Dinastia arsácida da Ibéria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A dinastia arsácida (em georgiano: არშაკიანი, Aršakiani, ou არშაკუნიანი, Aršakuniani), uma ramificação da dinastia epônima parta, governou o antigo Reino da Ibéria de cerca de 189 a 284 d.C., quando foram sucedidos pela dinastia cosroide.

História[editar | editar código-fonte]

Uma vez que os arsácidas, personificados por Vologases II (r. 180-191), haviam consolidado seu domínio sobre o trono armênio, por volta de 180, eles se sentiram confortáveis para interferir com a Ibéria. De acordo com as crônicas medievais georgianas, o rei da Armênia, que o historiador armeno-georgiano Cyril Toumanoff identificou com Vologases II, ajudou os nobres rebeldes da Ibéria a depor seu cunhado, Amazaspo II da Ibéria, o último dos farnabázidas, e substituiu Amazaspo por seu filho, Rev I, cujo reinado (189-216) deu início à dinastia arsácida na Ibéria.1

Ao mesmo tempo em que os arsácidas assumiram os tronos dos reis reinos caucasianos - Armênia, Ibéria e Albânia - a dinastia foi afastada, em 226, do poder em seu território de origem, dando lugar a uma dinastia mais poderosa e dinâmica, os sassânidas, que surgiram como novos mestres da Pérsia. Embora as crônicas georgianas posteriores documentem esta mudança de poder, o seu relato sobre o período está repleto de anacronismos e alusões semilendárias, e fornece poucos detalhes sobre os efeitos da ressurgência iraniana sobre a Ibéria arsácida. O pouco que se sabe do período vem das fontes clássicas, bem como das inscrições sassânidas.1

Ao substituir o fraco reino parta por um estado forte e centralizado, os sassânidas mudaram a orientação política da Ibéria pró-romana, e reduziu-a a um estado tributário. Sapor I (r. 242-272) colocou um vassalo seu, Amazaspo III (r. 260-265) - possivelmente um rival (ou antirei) de Mitrídates II - no trono da Ibéria. Em 284, com a morte de Aspagur II, a linhagem arsácida ibérica foi interrompida, e os sassânidas aproveitaram-se de uma guerra civil no Império Romano para fortalecer seu candidato ao trono, Mirian III, da dinastia cosroide.1 2

Reis arsácidas da Ibéria
Monarca Ano
Rev I 189 a 216
Vache 216 a 234
Bacúrio I 234 a 249
Mitrídates II 249 a 265
Amazaspo III 260 a 265
Aspacures I 265 a 284

Referências

  1. a b c Rapp, Stephen H. (2003), Studies In Medieval Georgian Historiography: Early Texts And Eurasian Contexts, pp. 292-294. Peeters Bvba ISBN 90-429-1318-5.
  2. Suny, Ronald Grigor (1994), The Making of the Georgian Nation: 2nd edition, p. 15. Indiana University Press, ISBN 0253209153
  • Melikishvili, Giorgi et al.. (1970), საქართველოს ისტორიის ნარკვევები (Studies in the History of Georgia), Vol. 1. Tbilisi: Sabch'ota Sakartvelo.