Devotos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde Fevereiro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Devotos
Informação geral
Origem Alto José do Pinho, Recife, Pernambuco
País  Brasil
Gênero(s) Hardcore punk, punk rock
Período em atividade 1988 – Atualmente
Gravadora(s) Independente
Rock It
BMG
Página oficial www.devotos.com.br
Integrantes Cannibal
Neilton
Celo

A banda Devotos foi formada em 1988 por Cannibal (baixo e voz), o Neilton (guitarra) e o Celo Brown (bateria) sob o nome "Devotos do Ódio" que foi tirado do título de um livro de José Louzeiro (1987). Louzeiro é o novelista, jornalista e roteirista cujo livro "Infância dos Mortos" sobre a vida de uma criança que morava na rua, foi levada ao cinema em 1981 no filme aclamado pela crítica "Pixote" de Hector Babenco. O grupo teve e ainda tem sua base no bairro de baixa renda que também tem abundantes problemas sociais e onde muitas pessoas trabalham para melhorar suas condições que se encontra nos morros de Recife, chamado Alto José do Pinho. No ano 2000 o grupo mudou seu nome para "Devotos".

Início[editar | editar código-fonte]

Quando a MTV começou a se captada no Recife, o sinal podia ser recebido claramente no Alto José de Pinho, os futuros membros dos Devotos já escutavam punk rock e bandas como The Smiths e The Cure junto com o punk rock de São Paulo. Conheciam os gêneros tradicionais que bandas como Chico Science & Nação Zumbi logo incorporariam aos seus sons, mas estavam interessados em tocar punk.

Os membros de Devotos abraçaram a ética do "faça você mesmo" do punk rock. O guitarrista Neilton explicou-me em 2001 como fabricou ele mesmo seu primeiro amplificador e guitarra o que incluiu o braço e do corpo da guitarra, e como tocou por um longo tempo sem que ninguém percebesse que não tinha sido comprada numa loja de música.

A creatividade de Neilton estende-se à arte da capa dos álbuns da banda e ao desenho do seu web site. O grupo fabrica os cases para seus instrumentos e os gabinetes dos seus amplificadores, e compram somente o que não podem fazer eles mesmos. Isso, de todos modos, não se faz com um sentido de carência. Pelo contrário, Neilton diz "...Eu não sinto angústia por isso. Me dá prazer e orgulho tê-lo feito e ter minha arte à vista, ver meu trabalho concretizado, a ideia realizada". Neilton foi capaz de comprar guitarras Fender e Gibson Les Paul e amplificadores Marshall uma vez que a banda se tornou conhecida mas ele ainda sentia a necessidade de brincar com as percepções das pessoas sobre as marcas. E comprou uma guitarra elétrica barata e removeu tudo incluindo os trastes reformá-la para o seu próprio estilo chamando-a com o nome de "Robson" e começou a usá-la nos seus shows. Logo as pessoas estavam admirando seu som e perguntando onde podiam comprar uma.

Entre os obstáculos que a banda enfrentou nos seus primeiros anos se encontravam a polícia, a repressão e a não-aprovação dos moradores do seu bairro pela eleição do seu estilo musical. O bairro Alto José do Pinho era o lar de "caboclinhos" e "grupos de maracatu" que eram importantes no carnaval. A imagem mediática das bandas de rock remetia à juventude de classe média. Quando os Devotos começaram a ter cobertura da imprensa isto se deveu em parte à desconexa percepção de ver um grupo de jovens de classe baixa fazendo hardcore/punk rock.

Com o tempo a relação da banda com a comunidade melhorou, já que demonstrou seu compromisso com a mesma atraindo abundante atenção da imprensa para muitas outras bandas de ali e ao impulsionar a fundação de uma ONG chamada Alto Falante (um jogo de palavras, sendo "Alto" seu bairro no Recife), a que realiza projetos culturais e sociais.

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

A banda tem realizado oito discos: "Agora tá Valendo" (BMG, 1997), "Devotos" (Rockit!, 2000), "Hora da Batalha" (Independente, 2003), "Sobras da Batalha EP" (Independente, 2004- unicamente para download), "Flores Com Espinhos Para o Rei" (Independente, 2006) e "Devotos 20 anos" (Independente, 2009 - primeiro ao vivo, comemorativo dos 20 anos da banda), além de duas compilações: "Victoria" (2010) e "Demos e Raridades", ambos apenas em vinil.

Para voltar ao tema da identidade nacional brasileira que se encontra em canções como "Aquarela do Brasil" de Ari Barroso, há que escutar "Meu País" de Devotos como um exemplo do seu trabalho como banda. É muito menos intensa que muitas outras canções da banda nas quais usam um estilo de alta intensidade hardcore ainda que continuem sendo muito melódicas, "Alien" do álbum "Devotos" (Rockit!, 2000) é um bom exemplo disso.

Participações[editar | editar código-fonte]

Devotos ja teve paticipações com a cantora Pitty em seu DVD, executando uma canção muito conhecida do repertório Punk Rock Hadcore Alto José do Pinho

Discografia[editar | editar código-fonte]

Estúdio[editar | editar código-fonte]

ao vivo[editar | editar código-fonte]

Compilações[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Flag of Brazil.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical do Brasil, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.