto— encontra-se frente à ponte Euskalduna e foi construído em 1987 e remodelado no verão de 2004.[19] O mesmo conta com uma zona de ginásio, um pavilhão coberto, uma quadra de ginásio de esportes de erva, sauna e quadra de squash.[20] Pela sua vez, o ginásio de esportes de Santo Ignácio conta com um campo de futebol de erva artificial, assim como também de quadras de tênis, gimnásios, frontóns (quadras de pelota basca) e sala de balé.[21] Existe o projeto de construir num edifício frente a este ginásio de esportes, um Palácio de Gelo com capacidade para 2 000 pessoa.[22]

Canal de Deusto[editar | editar código-fonte]

O bairro de São Ignacio-Elorrieta. Na parte inferior divisa-se o canal de Deusto.

O canal de Deusto é de um braço de água artificial com orientação noroeste-sudeste e que quase divide o distrito completamente. A península que se formou recebe o nome de Ribera de Deusto ou Zorrozaurre.

Nos anos seguintes à anexação da vila foi concebida a possibilidade de abrir um canal no setor com a finalidade de conseguir "um melhor aproveitamento da veiga para o serviço marítimo e comercial", de acordo com o Projeto de Extensão Urbana da I.(lustre) Vila Bilbau com as anexações de Begoña, Deusto e parte de Erandio, redigido em 1929 pelos arquitetos Segurola e Odriozola. Posteriormente baralharam-se as possibilidades de quer modificar o leito atual, quer construir um novo. A primeira foi descartada dado que implicava a demolição dos edifícios situados na ribeira e, além disso, porque a segunda opção permitia um traçado mais largo, além de evitarem as curvas de Elorrieta e Olaveaga, que dificultavam a navegação.

O projeto inicial foi aprovado em 1929, mas a proximidade da guerra civil fez suspender as obras até ser aprovado um novo projeto duas décadas mais tarde. As obras começaram em duas etapas, começando a primeira em 11 de outubro de 1950, e a segunda um ano mais tarde. O canal ia consistir numa abertura total desde os estaleiros de Euskalduna até Elorrieta, com uma largura de 130 m na sua curva inicial até 100 m na sua desembocadura; com um comprimento de 2 936 metros na margem esquerda e 2 409 m na direita, e uma profundidade de 7 metros abaixo da baixa-mar. O canal foi posto em serviço em agosto de 1968 quando ainda faltavam 400 metros para a sua abertura total.[23]

O canal esteve em serviço até 7 de fevereiro de 2006, enquanto duraram as ampliações do porto de Bilbau. Com a saída do navio Fri River, que descarregou 3 051 bobinhas de aço, que pôs ponto final às atividades portuárias da vila, exceto o molhe de Zorroza, ainda em atividade.[24]

Pontes[editar | editar código-fonte]

Em 2008, o distrito está ligado ao resto da vila por uma avenida (a Avenida das Universidades) duas pontes e uma passarela pedestre, a Ponte Pedro Arrupe.

Ponte de Deusto
A Ponte de Deusto

É uma ponte levadiça que liga o bairro de San Pedro de Deusto-La Ribera com o distrito de Abando, justo no limite entre os bairros de Abando e Indauchu. Foi construída em 13 de dezembro de 1936 sob as ordens do engenheiro Ignacio Rotaeche, mas foi voado seis meses mais tarde, durante a Guerra Civil.[25] A sua reconstrução terminou no final de 1937, mantendo os planos anteriores.

Ponte Euskalduna

Localiza-se sobre os que foram os estaleiros homônimos e, assim como a ponte de Deusto, liga San Pedro de Deusto-La Ribera com Abando. Foi inaugurado em 18 de abril de 1997. Da autoria de Javier Manterola, caracteriza-se pela sua planta curva e por apresentar uma calçada de dois carris e uma calçada coberta.[26]

Transporte público[editar | editar código-fonte]

Deusto é servido por uma ampla rede dos serviços de transporte público da cidade e da província.

Ôníbus[editar | editar código-fonte]

O serviço de ôníbus urbanos, Bilbobus, liga o distrito principalmente com o centro da cidade, embora também sirva outros bairros periféricos. Pela sua vez, Bizkaibus, o serviço de ôníbus da província de Biscaia, tem frequentes linhas e numerosas paradas no distrito, principalmente daquelas linhas que partem de Abando para se dirigir aos municípios de Munguialdeia, Margen direita e ao campus de Lejona da Universidade do País Basco.

Metro de Bilbau[editar | editar código-fonte]

As obras do Metro de Bilbau no distrito foram das primeiras efetuadas na vila, seguidas às realizadas em Abando. Em 1989 começaram as obras, e a rede foi inaugurada em 11 de novembro de 1995. Atualmente passa pelo distrito o chamado tronco comum das linhas 1 e 2, e tem três paradas, Deusto, Sarriko e Santo Inazio, na qual ambas as linhas se dividem para continuar nos municípios de Erandio e Barakaldo. Todas as estações encontram-se na artéria principal do distrito, a avenida Lehendakari Agirre.

EuskoTren[editar | editar código-fonte]

De Deusto parte a linha 4 do EuskoTren, o serviço ferroviário suburbano da área metropolitana de Bilbau, que chega até o município de Lezama. Dentro do distrito encontram-se as paradas Deustu na rua Ramón y Cajal e Unibertsitatea, próxima à Universidade de Deusto.

EuskoTran[editar | editar código-fonte]

Hã um projeto de levar o EuskoTran (bonde) à futura ilha de Zorrozaurre, cruzando a ria por um voado aditamento à Ponte Euskalduna. O bonde percorrerá o bairro ao longo do mesmo, em linha reta seguindo a sua avenida principal. Também há projetadas quatro paradas.[27]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em espanhol, cujo título é «Deusto», especificamente desta versão.
  1. Plano Callejero. Página visitada em 15-10-2007.
  2. Nora Arriola (01-12-2007). bilbao.net: Deusto, república independiente. Página visitada em 01-02-2008.
  3. Deustuko argazkiak. Página visitada em 15-10-2007.
  4. Predefinição:Quote1 visual
  5. Quase todo o conteúdo da seção História está obtido do site www.ibarrekolandatarrak.org
  6. El Gobierno vasco rehabilitará los ascensores de Arangoiti por su "deficiente" estado. Página visitada em 31.10.2007.
  7. Baça, Naiara. (2008-03). "Un barrio sesgado por el monte" (PDF) p. 4. Ayuntamiento de Bilbao. Página visitada em 15-03-2008.
  8. Real Federación de Béisbol e Sóftbol: Liga Nacional de Béisbol División de Honor 2007. Página visitada em 19-02-2008.
  9. La presión vecinal permitirá que Zorrozaurre siga siendo península 20minutos.es. Página visitada em 19-02-2008.
  10. Las obras de urbanización de Zorrozaurre, en Bilbao, que tendrán un coste de 291 millones de euros, comenzarán en 2010. Página visitada em 31.10.2007.
  11. Zorrozaurre afronta una transformación radical. Página visitada em 31.10.2007.
  12. Los vecinos de Zorrozaurre reclaman que se conserven las actuales edificaciones. Página visitada em 31.10.2007.
  13. La BBK llevará su sede a Zorrozaurre con un coste de 104 millones de euros (12-09-2007). Página visitada em 10-05-2008.
  14. Un rascacielos en Zorrozaurre acogerá la sede del World Trade Center en Bilbao (04-05-2008). Página visitada em 26-05-2008.
  15. La nueva clínica del IMQ en Zorrozaurre será el mayor centro privado de Euskadi (22-05-2008). Página visitada em 26-05-2008.
  16. Informes técnicos avalan utilizar el arco de San Mamés como pasarela en Zorrozaurre. Página visitada em 31.10.2007.
  17. Azkuna cree que el arco San Mamés como pasarela del canal de Deusto sería una "bilbainada hermosa". Página visitada em 31.10.2007.
  18. Município de Bilbau: Bibliotecas Municipales de Bilbao. Página visitada em 13-07-2008.
  19. Deia.com: Usuarios de la piscina del polideportivo de Deusto se quejan por las goteras y el frío del interior (23-11-2004). Página visitada em 13-07-2008.
  20. Instituto municipal de desportos de Bilbau: Polideportivo de Deusto. Página visitada em 12-03-2007.
  21. Instituto municipal de desportos de Bilbau: Polideportivo de San Ignacio. Página visitada em 12-03-2007.
  22. NoticiasYa.com: El IMD pagó hace tres años 439 000 euros por el proyecto de un palacio de hielo que hoy es un solar abandonado (10-02-2008). Página visitada em 13-07-2008.
  23. La Ría y el Canal de Deustu. Página visitada em 28.10.2007.
  24. El Puerto abandonó ayer el Canal de Deusto tras 38 años de actividad comercial. Página visitada em 31.10.2007.
  25. euskonews.com: Ignacio Rotaeche y Velasco. Página visitada em 19-02-2008.
  26. (março de 2003) "Javier Manterola : Premio Nacional de Ingeniería" (PDF) (3.431).
  27. El tranvía llegará al nuevo Zorrozaurre a través del puente Euskalduna.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Deusto