Diagonal (arte)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
As diagonais na arte oriental sem o contexto da perspectiva cônica.

Toda reta que não é paralela ao eixo ortogonal (verticais e horizontais) é considerada diagonal.[1] Desde a antiguidade sabe-se que as diagonais provocam a ilusão ótica de profundidade.[2]

A perspectiva faz isso, pois a dinâmica de movimento criada pelas linhas convergentes afeta a nossa percepção, causando a sensação do espaço real. Mas é possível fazer o mesmo de forma arbitrária, sem a utilização da perspectiva cônica, pois as diagonais, por si só, indicam profundidade, o que pode ser visto nos processos de perspectiva paralelas ou no tratamento dado ao espaço por grande parte da arte oriental.[3]

Referências

  1. Dicionário eletrônico Houaiss (3.0), Diagonal, Junho de 2009.
  2. Lessing, Gotthold Ephraim - Schriften, 1753-1755 (6 vols., rev. ed. 1771), Berlim.
  3. Rober Gillan Scott. Fundamentos del diseño. [S.l.]: Editorial Victor Leru, 1970. p. 122-123

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Arte ou História da arte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.