Diogo Luís Santo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Diogo
Informações pessoais
Nome completo Diogo Luís Santo
Data de nasc. 26 de Maio de 1987 (27 anos)
Local de nasc. São Paulo,  Brasil
Nacionalidade  Brasil
Altura 1,82 m
Ambidestro
Apelido Diogol
Informações profissionais
Clube atual Brasil Palmeiras
Número 17
Posição Atacante
Clubes de juventude
Brasil Portuguesa
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
20052008
20082012
2010
2011
2013
2014
Brasil Portuguesa
Grécia Olympiakos
Brasil Flamengo (emp.)
Brasil Santos (emp.)
Brasil Portuguesa
Brasil Palmeiras
0061 000(24)
0071 000(17)
0017 0000(1)
0020 0000(1)
0022 0000(4)
0017 0000(1)
Seleção nacional3
2007 Brasil Brasil Sub-23 0001 0000(0)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 20 de julho de 2014.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 11 de Janeiro de 2011.

Diogo Luís Santo (São Paulo, 26 de maio de 1987) é um futebolista brasileiro que atua como atacante. Atualmente, defende a Sociedade Esportiva Palmeiras.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Começou no futebol de várzea do Caverinha, onde foi destaque nos campeonatos do colégio Luis Magalhães de Araújo.

Portuguesa[editar | editar código-fonte]

Dono de um futebol que alia técnica, velocidade e competência nas finalizações, Diogo começou na Portuguesa em 2006, mas ganhou destaque em 2007, quando o clube disputava a Série A2 do Paulistão. O jogador, que alternava entre o meio-campo e o ataque, jogando como centro-avante ou aberto pelos cantos ajudou o clube a voltar para a elite e já despontava como grande promessa para a Série B, atraindo, desde então, o interesse de clubes europeus.

Na Segundona veio a confirmação de seu talento: com 18 gols em 28 partidas, foi eleito pela Futebol Brasil Associados (FBA) o melhor jogador da Série B, assumindo papel decisivo no segundo acesso lusitano na temporada. A convocação para a seleção brasileira sub-23 que disputou um amistoso contra as estrelas do Brasileirão coroou seu ano de ouro e atraiu ainda mais os holofotes para o jogador.

O assédio dos clubes europeus intensificou-se, mas não o suficiente para tirar Diogo do Canindé no início de 2008. Entre os interessados, Arsenal, Liverpool, Lokomotiv Moscou e CSKA Moscou, sendo que os russos chegaram com propostas concretas. A opção por ficar na Lusa se mostrou acertada, embora tenha durado apenas um semestre. O jogador fez um belo Campeonato Paulista, mas infelizmente fraturou o pé na primeira partida do campeonato paulista, no jogo de estreia, entre Santos e Portuguesa, logo no início do jogo. Iniciou bem a Série A, até sofrer uma fratura no pé que o deixou parado por mais de um mês.

A Portuguesa, desde o início, deu indícios de que iria retornar à Segundona, mas o desempenho de Diogo não deixou a desejar: em 13 jogos, o atacante marcou seis gols e acabou com as suspeitas de que seria apenas um jogador de segunda divisão.

Olympiakos[editar | editar código-fonte]

As propostas eram cada vez maiores, e sua venda para o Olympiakos por 9 milhões de euros não chegou a ser surpreendente. Foi o maior negócio da história da Lusa, que acabou rebaixada no fim do ano.

Na Grécia, o jogador foi recebido como rei. Foi inscrito camisa 10, que pertenceu aos ex-ídolos do clube Giovanni e Rivaldo, e agradeceu os paparicos com gols e assistências decisivas. O clube garantiu o pentacampeonato em 2009 e seu desempenho na Super League foi acima do esperado. Em 23 partidas, seis gols marcados e impressionantes oito assistências. Se somarmos com os jogos da Copa da Grécia e da Copa da UEFA resulta em números espantosos para quem acabou de chegar à Europa.

Flamengo[editar | editar código-fonte]

Em 18 de agosto de 2010 Diogo teve sua transferência confirmada para o Flamengo, o técnico espanhol Ernesto Valverde o liberou para assinar o contrato de empréstimo, sem muito destaque em campo com atuações abaixo da média tendo marcando somente um gol,sendo assim liberado para atuar no Santos.

Santos[editar | editar código-fonte]

No dia 20 de janeiro de 2011, Diogo assinou com o Santos para a disputa da Taça Libertadores da América, com vínculo de empréstimo até o final de 2011.

Portuguesa[editar | editar código-fonte]

No dia 6 de março de 2013 foi anunciada sua volta ao clube que o revelou para o futebol. Após rescindir seu contrato com o Olympiakos, Diogo acertou seu retorno à Portuguesa.[1]

Palmeiras[editar | editar código-fonte]

Após uma boa temporada na Lusa, Diogo despertou o interesse do Palmeiras, que o contratou no dia 3 de janeiro de 2014

Títulos[editar | editar código-fonte]

Portuguesa
Olympiakos
Santos

Prêmios Individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre futebol brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.