Dicionário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2014). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Um dicionário é uma compilação de palavras ou dos termos próprios, ou ainda de vocábulos de uma língua, quase sempre dispostos por ordem alfabética e com a respectiva significação ou a sua versão em outra língua. Cada dicionário possui classificações em harmonia com objetivos e finalidades didáticas aos quais se compromete em abranger. Isso muito se deve a uma constante necessidade de atender aos diversificados níveis e áreas de conhecimento, o que resulta na minuciosa classificação dos diferentes dicionários disponíveis que conhecemos hoje.

Um dicionário de Latim. Os dicionários distinguem-se de acordo com suas finalidades.

O dicionário pode ser mais específico e tratar dos termos próprios de uma ciência ou arte.

Origem[editar | editar código-fonte]

Os dicionários remontam aos tempos antigos. Acredita-se que o dicionário tenha se originado na Mesopotâmia por volta de 2.600 a.C., feito em tabletes com escrita cuneiforme, ele informava repertórios de signos, nomes de profissões, divindades e objetos usuais, que funcionavam como dicionários unilíngues. Os gregos no século I criaram os lexicons para catalogar os usos das palavras da língua grega. Os gregos e os romanos já os utilizavam para esclarecimentos de dúvidas, termos e conceitos. Todavia, não eram organizados em ordem alfabética. Limitavam-se às definições de termos linguísticos ou literários. Foi somente no fim da Idade Média que houve o surgimento de dicionários e glossários organizados alfabeticamente. Quando as glosas desses manuscritos latinos tornaram-se numerosas, os monges as ordenaram alfabeticamente para facilitar a localização. Com isso, surgiu uma primeira tentativa de dicionário bilíngue latim-vernáculo. Com o advento da imprensa, no século XV, alavancou-se a difusão e o uso de novos dicionários. O estilo de dicionário que usamos atualmente foi incorporado no renascimento com o objetivo de traduzir as línguas clássicas para as modernas em função da bíblia [1] .

Tipos[editar | editar código-fonte]

Existem vários tipos de dicionários. Os mais comuns são:

  • Dicionários gerais da língua: são de versão extensa ou com adaptação a usos escolares. Possuem um considerável número de palavras, definidas em suas várias acepções e significados. Exemplos: Dicionário Michaelis; Dicionário Aurélio.
  • Dicionários etimológicos: fornecem a origem de cada palavra através de sua formação e evolução.
  • Dicionários de sinônimos e antônimos: definem o significado das palavras mediante equivalências ou afinidades (palavras sinônimas) e significados opostos (palavras antônimas).
  • Dicionários analógicos: reúnem as palavras por campos semânticos, ou por analogia a uma ideia. Geralmente não são dispostos em ordem alfabética.
  • Dicionários de abreviaturas: são muito úteis por facilitarem a comunicação ainda mais nesta época de abreviaturas e siglas.
  • Dicionários bilíngues ou plurilíngues: explicam o significado dos vocábulos estrangeiros e suas correlações com os vocábulos nativos.

Além dos dicionários supracitados, ainda existem outros que se propõem a atender diversas finalidades como dúvidas e dificuldades de uma língua, de frases feitas, de provérbios, de gírias e expressões regionais, etc...

Dicionário bilíngue[editar | editar código-fonte]

O dicionário bilíngue, Português – Latim, com o título “Dictionarium ex Lusitanico in Latinum Sermonem” é considerado o primeiro dicionário da língua portuguesa com 12064 verbetes, reeditado em 1569 com mais 728 entradas. É de autoria de Jerónimo Cardoso (c. 1510-1569) e foi publicado em 1569. No entanto, existe notícia de documentos anteriores a esta data, os quais se consideram perdidos, são estes o “Vocabulario Portuguez muy copioso com declaração da Origem de cada Vocabulo e de que língua emanou” de Duarte Nunes de Leão (c.1530-c.1608), e o “Dictionarium Lusitanum et Latinum” atribuído a Francisco Sanches de Castilho (c. 1558)[2] .

Dicionários de língua portuguesa[editar | editar código-fonte]

O Vocabulário Português e Latino, de Raphael Bluteau, que foi lançado entre 1712 e 1728, é considerado a primeira tentativa bem-sucedida de edição de um dicionário para a Língua Portuguesa. O Dicionário da Língua Portuguesa, de Antônio Moraes Silva, destaca-se entre os dicionários pioneiros em português. Publicado em Lisboa, em 1789, é reconhecido como o dicionário mais completo na língua. Em 1813, houve um enriquecimento e a publicação de uma segunda edição desse Dicionário que é considerada a edição definitiva de Moraes Silva.

Dicionaristas e suas obras[editar | editar código-fonte]

  • Chaves, Sylla (1929-2009) - Originala Esperanta Bildvortaro (primeira edição em 1993) e Oportuna Poŝvortaro Esperanta-Portugala (primeira edição em 2008).
  • Maria Tereza Camargo Biderman (1936-2008) Dicionário Didático de Português Dicionário de Termos Financeiros e Bancários (Colaborador: Eliane Simões Pereira) Dicionário do Estudante Dicionário Ilustrado do Português Meu Primeiro Livro de Palavras: um dicionário ilustrado do português de A a Z.

Utilização dos dicionários[editar | editar código-fonte]

Cada dicionário tem, muitas vezes, sua organização e suas finalidades discriminadas em um prólogo e é recomendável uma interação com tal conteúdo para um melhor aproveitamento da obra. Embora as informações sobre a língua em seu conjunto sejam objeto dos dicionários gerais, léxicos e enciclopédicos, vários dicionários especializados podem trazer um enfoque linguístico (dicionários de sinônimos, analógicos, etimológicos) ou enciclopédico em várias disciplinas, como psicologia, informática, cinema, literatura, ou outros. Além disso, os dicionários usualmente trazem contidos no apêndice, no começo ou no final, uma relação das abreviaturas utilizadas e dos sinais de pontuação específicos e é importante conhecê-los para otimizar seu manuseio.

Funções principais[editar | editar código-fonte]

  • Definir o significado das palavras e sua apresentação ortográfica.
  • Informar a etimologia das palavras, fornecendo explicações quanto a origem (latim, grego, árabe, alguma outra língua antiga ou empréstimo de alguma língua estrangeira moderna).
  • Assegurar a categoria gramatical da palavra (substantivo, verbo, pronome) e outros aspectos gramaticais (gênero, número).
  • Auxiliar, como forma de instrumento, o estudo de uma língua estrangeira.
  • Contribuir para uniformizar e manter a unidade da língua.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Help! Sistema de Consulta Interativa, Língua Portuguesa, pgs 30-3.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikcionário
O Wikcionário possui o verbete Dicionário.

Dicionários: Obras:

Dicionários: On-line

Dicionários:Outras línguas

Traduções