Dioscórides

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde junho de 2012)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Dioscórides recebe a mandrágora da ninfa Epione. Viena, Biblioteca Nacional Austríaca, Cod. med. gr. 1

Pedânio Dioscórides (fl. 50-70) foi um autor greco-romano, considerado o fundador da farmacognosia através da sua obra De materia medica, a principal fonte de informação sobre drogas medicinais desde o século I até ao século XVIII.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Dioscórides nasceu em Anazarbo, próximo de Tarsos, na actual Turquia. Terá estudado Medicina em Tarsos e em Alexandria, acompanhou as legiões romanas, provavelmente como médico, na Ásia Menor, em Itália, Grécia, Gália e Península Ibérica, no tempo do imperador Nero. Escreveu em grego a De materia medica, nome pelo qual a sua obra ficou conhecida na tradução latina.

Obra[editar | editar código-fonte]

A De materia medica encontra-se dividida em cinco livros. Nela se descrevem cerca de 600 plantas, 35 fármacos de origem animal e 90 de origem mineral, dos quais só cerca de 130 já apareciam no Corpus hippocraticum e 100 ainda são considerados como tendo actividade farmacológica. A sua influência foi enorme até ao século XVIII, existindo inúmeras traduções do grego para um grande número de línguas.

A obra de Dioscórides é essencialmente de carácter empírico, não seguindo nenhum sistema médico em particular. Apesar disso, ele procurou desenvolver um método para observar e classificar os fármacos, testando-os clinicamente. A historiografia estabeleceu que Plínio e Dioscórides desconheciam os trabalhos um do outro, sendo algumas semelhanças entre as obras dos dois autores originadas pelo facto de terem utilizado uma mesma fonte, a De materia medica de Sêxtio Níger.

Durante o Renascimento, a obra de Dioscórides foi objecto de um renovado interesse e de estudos por vários autores. A versão latina da De materia medica foi impressa em 1478 e em 1512. A primeira edição em grego foi impressa em 1499. A partir de 1516, este autor foi objecto de um grande número de edições, traduções e comentários, de Ermolao Barbaro (1454-1493), Jean de Ruelle (1474-1537), Pier Andrea Mattioli (1501-1577) e Amato Lusitano (1511-1568). A principal edição ibérica de Dioscórides foi a de Andrés Laguna (1511-1559), feita a partir da de Jean de Ruelle, intitulada Pedacio Dioscorides... Materia medicinal (Antuérpia, 1555).

Entre as publicações relativamente recentes da obra de Dioscórides destaca-se o trabalho do botânico, e farmacêutico Pius Font i Quer (1888 - 1964) Plantas medicinais, o Dioscórides renovado uma das mais completas obras do gênero (constantemente re-editada) identificando as espécies utilizadas.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Riddle,J.M. Dioscorides on Pharmacy and Medicine. Austin: University of Texas Press, 1985
  • Riddle,J.M. Dictionary of Scientific Biography. Vol. 4, pp. 119-123.
  • Font Quer, P. Plantas medicinales : el Dioscórides renovado. Barcelona, Lábor, 1962.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikipedia-pt-hist-cien-logo.png Portal de história da ciência. Os artigos sobre história da ciência, tecnologia e medicina.