Diocese de Portalegre-Castelo Branco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Diocese de
Portalegre-Castelo Branco
Diœcesis Portalegrensis-Castri Albi
Antiga Sé de Castelo Branco
Localização
País Portugal
Arquidiocese Metropolitana Patriarcado de Lisboa
Estatísticas
População 240 481 (98,5% católicos)
Área 9 150 km²
Informação
Denominação Católica Romana
Rito Romano
Criação da Diocese 2 de Abril de 1550 (como Diocese de Portalegre; a actual designação data de 18 de Julho de 1956)[1]
Catedral Sé Catedral de Portalegre
Padroeiro Santo Agostinho
Governo da Diocese
Bispo D. Antonino Eugénio Fernandes Dias
Bispo Emérito D. Augusto César Alves Ferreira da Silva
Jurisdição Diocese
Contactos
Endereço Apartado 20, 7301-901 Portalegre
Página Oficial www.ecclesia.pt/
portalegre-c.branco/
dados em catholic-hierarchy.org

A diocese de Portalegre-Castelo Branco é uma das dioceses católicas em que está dividido Portugal. É composta de 5 arciprestados. Do território actual da diocese fazem parte as antigas dioceses de Portalegre e Castelo Branco, bem como a maior parte da extinta diocese de Elvas.

História[editar | editar código-fonte]

A antiga diocese de Portalegre foi criada pelo Papa Paulo III em 21 de Agosto de 1549 (bula Pro Excellenti Apostolicae Sedis), por desmembramento da diocese da Guarda, na sequência de diligências nesse sentido por parte do rei D. João III, que elevaria Portalegre a cidade a 23 de Maio de 1550.[1] [2]

A antiga de diocese de Castelo Branco foi criada em 7 de Junho de 1771 pelo Papa Clemente XIV a partir da diocese da Guarda. D. José tinha elevado Castelo Branco a cidade, por alvará de 20 de Março e Carta Régia de 15 de Abril do mesmo ano. A diocese de Castelo Branco integrou-se na diocese de Portalegre em 30 de Setembro de 1881 sob o pontificado do Papa Leão XIII pela carta apostólica Gravissimum Christi, e pelo decreto régio de 14 de Setembro de 1882, sob o pretexto de dificuldades económicas.

A antiga diocese de Elvas foi criada em 9 de Junho de 1570 por uma bula do Papa Pio V e foi extinta na mesma data da de Castelo Branco, 30 de Setembro de 1881.

Após aquela data a designação oficial foi Diocese de Portalegre, situação que foi mudada em 18 de Julho de 1956, data em que a designação oficial foi mudada para a actual.[1]

A Sé Catedral de Portalegre foi construída no local onde se localizava a igreja de Santa Maria do Castelo. A primeira pedra foi lançada no dia 14 de Maio de 1556.

Em 8 de Setembro de 2008, foi anunciada a nomeação para Bispo de Portalegre - Castelo Branco de D. Antonino Eugénio Fernandes Dias, anteriormente Bispo Auxiliar de Braga. O antigo prelado, D. José Alves, fora nomeado a 8 de Janeiro de 2008 Arcebispo de Évora.

Primeiros bispos[editar | editar código-fonte]

O primeiro bispo da diocese de Portalegre foi Julião de Alva, um eclesiástico de origem espanhola que antes havia chefiado a diocese de Miranda do Douro. Em 17 de Julho de 1560, Alva foi substituído por André de Noronha. Frei Amador Arrais, o autor dos famosos Diálogos foi o bispo seguinte. Arrais resignou em 1582, tendo-se retirado para Coimbra onde viria a morrer. Lopo Soares de Albergaria e Frei Manoel de Gouveia foram indicados para bispos, mas faleceram antes mesmo de receberem as respectivas bulas papais. Diego Correia, um sobrinho do beato Frei Bartolomeu dos Mártires tornou-se bispo em 1598. Antes tinha estado em Ceuta. Diogo Correia faleceu a 9 de Outubro de 1614.[3] [4]

Entre os bispos portalegrenses do século XVII conta-se Richard Russell, um inglês que recebeu a bula papal a 17 de Setembro de 1671. Russell viria a ser transferido para a diocese de Viseu em 1685.[3] [4]

Em 1900, a diocese contava 447 igrejas e capelas e 197.343 fiéis, divididos por 148 paróquias servidos por 286 sacerdotes. No seu território havia também 16 protestantes.[4]

Em 2006, a diocese contava com 161 paróquias servidas por 105 sacerdotes e 12 diáconos.[3]

Bispos de Portalegre[editar | editar código-fonte]

  1. Julião de Alva (1549-1560)
  2. André de Noronha (1560-1581)
  3. Frei Amador Arrais (1581-1596)
  4. ... (1596-1598)
  5. Diogo Correia (1598-1614)
  6. Rodrigo da Cunha (1615-1618)
  7. Frei Lopo de Sequeira Pereira (1619-1632)
  8. Joane Mendes de Távora (1632-1638)
  9. ... (1638-1671)
  10. Richard Russell (1671-1685)
  11. João (I) de Mascarenhas (1686-1692)
  12. António de Saldanha (1693-1706)
  13. Frei Domingos Barata (1707-1709)
  14. ... (1709-1711)
  15. Álvaro Pires de Castro e Noronha (1711-1737)
  16. ... (1737-1742)
  17. Manuel Lopes Simões (1742-1748)
  18. Frei João (II) de Azevedo (1748-1765)
  19. Jerónimo Rogado de Carvalhal e Silva (1766-1772)
  20. Pedro de Melo e Brito da Silveira e Alvim (1772-1777)
  21. Manuel (I) Tavares Coutinho e Silva (1778-1798)
  22. José (I) Valério da Cruz (1798-1826)
  23. ... (1826-1831)
  24. José (II) Francisco da Soledade Bravo (1831-1833)
  25. Francisco de São Luís Saraiva (1833-1845), administrador apostólico
  26. Manuel Pires de Azevedo Loureiro (1845-1848), administrador apostólico
  27. Guilherme Henriques de Carvalho (1848-1857), administrador apostólico
  28. ... (1857-1883), administradores apostólicos, a partir de 1881, anexadas as Dioceses de Elvas e de Castelo Branco
  29. José Maria da Silva Ferrão de Carvalho Martens (1883-1884)
  30. Manuel Bernardo de Sousa Enes (1885-1887)
  31. Gaudêncio José Pereira (1888-1908)
  32. António Moutinho (1909-1915)
  33. Manuel Mendes da Conceição Santos (1915-1920), depois arcebispo de Évora
  34. Domingos Maria Frutuoso (1920-1949)
  35. António Ferreira Gomes (1949-1952), também bispo do Porto
  36. Agostinho Joaquim Lopes de Moura (1952-1956), a partir de 1956, bispo de Portalegre-Castelo Branco

Bispos de Portalegre-Castelo Branco[editar | editar código-fonte]

  1. Agostinho Joaquim Lopes de Moura (1956-1978), a partir de 1956, bispo de Portalegre-Castelo Branco
  2. Augusto César Ferreira da Silva (1978-2004)
  3. José Francisco Sanches Alves (2004-2008), depois Arcebispo de Évora
  4. Antonino Eugénio Fernandes Dias (2008-), antigo bispo auxiliar de Braga[1]

Referências

  1. a b c d Diocese of Portalegre – Castelo Branco Giga-Catholic Information (2009-11-07). Página visitada em 2009-11-13. Cópia arquivada em 2009-11-13.
  2. Ventura, António (2009-09-09). As origens da cidade de Portalegre Câmara Municipal de Portalegre. Página visitada em 2009-11-12. Cópia arquivada em 2009-11-12.
  3. a b c Knight, Kevin. Portalegre New Advent Catholic Encyclopedia. Página visitada em 2009-11-13. Cópia arquivada em 2009-11-13.
  4. a b c Cheney, David M. (2009-08-10). Diocese of Portalegre – Castelo Branco Catholic-Hierarchy. Página visitada em 2009-11-13. Cópia arquivada em 2009-11-13.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  1. Escutismo nesta diocese: Região de Portalegre e Castelo Branco[ligação inativa]


Bandeira do Vaticano Circunscrições eclesiásticas da Igreja Católica em Portugal Bandeira de Portugal
Metrópoles Eclesiásticas
Patriarcado de Lisboa | Arquidiocese de Braga | Arquidiocese de Évora
Dioceses
Algarve | Angra | Aveiro | Beja | Bragança-Miranda | Coimbra | Funchal | Guarda
Lamego | Leiria-Fátima | Portalegre-Castelo Branco | Porto | Santarém
Setúbal | Viana do Castelo | Vila Real | Viseu
Ordinariato Castrense
Dioceses históricas entretanto extintas
Aquæ Flaviæ (Chaves) | Betecas (Boticas) | Caliábria | Castelo Branco
Dume | Elvas | Magneto (Meinedo) | Miranda | Penafiel | Pinhel | Salácia