Diplo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde março de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Diplo
Diplo
Informação geral
Nome completo Thomas Wesley Pentz
Também conhecido(a) como Diplodocus
Nascimento Tupelo, Mississippi
Origem Philadelphia, Pennsylvania
Gênero(s) Música eletrônica, hip hop, reggae, funk carioca
Período em atividade 2003 - atualmente
Outras ocupações DJ , Produtor musical, Compositor
Gravadora(s) Big Dada
Afiliação(ões) Hollertronix
M.I.A., Sia, Weekend
Página oficial http://maddecent.com/blog/

Wesley Pentz, conhecido como Diplo, é um DJ americano que mistura em seus sets e produções influências de miami bass, dirty south, hip-hop, pop e funk carioca.

Influências[editar | editar código-fonte]

Diz a lenda que Diplo conheceu o funk carioca através de uma fita que suas amigas argentinas escutavam sem parar. Sua obsessão foi tão grande que Diplo resolveu comprar uma passagem e ver com seus próprios olhos o que era o tal do funk carioca (que a imprensa estrangeira chama de Baile funk). Depois de procurar e não achar nada nas lojas de discos convencionais, um novo mundo foi descoberto, com mixtapes caseiras em CD-R, bailes em locais nada turísticos e todo clima que circunda o funk carioca.

Além paixão pelo hip hop old school/electro (bases do funk carioca), Diplo viu no funk carioca uma versão ainda mais punk do tão amado dirty south, o rap produzido em sua terra natal, no sul dos Estados Unidos [1] . Assim como o funk carioca, o dirty south sempre foi relegado a um segundo plano, classificado como "música de pobre". Ao ver com seus próprios olhos a natureza do funk carioca, Diplo se sentiu em casa.

O resultado dessa mistura de dirty south, electro, hip hop, funk carioca e ragga recebeu o nome de "Florida", lançado pelo conglomerado Big Dada/Ninja Tune (selo de propriedade da dupla Coldcut, e ponta de lança de alguns dos maiores nomes da música moderna como Roots Manuva, Jaga Jazzist, Kid Koala e outros). O ponto central do disco é a música "Diplo Rhythm". Sandra Melody antecipa o “aproach” de M.I.A. sobre uma base electro ragga, que apenas faz o caminho para Vybz Cartel (um dos grandes nomes do novo som jamaicano) levar a Jamaica para Nova Iorque, e fechando o grande ciclo da tal invasão que o terceiro mundo está promovendo na música eletrônica. Pantera & Os Danadinhos tomam para si a base, levando a mesma para uma volta no Rio de Janeiro.

M.I.A.[editar | editar código-fonte]

Diplo, já despontando como revelação, vai discotecar na Fabric (um grande clube em Londres) e toca uma das músicas do seu set, a até então obscura Galang. Intrigada M.I.A. vai até a cabine do DJ. Diplo mostra para M.I.A. o mundo do funk carioca, que o leva a produzir o single Bucky Done Gun que sampleava quase que integralmente "Injeção", uma canção da funkeira carioca Deise Tigrona. Juntos criam em 2004 uma prévia de Arular (disco de estréia de M.I.A.) chamado "Piracy Funds Terrorism", uma mixtape que apresentava ao mundo o talento da dupla. Quase que ao mesmo tempo, Diplo lançava Favela On Blast, sua mixtape de funk carioca. E, graças ao sucesso destas mixtapes e o hype gigante em torno de M.I.A., Florida alcançou grande divulgação.

Volta ao Brasil[editar | editar código-fonte]

No primeiro semestre de 2005, Diplo voltou para o Rio para gravar músicas de seu novo disco, para encontrar com seu mestre DJ Marlboro, e apresentação surpresa no bar Milo Garage, em São Paulo. Em novembro apresenta-se na edição carioca do Tim Festival sozinho e fazendo bases para M.I.A.. Neste mesmo ano começa a produzir um documentário sobre o funk carioca.

Em 2006, criou o selo Mad Decent, cujo primeiro lançamento foi um CD promo e um vinil do quarteto curitibano Bonde do Role. Em julho, ao lado do Bonde e do grupo paulistano Cansei de Ser Sexy parte para uma turnê pelos Estados Unidos e Canadá. Antes, em maio, também com o Bonde, faz uma série de apresentações pela Europa.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

  • "Florida", 2005 (Slag Records, Brasil)
  • "Florida", 2005 (Reedição norteamericana)
  • "Fabric Live 24", 2004
  • "Florida", 2004 (Big Dada, EUA)

Mixtapes[editar | editar código-fonte]

  • "Favela Strikes Back", 2005
  • "AEIOU Pt. 2: Making Music Your Own" com Tripledouble, 2004
  • "AEIOU", 2004
  • "Never Scared" com Low Budget como Hollertronix, 2004
  • "Favela On Blast", 2004
  • "Piracy Funds Terrorism" com M.I.A., 2004

EPs e Singles[editar | editar código-fonte]

  • "C'mon" , 2010 w/ Tiesto
  • "Diplo Rhythm", 2004
  • "Thingamajawn", 2003
  • "Epistemology Suite", 2003
  • "Newsflash", 2003
  • "Gringo", 2012 w/ Banda Uó

Notas

  1. Daí o nome do disco "Florida"

Ligações externas[editar | editar código-fonte]