Diarquia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde março de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.

Diarquia (do grego: "δύο", e "αρχειν", "a lei") é uma forma de governo em que a chefia é compartilhada por dois chefes de Estado. Na maior parte das diarquias, o diarca mantém a sua posição para a vida e passa as suas responsabilidades e poderes aos seus filhos ou familiares, quando morre. O diarca é uma das mais antigas formas de governo e tem sido ao longo de vários séculos. As diarquias são conhecidas desde a Antiguidade, tendo estado presente em Esparta, Roma, Cartago, bem como em tribos dácias e germânicas. Várias sociedades antigas polinésias tiveram esta estrutura política. O Império Inca também esteve assim estruturado, com dois ocupantes de cada categoria, mas com diferente prestígio, um hanan (superior) e um hurin (inferior). No uso moderno, pode-se aplicar a organizações e a governos. Essas "diarquias" não são hereditárias. Exemplos de formas modernas são os governos de São Marino e da Irlanda do Norte. As reformas de Montagu-Chelmsford da Índia Britânica, prescreveram uma "diarquia" de ministros que foram individualmente responsáveis perante o poder legislativo, e a Organização da Defesa australiana funciona também como uma "diarquia".

Andorra é o único país no Mundo que, actualmente, funciona como uma diarquia, em que os seus diarcas são conhecidos como co-príncipes, sendo seus chefes de Estado.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre política, partidos políticos ou um político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.