Dilbert

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde janeiro de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Dilbert é um personagem de tiras diárias criado por Scott Adams, teve também um desenho animado que durou duas temporadas. No Brasil, era exibido pela extinta Fox Kids.

Scott Adams era economista na Pacific Bell, o que lhe deu uma enorme experiência em burocracia e na generalidade das "coisas absurdas" da vida empresarial. Foi vítima de um downsizing, mas encontrou uma excelente forma de vingança. Provando que a caneta é mais poderosa que a espada, os cartoons Dilbert, que satirizam a vida dos negócios, aparecem em cerca de 1550 jornais e revistas de todo o mundo.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Dilbert[editar | editar código-fonte]

Tem 30 anos, é engenheiro e trabalha numa empresa californiana de alta tecnologia. Prefere os computadores às pessoas. Trabalha fechado em cubículos, veste roupas sem graça e a sua barriguinha revela as longas horas de trabalho sedentário. É o mais famoso da família Adams. Vive com o seu cão, Dogbert (se bem é mais exato dizer que seja Dogbert quem possui Dilbert, dada a relação debochadamente assimétrica entre os dois - por "assimétrica" leia-se: Dogbert manipula a Dilbert sem que este ou perceba, ou reconheça).

Dogbert[editar | editar código-fonte]

Parecido com Dilbert nos óculos e no "dom da palavra" é inteligente mas muito cínico (por "cínico" leia-se "realista". Sabe exatamente em que mundo vive e joga - melhor que os demais - segundo as regras). É consultor externo, trata as pessoas com desdém e adora demonstrar a sua superioridade intelectual (o que é deveras fácil, cercado que está de idiotas - tal qual o mundo real). A sua não-secreta ambição é escravizar os humanos (embora não a atinja porque, no fundo, sabe o desperdício de tempo que os humanos são. No final, é mais divertido e lucrativo planar acima das vãs expectativas destes "macacos pelados", usando de suas suscetibilidades para manipulá-los). Popularmente conhecido por CãoBerto! (caoberto).

Alice[editar | editar código-fonte]

Tal como Wally, está integrada na equipa de Dilbert, a que dá um toque feminino (se bem que as palavras "Alice" e "feminino" na mesma frase soe um tanto antitético). É a mais reivindicativa – quando os outros se calam, a sua voz continua a fazer-se ouvir.

Chefe[editar | editar código-fonte]

É o pior pesadelo dos empregados. Não nasceu mau e sem escrúpulos, mas lutou arduamente para o conseguir. E teve sucesso. O seu nível de inteligência está muito abaixo do de todos os empregados - afinal, é por isso que é o chefe.

Ratbert[editar | editar código-fonte]

É um optimista que só quer ser amado (um 'banana' enfim). É frequentemente envolvido nos esquemas diabólicos de Dogbert.

Catbert[editar | editar código-fonte]

É o gestor de recursos humanos e diverte-se com manobras sádicas. É útil quando tem que dar más notícias (aliás, uma habilidade assaz útil no mundo corporativo: a capacidade de não dar a mínima para os sentimentos dos envolvidos) – o downsizing é sua prática mais frequente.

Wally[editar | editar código-fonte]

Engenheiro integrado na equipe de Dilbert, de quem é colega inseparável e com quem partilha as frustrações do dia-a-dia. Está também sujeito aos caprichos do chefe. Vive o tempo todo com sua caneca de café.

Bob[editar | editar código-fonte]

Afinal, os dinossauros não estão extintos. Bob vive escondido na casa de Dilbert e é o companheiro de Dogbert. Procura constantemente por emprego.

Outros elementos[editar | editar código-fonte]

Países[editar | editar código-fonte]

A República da Elbonia é um país fictício supostamente localizado nos Balcãs, presente nas tirinhas diárias Dilbert e Plop: o Elboniano Careca ambas de Scott Adams. É retratado como um país extremamente pobre, do Quarto Mundo que abandonou o Comunismo recentemente[1] . A maior parte da nação é coberta por lama até a altura da cintura, e os habitantes a usam para construir suas residências.

Elbonia apresenta alguma semelhanças com uma das vertentes da tirinha Li'l Abner, do autor Al Capp: uma nação chamada Baixa Slobbovia, localizada na Sibéria, cujos cidadãos são invariavelmente apresentados com neve e gelo na altura da cintura.

A ave-símbolo da Elbonia é o Frisbee.[2] . Há também "doninhas da lama", que como o nome diz vivem na lama, e podem morder pessoas.[3]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.