Dionísio Exíguo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Janeiro de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Dionísio o Exíguo inventor dos Anno Domini.

Dionísio Exíguo (em latim: Dionysius Exiguus; Cítia Menor, c. 470 — c. 544), também conhecido por Dionísio, o Exíguo (ou seja Dionísio o Menor, significando o Humilde), foi um monge do século VI, nascido na Cítia Menor, no que é actualmente a região de Dobruja, Roménia, membro da chamada comunidade dos monges da Cítia em Roma, versado em matemática e em astronomia, que se celebrizou pela criação de um conjunto de tabelas para calcular a data da Páscoa, levando à introdução do conceito de anno Domini, o ano do Senhor, a contagem dos anos a partir do nascimento de Cristo, ainda em uso e hodiernamente em geral referida como era comum ou Era Cristã. Vivendo em Roma desde cerca do ano 500, era um dos sábios da Cúria Vaticana, na qual traduziu da língua grega para a latina 401 cânones eclesiásticos, incluindo os cânones apostólicos e os decretos do Primeiro Concílio de Niceia, do Primeiro Concílio de Constantinopla, dos Concílio de Calcedónia e do Concílio de Sardes.

Também se lhe deve uma tradução para o latim de uma colecção de decretos papais (decretos apostólicos) referentes aos pontificados desde o papa Sirício até ao papa Anastácio II. Aquelas traduções foram muito influentes na estruturação doutrinária das igrejas ocidentais, mantendo-se na actualidade em uso alguns dos respectivos cânones.

Dionísio o Exíguo também escreveu um tratado de Matemática elementar. O venerável Beda intitula-o de abade, mas o seu amigo Cassiodoro, na sua obra Institutiones, refere-o como um simples monge.

Determinação do anno Domini[editar | editar código-fonte]

Os cálculos que levaram ao calendário cristão, baseado na data do nascimento de Jesus Cristo, foram realizados por Dionísio Exíguo no ano 532, na época denominado ano duzentos e oitenta e quatro da Era Diocleciana. Exíguo não queria usar um calendário cujo nome se referia a um tirano e perseguidor de cristãos, e resolveu datar os eventos a partir do nascimento de Jesus.[1]

Como os romanos datavam os eventos a partir da fundação de Roma (Ab Urbe Condita), Exíguo determinou a data de nascimento de Jesus neste calendário. A partir de Lucas 3:1, se Jesus tinha trinta anos no décimo-quinto ano do reinado de Tibério em Roma, e se Tibério sucedeu Augusto em 19 de agosto de 767 A.U.C., conclui-se que Jesus nasceu no ano 753 A.U.C. Porém, este fato está em desacordo com Mateus 2:1, pois Jesus teria nascido antes da morte de Herodes, em 749 A.U.C. A solução é que Tibério iniciou seu reinado com colega de Augusto, quatro anos antes da morte deste. Assim, o décimo-quinto ano de Tibério, citado por Lucas, ocorreu quatro anos antes do suposto por Exíguo.[1]

Referências

  1. a b Philip Mauro, The Wonders of Bible Chronology (1922), p.84,85, citado na introdução de James Ussher, The Annals of the World, p.10 [em linha]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bonnie Blackburn, Leofranc Holford-Strevens,Calendars and chronology in The Oxford companion to the year, Oxford, 1999.
  • Georges Declercq, Anno Domini: The origins of the Christian era (Turnhout, 2000); idem, "Dionysius Exiguus and the introduction of the Christian era", Sacris Erudiri 41 (2002): 165-246.
  • Dionysius Exiguus, Patrologia Latina 67 (works).
  • Charles W. Jones, "Development of the Latin ecclesiastical calendar", in Bedae opera de temporibus (Cambridge, Mass., 1943), 1-122.
  • Otto Neugebauer, Ethiopic astronomy and computus, Österreichische Akademie der Wissenschaften, philosophisch-historische klasse, sitzungsberichte, 347 (Vienna, 1979).
  • Gustav Teres, "Time computations and Dionysius Exiguus", Journal for the history of astronomy, 15 (1984): 177-188.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]