Diferença de idade nas relações sexuais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A diferença de idade nas relações sexuais é uma caraterística comum nas relações de casal, tanto sentimentais quanto sexuais. A aceitação social sobre a diferença de idade e o conceito sobre o que é considerado uma diferença de idade significativa tem variado com o tempo[1] e varia segundo as culturas[2] e os diversos sistemas jurídicos[3] e éticos. Muitas vezes depende de atitudes diferentes para a percepção das diferenças sociais e econômicas entre os grupos de idade e às vezes do facto da relação ser parte ou não de uma união espiritual ou jurídica.

A maioria das mulheres se interessam por homens da mesma idade ou mais velhos do que elas. Ao contrario, a maioria dos homens se interessam por mulheres entre 20 e 30 anos de idade. Isso significa que homens na adolescência se interessam por mulheres mais velhas do que eles.[4]

Tipos de disparidade[editar | editar código-fonte]

Há diversos tipos de relaçãos ou de tendências sexuais que podem implicar uma diferença significativa de idade. Eles podem ser classificados com diversos nomes, segundo a idade do objeto sexual de desejo:

  • Efebofilia: Atração sexual para adolescentes; também chamada de hebefilia.
  • Gerontofilia: Atração sexual para pessoas idosas ou com idade madura.
  • Pedofilia:[5] [6] Atração sexual para crianças prepubescentes ou no início da puberdade.
  • Infantofilia: Atração sexual para crianças pequenas.

Duas ou mais dessas tendências podem coexistir na mesma pessoa. Sua classificação como parafilia é um tema controverso na psicologia.

Personagens históricos e diferença de idade[editar | editar código-fonte]

  • O imperador romano Adriano enamorou-se do jovem grego Antínoo quando este tinha aproximadamente 13 anos.
  • O rei aragonês Raimundo Berengário IV casou com Petronila de Aragão quando esta era apenas um bebê. Possuiu-a quando tinha 13 anos, embora antes já teve outro tipo de relações com ela.[7]
  • O libertador indiano Mahatma Gandhi iniciou uma relação incestuosa com sua sobrinha-neta Manu quando ela tinha 19 anos de idade e ele 77.[7]
  • O escritor americano Edgar Allan Poe casou aos 27 anos com sua prima Virginia Clemm, de 13 anos.[7]
  • O poeta espanhol Antonio Machado casou aos 34 anos com Leonor Izquierdo, de 14 anos.[7]
  • O escritor mexicano Juan Rulfo conheceu quem seria sua esposa, Clara Aparicio, quando ela tinha 13 anos e ele 24.[8]
  • O escritor inglês Oscar Wilde conheceu aos 37 anos quem seria seu amante, Alfred Douglas, quando este tinha 21 anos.[7]
  • O escritor e dramaturgo francês Molière enamorou-se aos 50 anos de um ator de 15 chamado Michel Baron, com quem morou durante os três anos seguintes.[7]
  • O escritor francês Tony Duvert teve uma relação com um menino de oito anos no verão de 1973.[9] Aliás deste, Duvert teve relações com inúmeros meninos e adolescentes.[10]
  • Os poetas franceses Paul Verlaine e Arthur Rimbaud iniciaram uma relação amorosa quando o primeiro tinha 27 anos e o segundo 16.[7]
  • O músico russo Piotr Ilitch Tchaikovsky teve vários amantes adolescentes, entre eles Alexei Sofronov, de 14 anos, com quem morou até que este se independizou como compositor de ballets.[7]
  • O pintor francês Paul Gauguin teve inúmeras amantes adolescentes. Em Papeete (Tahiti) morou com uma rapariga mestiça de 13 ou 14 anos.[7]
  • O ator Charles Chaplin deixou grávida a jovem Lita Grey, de 16 anos, quando ele tinha 35.[11]
  • O bailarino e coreógrafo neerlandês Rudi van Dantzig iniciou aos 12 anos uma relação amorosa com um soldado canadense de aproximadamente 20 anos de idade.[12]
  • Segundo registos, a segunda esposa do profeta Maomé, Aicha, tinha seis anos de idade na altura do seu noivado e 14 na altura de seu casamento com o profeta.[13]

Referências

  1. Median Age at First Marriage, 1890–2010 — Infoplease.com
  2. (1986) "The Age Difference Between Spouses: Variations among Developing Countries". Population Studies 40 (3). DOI:10.1080/0032472031000142296.
  3. Worldwide Ages of Consent
  4. Antfolk, Jan; Salo, Benny; Alanko, Katarina; Bergen, Emilia; Corander, Jukka; Sandnabba, N. Kenneth; Santtila, Pekka (2015). "Women's and men's sexual preferences and activities with respect to the partner's age: evidence for female choice". Evolution & Human Behavior 36 (1): 73–79.
  5. Classificação Internacional de Doenças, CID-10, versão 2010 - Ver código F65.4 (em inglês).
  6. DSM-IV-TR: Paedophilia, código 302.2 (em inglês).
  7. a b c d e f g h i Santiago, Pablo. "Personajes históricos sospechosos de pedofilia". Em: Alicia en el lado oscuro (em espanhol). Madrid: Imagine, 2004, pp. 71-161. ISBN 84-95882-46-9.
  8. López, Sergio. Los caminos de la creación en Juan Rulfo (em espanhol), México: UNAM, 1994. ISBN 9683630421.
  9. Gilles Sebhan, Tony Duvert, l'enfant silencieux, Denoël, 2010, p. 92-9. (em francês)
  10. Gilles Sebhan, 2010, p. 88.
  11. Lynn, Kenneth. Charlie Chaplin and His Times (em inglês). Londres: Simon & Schuster, 1997. ISBN 068480851X.
  12. Crawford, Joel. "Voor een verloren soldaat" (em inglês). Paidika: The Journal of Paedophilia, Vol. III, nº 1 (inverno 1993), pp. 80-83.
  13. De acordo com University of Southern California (em inglês)