Dimebag Darrell

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações.
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Dimebag Darrell
Dimebag Darrell
Informação geral
Nome completo Darrell Lance Abbott
Também conhecido(a) como Diamond Darrell
Nascimento 20 de agosto de 1966
Origem Dallas, Texas
País  Estados Unidos
Data de morte 8 de dezembro de 2004 (38 anos)
Gênero(s) Heavy metal, thrash metal, glam metal, groove metal
Instrumento(s) Guitarra
Modelos de instrumentos Dean/Washburn Dime
Período em atividade 19812004
Afiliação(ões) Pantera
Damageplan

Darrell "Dimebag" Abbott (20 de agosto de 1966 - 8 de dezembro de 2004), também chamado de Diamond Darrell, foi o guitarrista das bandas de heavy metal Pantera, Damageplan e Rebel Meets Rebel. Dimebag Darrell foi assassinado em palco, durante um show do Damageplan em Alrosa Villa, Columbus, Ohio. Foi considerado o 92º melhor guitarrista de todos os tempos pela revista norte-americana Rolling Stone.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Darrell Lance Abbott nasceu em Dallas, no Estado norte-americano do Texas, filho de Jerry Abbott, compositor de música country[2] . Seu pai era dono de um estúdio de gravação na cidade de Pantego, Texas, onde Darrell viu a performance de muitos guitarristas de blues, inspirando-o mais tarde a aprender a tocar o instrumento. Logo, Abbott começou a participar de competições estaduais de guitarra e com 16 anos foi proibido de participar porque ganhava muitas vezes.

Entre as principais influências musicais de Dimebag estavam: Kiss, Judas Priest, Randy Rhoads, Eddie Van Halen e Ace Frehley.

Em memória a Dimebag várias bandas, revistas, jornais, programas de TV e algumas celebridades, todas internacionais, se pronunciaram ou fizeram projetos em memória deste guitarrista. Dentre estas homenagens, uma das mais respeitadas é a musica composta por Zakk Wylde da banda Black Label Society, em seu clipe In This River, Zakk e Darrell eram muito próximos. Uma outra homenagem também muito conhecida é a música Betrayed da banda Avenged Sevenfold do álbum City of Evil, que tenta retratar o que se passou com Nathan Gale, o assassino de Dimebag. A banda Nickelback gravou a música "Side Of A Bullet" em homenagem ao guitarrista, onde foram utilizados samples de estúdio do próprio Dimebag para o solo. O Guitarrista Mark Tremonti, do Creed, usa também uma guitarra com um adesivo de Darrell. Mark usa a guitarra em todos os shows, inclusive no DVD live houston 2009.

Morte e repercussão[editar | editar código-fonte]

Em 8 de dezembro de 2004, Nathan Gale iniciou um tumulto durante um show da banda Damageplan no clube Alrosa Villa, na cidade de Columbus, Ohio, e atirou em Darrell, matando-o. Após isso, ele virou-se e começou a atirar em todos os que haviam subido no palco para impedi-lo, matando também o Nathan Bray, que estava na platéia, o funcionário do clube Erin Halk e o chefe da segurança Jeff "Mayhem" Thompson, que trabalhavam no local. Foram baleados ainda um dos empresários da banda, Chris Paluska, e o técnico de bateria John “Kat” Brooks, que sobreviveram. 15 pessoas foram atingidas, no total. O oficial de polícia James D. Niggemeyer respondeu rapidamente com tiros, matando Nathan Gale antes que ele fugisse ou matasse mais pessoas.[3]

Os motivos que levaram Nathan Gale a cometer o crime, nunca puderam ser completamente compreendidos, embora alguns relatem que, antes de atirar, ele gritou algo sobre a dissolução da banda Pantera, da qual o guitarrista Dimebag Darrell fazia parte. Aqueles que o conheciam afirmam que ele era um grande fã do Pantera e que ele sofria de problemas mentais, tendo inclusive sido medicado durante sua passagem pelo Exército americano, no qual serviu de fevereiro de 2002 a novembro de 2003, na Carolina do Norte, no cargo de mecânico. Especula-se que sua passagem pelo exército tenha sido problemática, pois as circunstâncias de sua saída não foram bem esclarecidas. Alguns manuscritos de Nathan revelaram que ele pode ter sofrido de esquizofrenia.[4] Amigos seus dizem que ele chegou a ter um cachorro imaginário, o que confirmaria a tese. Entusiasta da tatuagem, foi dito que Nathan havia provocado uma pequena confusão ao tentar comprar uma máquina de tatuar na manhã daquele mesmo dia. Nathan jogava futebol americano no Lima Thunder, um time semi-profissional, e era conhecido por sempre ouvir músicas do Pantera ao se preparar antes do início das partidas.

A repercussão de seu assassinato foi grande. No Brasil, durante o Jornal da Globo, da Rede Globo, o cronista Arnaldo Jabor chamou a todos os headbangers de "violentos e sujos". Muitas cartas foram enviadas à emissora em protesto aos comentários.

O enterro de Dimebag foi realizado em uma cerimônia fechada à imprensa. Somente a família, Déborah B. e os amigos puderam assistir. No entanto, fãs do mundo inteiro fizeram vigília na sua casa no Texas, onde Dimebag Darrell passou sua infância, em um singelo ato de respeito ao guitarrista. Darrell foi enterrado em um caixão do Kiss com uma guitarra original enviada por Eddie Van Halen.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Tributos[editar | editar código-fonte]

No final de 2009, a revista britânica Metal Hammer lançou um CD tributo ao guitarrista. As bandas e as músicas escolhidas se encontram na lista abaixo:

  1. Zakk Wylde - Suicide Note Part 1
  2. Black Label Society - In This River
  3. Machine Head - Fucking Hostile
  4. Malefice - I'm Broken
  5. Avenged Sevenfold - Walk
  6. Evile - Cemetery Gates
  7. Five Finger Death Punch - A New Level
  8. Biohazard - Mouth for War
  9. Sylosis - Strength Beyond Strength
  10. Chimaira - Slaughtered
  11. Unearth - Sandblasted Skin
  12. Throwdown - Becoming
  13. Kiuas - This Love
  14. This is Hell - Rise
  15. Nonpoint - 5 Minutes Alone*
  16. Bullet for my Valentine - Domination
  • * faixa bônus online

Literatura[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]