Discussão:Auto-hemoterapia/Arquivo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Auto-hemoterapia[editar | editar código-fonte]

Caros co-editores do presente artigo,
também caros wiki-administradores,

O artigo Auto-hemoterapia foi completamente re-elaborado, isso é evidente.
Devo dizer-lhes que, de tudo o que o artigo apresenta, qual está em sua forma atual, todas as fontes acham-se já, uma a uma, citadas, sim, quer as brasileiras, quer as estrangeiras. Nada ali foi criado ou inventado. Procurou-se mormente respeitar a ainda reinante controvérsia, suscitada seja por ignorância ad causam (no originário sentido), ou por qual ou tal eventual interesse envolvido, como a obedecer a proibição promanada de autoridades oficiais de saúde (no Brasil, o Conselho Federal de Medicina e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária).
Assim, sob o aspecto da boa ética-moral que baliza a Wikipédia, asseguro-lhes não conter o artigo qualquer informação que já não tenha sido amplamente publicada, seja em posições favoráveis, seja em posições contrárias. Com efeito — é imediato comprová-lo — o texto do artigo apresenta, de modo quase que perfeitamente equilibrado (o "quase" é uma reserva de segurança extremada, minha...), tanto a acusação como a defesa relativas ao mérito. Devo dizer, também, que foram preservados e/ou conservados, sempre que consistentemente possível, as contribuições já havidas por colega(s) editor(es) anônimos ou não. Assim, no examinado processo de re-elaboração, elas foram apenas re-arranjadas, ajustadas e inseridas no novo contexto.
Ademais, preciso dizer-lhes que — no afã de maior isenção — procedi a mais algumas correções. Elas, em maioria, dizem respeito à colocação das proposições em modo verbal condicional (causaria, diria, ter-se-ia etc.) ou no impessoal (consta, reporta-se etc.)
In fine, o artigo em causa, na forma atual, não cabe qualificá-lo de indutor, parcial, proselitista ou qualquer atributo similar. Não mostra essa feição. Tão-somente apresenta o assunto qual já se acha no domínio do conhecimento público, logo pois, de qualquer consulente. Em verdade, ele apresenta mais consistente, detalhada e profundamente aquilo que o anterior já continha. Com a irretorquível vantagem de reuni-lo sistematizada e (conforme afirmado e prontamente verificável) recorrentemente referenciado. Assim, apresentado como está, possui, inclusive, o condão de favorecer, até mesmo provocar o exsurgimento da verdade real sobre a validade da terapia em causa, seja qual for.
Então, a bem do bem maior, faço-lhes um só pedido: examinem diligentemente tudo o que argüi. Contem com a abalizada opinião de médicos e doutros mais especialistas, se assim lhes aprouver.
Pois creio também, caríssimos colegas, que é justamente esse como que forçado exsurgimento da aludia verdade real, imperativo, que evitará a continuação desse "estado de coisas", com os agravantes de perpetuar as assim chamadas condutas ilegais, práticas marginais, exercício ilegal de medicina, enfim por parte de tantos quantos — ainda que com boa intenção — não tenham nem a competência técnico-científica específica, nem o respaldo legal atinente. Logo, o artigo qual está conformado — e, à luz de qualquer e toda evidência, imparcial — será uma valiosa ajuda na consecução do mister: dar a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus.
Isso tudo esclarecido, nobres colegas — administradores ou não — se julgarem conveniente, sintam-se inteiramente à vontade para tomar as "providências cabíveis". Confio em que o que fizerem, fá-lo-ão no exercício do melhor da sua consciência e do zelo wikipédico, pois de todos.

Respeitosamente,

BeremizCpa? 21:13, 25 Maio 2007 (UTC)

Contestação animosa[editar | editar código-fonte]

Desfiz as alterações introduzidas pelo usuário de IP=200.208.132.225, por característica animosidade. Na sua argumentação sobre falácias e outras denunciadas impropriedades, vale-se ele de proposições lógicas circunvolutórias, ridículas per se, tautológicas, enfim. O artigo — e assunto — auto-hemoterapia merecem, sem dúvida maiores esclarecimentos. Clamam, com efeito, por isso, para o bem de todos e para que a Wikipédia possa consigná-lo devidamente, porém corretamente depurado e convalidado. Mas que haja seriedade nesse processo!

BeremizCpa? 21:14, 31 Maio 2007 (UTC)

Aviso[editar | editar código-fonte]

Não cabe à wikipédia afirmar da eficácia de algum tratamento - sobretudo quando não há fontes científicas para tal. Esta parte do texto será apagada, a menos que sejam citadas as fontes, consoante as regras editoriais daqui. Espero que todos que aqui colaborem atentem para isso. Cordialmente, Conhecer ¿Digaê 12h49min de 17 de Junho de 2007 (UTC)

Antes de tudo a AUTO-HEMOTERAPIA tem registro na OMS, e é utilizada por profissionais médicos, sendo impedidos aqui no Brasil de exercer essa técnica pelo fato da "banalização ou popularização" da técnica. Ao afirmar "A técnica é ineficaz e perigosa" define que temos entre nós um profissional qualificado que pode afirmar com mais certeza que a OMS, que a técnica em questão utilizada, em outros paises e popularizada aqui no Brasil, já levou a óbito ou deixou seqüelas em algum paciente, caso que é inverídico. Favor verificar em sites relativos a OMS e verificar os trabalhos e monografias que existem sobre o assunto em questão. Exemplos: Fonte: Cahiers bioth;(119):11-29, dec. 1992 - jan. 1993.

Reversão[editar | editar código-fonte]

Reverti para a edição de 04h50min de 9 de Junho de 2007 de Usuário:Conhecer. O usuário Usuário:Alex39brce introduziu material idêntico ao encontrado nos sítios [1] e [2] e retirou a maioria das afirmações contrárias à utilização desta técnica. Concordo com o que foi dito pelo colega André. Luís Felipe Braga Msg 05h19min de 20 de Junho de 2007 (UTC).

RESPOSTA: Todo e qualquer texto deve ser informado de forma clara, e quando usamos palavras de outrem temos de utilizar aspas "", caso que citei as fontes e coloquei em evidencia as palavras com o referido pronunciador da mesma.no sítado http://www.sbi.org.br/sbinarede/SBInarede12/mac.htm e no sitado 2 desconheço a comparação. --Alex39brce 20h02min de 28 de Junho de 2007 (UTC)
Reverti mais uma vez pelos mesmos motivos. Luís Felipe Braga Msg 20h00min de 27 de Junho de 2007 (UTC)

"Se continuar trocando referências contra por referências fajutas a favor da auto-hemoterapia será bloqueado. Luís Felipe Braga Msg 19h33min de 28 de Junho de 2007 (UTC) Obtido em "http://pt.wikipedia.org/wiki/Usu%C3%A1rio_Discuss%C3%A3o:Alex39brce""

LEMBRETE: http://www.sbi.org.br/sbinarede/SBInarede12/mac.htm

Que vc diz ñ ser um site de confiança e uma referencia fajuta faz parte do portal da SBI-Sociedade Brasileira de Imunologia. --Alex39brce 14h21min de 29 de Junho de 2007 (UTC) Segundo o conceito de Hegel: "A natureza verdadeira e única da razão e do ser que são identificados um ao outro e se definem segundo o processo racional que procede pela união incessante de contrários -- tese e antítese --numa categoria superior, a síntese". --Alex39brce 14h06min de 29 de Junho de 2007 (UTC)

Não seja desonesto! Em momento algum você incluiu este texto como referência! Além disso, pelo que li, este artigo não cita a auto-hemoterapia. Luís Felipe Braga Msg 14h15min de 29 de Junho de 2007 (UTC)
Leia o que vc afirma acima site 1 e 2 e logo abaixo sobre referencia fajuta ñ é essa sua assinatura em minha discussão?--Alex39brce 14h23min de 29 de Junho de 2007 (UTC)


Pela última vez não seja desonesto. Você não incluiu aquele texto como referência!!! Você copiou o conteúdo do sítio e colou no artigo!!! Luís Felipe Braga Msg 14h45min de 29 de Junho de 2007 (UTC)


Pela ultima vez vc não conhece normas gramaticais sobre citação.--Alex39brce 14h51min de 29 de Junho de 2007 (UTC)
É isto [3] que você chama de citação? Além disso você importou as referências de um artigo [4] que, a meu ver, não trata do assunto auto-hemoterapia de forma direta. Luís Felipe Braga Msg 15h05min de 29 de Junho de 2007 (UTC)


Como você é uma pessoa que desconhece regras básicas de português, não irei discutir, e caso você tenha mais conhecimento sobre macrofagos que um profissional da área de saúde, chego a conclusão q discuto com pessoa sem conhecimento algum sobre o assunto.

CONSELHO: Quando discutirmos sobre um assunto temos q dominar esse assunto. Ex.: Eu não tenho conhecimento sobre Matemática, então não discuto sobre o mesmo tema.

LEMBRETE: MACROFAGO: é o tema base da autohemoterpia, e o trabalho que CITEI, é um trabalho cientifico e reconhecido. --Alex39brce 15h26min de 29 de Junho de 2007 (UTC)

Parcial[editar | editar código-fonte]

Coloquei a tag devido a frases como parte do grande público, veio a ganhar tal notoriedade. Adailton msg 09h30min de 26 de Junho de 2007 (UTC)

Proselitismo[editar | editar código-fonte]

O editor Alex39brce vem fazendo proselitismo da auto-hemoterapia e tenta sustentar as suas afirmações com fontes nem um pouco fiáveis. As referências que ele utilizou variam de sítios com conteúdo sem autoria [5], sítios de responsabilidade indefinida [6] e [7], fóruns [8] e outros tantos sítios sem nenhuma credibilidade [9]. Luís Felipe Braga Msg 19h15min de 28 de Junho de 2007 (UTC)

Foi-me pedida opinião sobre este conflito, por isso aqui estou.
Sem referências científicas de confiança, nada feito. Concordo com o Luís Felipe Braga, as fontes apresentadas não me parecem adequadas. Estudos científicos publicados em jornais científicos reconhecidos ou em sites de institutos reconhecidos, esse serão aceitáveis. Quanto ao site dado acima, da Sociedade Brasileira de Imunologia, não refere nada sobre esta terapia, pelo que não me parece que seja uma fonte adequada. O usuário Alex39brce copiou um texto muito extenso para o artigo: isso não é citação, é cópia violando direitos autorais; a reversão foi adequada.
Foram inseridas nesta edição diversas referências científicas, mas nenhuma delas me parece, à primeira vista, relacionar-se directamente com o assunto, mas sim com processos imunológicos em geral. Que informação relevante possuem essas publicações para o artigo?
Sugiro que o usuário Alex39brce páre de inserir cópias de sites e/ou informação sem referências fiáveis, pois tal pode ser configurado como vandalismo e por conseguinte levar ao bloqueio da sua conta. PatríciaR msg 15h28min de 29 de Junho de 2007 (UTC)


Minha Cara Patricia, repito oq foi dito para vc q não leu:

LEMBRETE: MACROFAGO: é o tema base da autohemoterpia, e o trabalho que CITEI, é um trabalho cientifico e reconhecido pela SBI.--Alex39brce 15h34min de 29 de Junho de 2007 (UTC) COMPLETANDO: A parte q foi copiada são as referencias e não o texto que repito foi CITADO COMO REGE A LEI GRAMATICAL DE NOSSO PAÍS. ENTRE ""(ASPAS) E SEGUIDO DO REFERIDO RESPONSAVEL PELAS PALAVRAS.--Alex39brce 15h37min de 29 de Junho de 2007 (UTC)

Eu li tudo. Não precisa de usar o Caps lock, eu leio bem, felizmente. O trabalho que copiou não refere a auto-hemoterapia. De facto citações são entre aspas, mas você colou um texto muito longo. Isso não é uma citação, desculpe, é cópia de um site. Textos sobre macrófagos podem ser escritos no artigo macrófago. Se é desejável que haja uma introdução aos macrófagos aqui, que seja feita, mas sem copiar conteúdo de outros sites. PatríciaR msg 15h58min de 29 de Junho de 2007 (UTC)
Minha cara colega Patrícia:

Concordo com a observação sobre macrófagos, mas ao ponto de você apagar as informações que coloquei sobre a utilização da auto-hemoterapia por veterinários, e a utilização nos paises que os sites demonstraram estar sendo utilizado, e você afirmar que a pratica é INEFICAZ E PERIGOSA [10]. Seria interessante um prova irrefutável de sua afirmação, caso que existem varias pessoas e profissionais como Dr. Jessé Teixeira de Pernambuco e outros que utilizaram na pratica in vivo não tiveram esse efeito o qual você se refere. Já que não é aceito nem afirmado trabalhos científicos aqui no Brasil, que refutem e tão pouco abone a pratica, suas afirmações não têm fundamento, tanto quanto você afirma sobre as minhas.--Alex39brce 12h28min de 1 de Julho de 2007 (UTC) OBS.: Caso você traduza o site em Russo, Dra.Kostina il´china Imunoligista de Moscou, onde ela propria utiliza a prática e confirma o que os profissionais brasileiros apresentam [11].--Alex39brce 12h34min de 1 de Julho de 2007 (UTC)

Qual é a fonte para "Caso imprudencia, imperícia ou negligencia"? (já agora: Caso haja imprudência, imperícia ou negligência seria um português mais correcto, com acentuação e um verbo).
"Lembremos também o profissional veterinario que também utiliza essa técnica com excelentes resultados." Não se escreve em primeira pessoa num artigo enciclopédico; ainda por cima a afirmação tem contornos parciais. Mas pode ser reintroduzida e reescrita se alguma fonte o corroborar.
Os sites providenciados apresentam resultados científicos, mas onde estão as publicações "peer-reviewed" a que qualquer investigação científica se deve sujeitar para ser minimamente aceite? Falta isso. Enquanto faltar isso, não há como colocar num artigo enciclopédico tal informação. PatríciaR msg 12h41min de 1 de Julho de 2007 (UTC)


Inicialmente a palavra "correcto" esta em desuso em no nosso português(Brasil). Utilizamos: Correto = 1.Isento de erros. 2.Emendado, corrigido... Fonte para "Caso imprudência, imperícia ou negligência", qualquer livro-texto ou trabalho científico de Enfermagem sobre aplicações IM(Intramuscular) ou IV(Intra-vascular). Então ficamos cientes de que tanto as confirmações sobre o tema auto-hemoterapia como as negativas aqui apresentadas não tem fundamento científico.--Alex39brce 13h28min de 1 de Julho de 2007 (UTC)

Lamento, mas sendo portuguesa, tenho dificuldades em escrever em português do Brasil. Por isso uso "correcto", que é o que se escreve em Portugal (Wikipedia:Versões da língua portuguesa). As pequenas incorrecções que mostrei atrás não têm a ver com versões do português.
Se pensa que existem argumentos contra que não estão bem fundamentados, faz bem em retirá-los; em alternativa poderá encontrar fontes que as corroborem. A favor ou contra, hajam fontes fiáveis, é tudo o que é pedido. Não nos cabe a nós dizer que determinada terapia funciona ou não quando existe disputa na literatura, mas certamente podem apresentar-se os argumentos contra e pró. PatríciaR msg 14h45min de 1 de Julho de 2007 (UTC)
  • Quem tem a lamentar somos nós, brasileiros que editamos aqui, que ainda surjam aqueles que ignorem a convivência aqui de ambos os falantes da lusofonia... e lamentar sobretudo por mais uma vez toparmos com aqueles que, propugnando por conhecimento específico, desconhecem até mesmo o que seja uma enciclopédia. A persistir esta parcialidade, creio que somente a prote(c)ção total do verbete venha a ser a solução... E, creio, a saúde pública irá agradecer! Conhecer ¿Digaê 19h40min de 1 de Julho de 2007 (UTC)

A favor da auto-hemoterapia[editar | editar código-fonte]

Mas isso pode ajudar a todos os que dele dependem, e que hoje, graças a esse tratamento, sentem-se mais livres.
o comentário precedente deveria ter sido assinado por 201.32.158.115 (discussão • contrib.)

agradeço o espaço e espero contribuir com a temática.

SOBRE AUTO HEMOTERAPIA

De vez em quando é publicado atestado de óbito informando que um importante cidadão morreu por “falência múltipla dos órgãos” e uma outra pessoa também importante morreu por “infecção generalizada”. É de se supor que, neste segundo caso, a medicina perdeu a guerra para os vírus, bactérias e fungos, ou ainda, que os antibióticos e penicilinas e outras drogas da farmacopéia não ofereceram os resultados esperados, mesmo na UTI. Sabemos, porém, que se o corpo não reagir, os medicamentos prescritos possibilitaram que os microrganismos nocivos à saúde do paciente criaram defesas contra os “anti”, por mais fortes e prolongados tratamentos efetivados. Um quadro clinico que pudesse dar como certa a alta ao paciente, devido a algumas complicações, o caso se agrava e... Pelo que lemos na internet, pelos depoimentos, ouvindo pessoas, verificando as pesquisas já publicadas, embora não entendemos os termos técnicos ali exarados, percebemos as referencias favoráveis que fazem à auto hemoterapia. A respeito dos contrários à pratica desta terapia, principalmente entidades representativas dos médicos, as determinações jurídicas, podemos tecer comentários sobre a posição tomada, mediante tão palpitante assunto: a nosso ver, as entidades representativas e alguns médicos, se posicionaram contra sem fundamento científico por parte deles, segundo o que expressam em seus documentos na internet. Por que esperar por cientistas, se eles próprios tem ciencia para pesquisar? Pelo que se lê em suas publicações, termos como “pode ser prejudicial” ou ainda, “não tem fundamento cientifico”, e pode, poderá, são termos evasivos, que denotam falta de melhor análise de tudo o que foi publicado. E tem muita coisa publicada a respeito! É só constatar! Pode-se encontrar varias teses cientificas publicadas de há muitos anos atrás, por cientistas e médicos que utilizaram tais praticas da auto hemoterapia, bem antes dos antibióticos hoje em profusão. Antes era bismuto e benzetacil que eram aplicados para combater infecções. Há quem cita o Senado Federal e a Câmara dos Deputados como solução para a polemica, mas lá não é foro ou espaço para se elaborar pesquisas e fundamentar teses cientificas a respeito. A contribuição dos políticos será bem melhor, mesmo porque é da competência deles, aprovar verbas para a ciência pesquisar mais e aprofundadamente estes e tantos outros assuntos de interesse da ciência brasileira até mesmo internacional. Política, ciência e religião não se misturam. Houve recursos na Justiça contra a pratica da hemoterapia, conforme se vê na internet, o que é outro erro judicial. Isto porque lá também não é espaço para a ciência expandir, ainda mais conforme que a temática requer. Pelo que se percebe, não houve o contraditório. Apenas se basearam na parte contrária, interessada em combater moinhos de ventos como Dom Quixote. A ampla defesa ficou sem expressar-se, defender-se. Então, que a ciência brasileira se posicione melhor em função dos avanços nas pesquisas, para depois se posicionar, já que a auto-hemoterapia surge como um avanço científico. Sabe-se que, em ciência, sempre haverá mais perguntas que respostas. A comprovação abrange metodologias rigidas, sim, mas isentas de ânimos. Sugerimos então, que pelos menos três entidades de renomes possam desenvolver teses cientificas e expedirem documentos comprobatórios, corroborando os benefícios da auto hemoterapia. Sejam as entidades: Fiocruz, Instituto Butantã, a Unicamp, Adolfo Lutz, entre tantos outros de inegável competência e probidade cientifica. Imaginamos que, em grupos de cobaias, podendo ser de grande e pequeno porte, já que a auto hemoterapia serve também aos animais domésticos e selvagens. São seus próprios sangues a serem pesquisados, o que fechará questão de vez, pois também os animais estão sujeitos a infecções por bactérias, vírus e fungos. Isto já foi publicado há nuito tempo num programa Globo Rural, em que um veterinário ensina a autohemoterapia aplicando a técnica em um pintinho, numa veia sob uma das asas e sugerindo aplicar a técnica em todo plantel da granja. Vá lá Globo, em seus arquivos e re-divulge a técnica. Toma-se, por exemplo, grupos de 10 cobaias (imagine eu, leigo, passando como se faz isso). Para cada grupo, saudável a principio, se aplica a auto hemoterapia e, um tempo depois injetam, vírus, bactérias e fungos. Seriam 30 cobaias nesse caso. No grupo que receber os vírus, por exemplo, vencido o prazo determinado para o declínio da terapia, serão submetidos à analise para se verificar a incidência de vírus nelas contidas, antes aplicadas, se é que lá estarão. Assim nas demais cobaias com relação às bactérias e fungos. Se houver 8 cobaias isentas de vírus, significará que 80% delas tornaram-se saudáveis. Quanto às duas outras, sejam submetidas a analise para se apurar a causa da morte delas. Pode ser falência múltipla dos órgãos. Nesse caso a auto hemoterapia teria 100% de acertos. E poderia ser invertida a pesquisa, em cobaias doentes, também. Quem sabe estas adquiririam a saúde no processo. Ora, não fizeram isso com os produtos transgênicos, isto é, sementes resistentes a pragas na agricultura. Por que o organismo humano não pode ter suas defesas contra corpos estranhos? A fagocitose e pinocitose funciona sem auxílio em individuo com baixa resistência orgânica e imunológica? Mas será que dão conta, quando o volume de inimigos sejam em maior quantidade? Por que os micro-organismos adquirem imunidade contra antibióticos? E todas as doenças citadas nos tratamentos pela auto hemoterapia não poderão merecer os desdobramentos cientificos para avanço geral na medicina e aceitos pelos médicos? Quando se vê divulgados hospitais com doentes “vazando pelo ladrão”, falta de remédios, altos custos clínicos e profissionais, infecções de toda ordem nos hospitais e fora deles, a saída só poderá ser a imunidade através dos hematróficos, pela auto hemoterapia. Isto é avanço!!! Parabéns ao Doutor Luiz Moura e demais médicos pesquisadores que atuam nesta linha da ciência. Acreditamos que estes são também contra muitas coisas, mas que se propõem a lutar e expandir os benefícios da auto hemoterapia ao povo brasileiro e ao mundo afora. Os contrários hão de reconhecer que o Dr. Luiz Moura, entre outros, estiveram certos, como certos estiveram, no passado, Osvaldo Cruz, Galileu, Pasteur, Adolfo Lutz, Fleming, entre tantos outros, que geraram polêmicas semelhantes e cujos nomes estão na História cientifica e nada os removerá de lá. Nisto tudo há um truísmo, isto é, a verdade que se comprova por si mesma e que se sobrepõem a tudo e a todos, apesar de tudo. E que estes cientistas se tornam apenas instrumentos da grande sabedoria cientifica universal. Toda ciência trabalha pesquisando o passado, daí as descobertas; do que existia antes, e se projeta ao futuro, baseada em truísmo, verdade que se permite descobrir para o bem da humanidade.

Por que...?![editar | editar código-fonte]

...por que os médicos, sim os médicos, dentre os co-editores deste notável projeto eximem-se de exarar seu abalizado e competente (em atribuição cometida e em conhecimento específico...) parecer a respeito de assunto tão momentoso? Até para que — precisamente pelo que aqui se vê — não se delinde assunto tão delicado por caminhos duvidosos, principamente igonorantes (entenda-se: ignorância no sentido de des-conhecimento específico, que é o caso da maioria, ressalvadas exceções, dos editores até o presente). Não se apresentam todavia, e, não o fazendo, pecam, pelo menos, por omissão. Convido, pois, os colegas médicos a se pronunciarem a respeito. A sociedade, aqui, wiki-presente e wiki-representada, merece-o. Ou será que não?!... BeremizCpa? 20h15min de 24 de Outubro de 2007 (UTC)

+++++++++++++ [cruz deitada]

Mais de seis meses... se passaram e nada! Parece que a resposta sobre o merecimento conferido à sociedade é NÃO! BeremizCpa? 02h02min de 31 de Outubro de 2007 (UTC)

Enquanto isso...[editar | editar código-fonte]

Adicionei mais três predefinições cautelares... (o terceiro já existia):


Star of life caution.svg
Advertência: A Wikipédia não é consultório médico nem farmácia.
Se necessita de ajuda, consulte um profissional de saúde.
As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento.
Out of date clock icon.svg
Esta página pode conter informações desatualizadas.

Se sabe algo sobre o tema abordado, edite a página e inclua informações mais recentes.

Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.

BeremizCpa? 23h09min de 11 de Novembro de 2007 (UTC)

Sobre...[editar | editar código-fonte]

Bom, a respeito do tão acalorado tema coloco aqui alguma dúvida do uso desta terapia. Reações químicas são regidas por enzimas. O corpo humano possui diversas delas. Cada sistema possui as suas e estas não necessariamente, podem agir em diferentes locais. Geralmente, estes aceleradores de reações são específicos, ou seja, agem restritamente. A minha dúvida é a seguinte: colocando enzimas sanguíneas num local que não foi feito para elas estarem ali, será que o organismo, por ventura não poderá reagir de forma auto-imune? Em outras palavras será que é confiável correr o risco de uma rejeição, como se fosse uma alergia do próprio sangue do indivíduo? Para os leigos pode parecer algo inofensivo, mas aos que entendem um pouco de receptores enzimáticos do organismo, isto ganha lógica. Andrezitos msg/mail 01h40min de 23 de Novembro de 2007 (UTC)

Sobre "Sobre..."[editar | editar código-fonte]

Caro André,

Você expressa — com o direito e com as razões que lhe assistem, certamente — que "(...) a respeito do tão acalorado tema coloco aqui alguma dúvida do uso desta terapia.". Diz mais: "Reações químicas são regidas por enzimas.(...)". Por aí vai.

Muito bem, por partes. É muito bom que você apresente esse arrazoado aqui. É uma quase-contestação, uma contestação cautelar, bem verdade — porém é importante na exata medida em que não deixa o assunto no ostracismo, acadêmico, classista (médico), ou wikipédico... Até porque... qualquer que seja o trato dado à matéria, a sociedade, o grande púlbico (que merece preclara elucidação e, até o momento, não a recebeu!...), a prosseguir esse estado de coisas, continuará a exercitar tal modalidade e — pior — sob o rótulo de "exercício ilegal de medicina, ativo (para quem aplicar) ou passivo (para quem... receber).

  • A propósito, nem toda reação química é regida por enzimas, mesmo em sistemas orgânico-vivos, o que quer que se entenda por isso.

Acalme-se... As suas dúvidas são também minhas. Porém, causa espécie, estranheza, o fato de — havendo sido proclamada como panacéia (dizem muitos, não é a verdade) — não estar na pauta de investigação séria por parte dos... especialistas na matéria, os médicos. Pelo menos, não se vêem artigos científicos a respeito, declarações cientificamente embasadas (não à base de "achismos", ainda que estes procedam de médico, muito pior...), nada se vê que prenuncie uma postura investigativa "definitva, radical, séria" sobre a matéria. Por que?!...

Pelo que anunciei, estou mesmo em ritmo de descontinuação da Wiki. O que, entenda-se, não é propositu ad æternu.

Tenho contatado especialistas em Medicina (eu, apenas medi-acadêmico descontinuado, já o disse em minha página), para lhes pedir a mais que necessária intervenção no artigo em espígrafe. Por que? Ora, tem havido — é fato — muita polêmica a respeito daquele assunto. Porém, tem havido, mais que tudo, muito "achismo" não-cientificamente fundamentado, o que, à luz de qualquer e todo bom juízo, não é correto. Acha-se que sim, acha-se que não. Defende-se que pode, defende-se que não. Alega-se que cura, alega-se que não cura. Dizem-se tantas coisas... Diz-se pressurosa, pois temerariamente, que é um perigo à saúde humana, quer individual, quer pública. Caro colega, quero convidá-lo a um exercício de ciência pura. Antes de mais, convido-o a fazer algumas breves pesquisas no domínio da Veterinária de campo: conhece-se de há muito o valor da "auto tranferência de sangue integral do meio vascular para o meio muscular. Sabe-se que, entre várias outras virtudes, essa aplicação (que é rigorosamente a mesma auto-hemoterapia, como tem sido impropriamente chamada, com a diferença de ser o paciente um animal, um não-humano), faz desaparecer verrugas e outras formações dérmicas. Que, pois, estaria havendo ali?!... Mamíferos, a priori, parece que os humanos são também. Boa ética médica deve presidir qualquer assunto médico? Sem dúvida! Porém, o que se tem visto? O que se vê é uma absoluta inércia da classe médica a respeito, inércia reativa as mais das vezes; mas, também, inércia proativa no sentido de — sem explicação fundada, cientificamente embasada — denegrir a revelia a "prática em questão". Por que isso? A quem isso interessa? A continuar assim o estado generalizado de ignorância ad causam, que se terá? Mais e mais transgressões "não-clinicamente supervisionadas". E aí? Que interesse — ou "contra-interesse" — eventualmente têm, ou a classe médica ou a forte indústria médico-farmacêutica, ou ambos ao não tomarem a dianteira, a iniciativa plena, em realizar todos os estudos que se façam necessários para refutar ou convalidar a prática terapêutica em questão. Pelo sim, pelo não, para o bem da humanidade. Como está não pode ficar.

Sim, é verdade que eu sou — diga-se — simpático à auto-hemoterapia. Acredito-a plausível, sim. Porém, nem por isso tenho sido parcial ou tendencioso... Mas, a classe médica presente na Wiki! ah essa classe médica!... Por que ela não dá azos de seriedade no foro de tal discussão? Será — repito a minha indagação (inútil, pelo visto...) na Esplanada (que lugar hilário e inútil aquele, meu Deus!) — será que o grande público, a sociedade não merece tal "prestação de contas ao público"? Será que a wiki-comunidade não o merece?

Bem, meu caro, espero não tê-lo cansado com tal digressão alongada. Mas... alguém precisa fazer alguma coisa. É, pois, ótimo que você se tenha manifestado — qualquer que seja o rumo que venha a tomar o barco da auto-hemoterapia, proscrita ou convalidada, quem o sabe?

Saudações!

BeremizCpa? 15h03min de 29 de Novembro de 2007 (UTC)

É Beremiz, a indústria têm suas razões para não querer tratamentos panacéicos surgido por aí. Afinal, o capitalismo impera. Mas, para nós, pobres mortais, wikipedicaliólicos, isto não importa. O bom mesmo é discutir, colocar questões. Fico descontente, não só em relação a este artigo, mas como em toda a Wiki, a carência de profissionais voltados ao tema saúde. O café das biomédicas é uma lástima!

Aonde vistes, aquela transferência de sangue animal em músculos animais...aceite do convite... Amplexos Andrezitos msg/mail 01h02min de 30 de Novembro de 2007 (UTC)

Reversão e proteção da página[editar | editar código-fonte]

Protegi esta página por 2 anos. Criado há tempo relativamente recente, possui um histórico editorial vergonhosamente grande e improdutivo. A parcialidade parece ser a regra, aqui, sempre.

Este verbete até hoje não tem um só interwiki - em que pese sermos a sexta ou sétima wiki em tamanho. O tema, apesar da pretensa cientificidade, não é abordado noutros idiomas - mas em nossa parece encontrar diversos experts - sempre prestos a contestar isso e aquilo - ou a negar aquiloutro...

Vamos deixá-la em descanso. Veremos, assim, se daqui a dois anos (tempo muito curto, considerando a ciência e os prazos para efetiva compravação de fatos) algo de novo e importante surge.

Se, entretanto, algo relevante, devidamente referenciado e não opinativo estiver faltando, que seja aqui, nesta discussão, colocado - e que se peça a um administrador para editar a página.

  • Isto aqui é uma enciclopédia (para o caso de alguém ter se esquecido)

Cordialmente, Conhecer ¿Digaê 06h34min de 7 de Fevereiro de 2008 (UTC)

Credibilidade[editar | editar código-fonte]

Caros editores, Com o propósito de assegurar a qualidade mínima necessária ao trabalho da enciclopédia, sugiro – independente do que resultar da discussão do assunto – que o verbete Auto-hemoterapia tenha pelo menos a definição inicial melhor ajustada. Está escrito como definição que “Auto-hemoterapia é uma técnica médica controversa e não recomendada pelos Conselhos Médicos do Brasil, país onde alastrou-se a partir de 2004[1], até ser publicamente condenada por diversas autoridades em saúde em matéria jornalística”. Quanto se diz que “Auto-hemoterapia é uma técnica médica controversa e não recomendada pelos Conselhos Médicos do Brasil, país onde alastrou-se a partir de 2004[1]”, acho que está definido o verbete, podendo ser feitos acréscimos nas ocasiões oportunas. A parte que diz: “até ser publicamente condenada por diversas autoridades em saúde em matéria jornalística”, na minha opinião, não condiz com o objetivo da Wikipédia, pois deposita toda suposta credibilidade do assunto em uma matéria jornalística, a qual, aliás, contestei completamente, mas não vem ao caso agora. O importante no momento seria retirar esta parte, que depõe contra a qualidade da enciclopédia. Cordialmente, Walter Medeiros (Discussão) 14h59min de 08 de Fevereiro de 2008 (UTC)

Ainda parcial...[editar | editar código-fonte]

Caros co-editores,
Caros wiki-admin,

Por ser ainda matéria (prática?, técnica?, terapia?...) controversa e não recomendada por órgãos oficiais de saúde pública no Brasil e considerada a responsabilidade ativa desta Wikipédia sobre a confiabilidade do seu conteúdo, é acertada, pois louvável a atitude do colega administrador Conhecer em bloquear/proteger a página referente, com prévio (e, "tentativamente", imparcial) enxugamento de conteúdo. Isso revela prudência e é saudável, lato sensu, para todos.

Todavia, ainda que estabelecidas tais medidas bem intencionadas, é preciso, a bem da insenção verdadeira na persecução pela verdade, observar e fazer observar que há ranços de parcialidade na atual feição (conquanto eventualmente não-intencionais, assim o creio...). Com efeito, veja-se, da própria introdução, qual presentemente (nesta data) configurada:

'Citação: 'Auto-hemoterapia é uma técnica médica controversa e não recomendada pelos Conselhos Médicos do Brasil, país onde alastrou-se a partir de 2004, até ser publicamente condenada por diversas autoridades em saúde em matéria jornalística. [sic, ref. "nota 1" suprimida por nós]

Então:

  1. Usa-se alastrou-se (destaque em negrito nosso) e isso, via de regra, tem conotação pejorativa.
  2. Cita-se também "(...) até ser publicamente condenada por diversas autoridades em saúde em matéria jornalística (...)" [sic], mas não se faz menção de expedientes então intentados médicos, por órgãos oficiais etc., no sentido de se investigar cientificamente a respeito da matéria — o que anotáramos em edições primeiras.
  3. Omitem-se informações fidedignas como a transcrita a seguir: "Relatório clínico-médico nos EUA reporta caso de tratamento bem-sucedido de herpes zoster obtido com a aplicação da auto-hemoterapia [Rush Presbyterian St. Luke's Medical Center, Chicago, IL, USA] (Successful treatment of herpetic infections by autohemotherapy).".
  4. Final — e muito oportunamente — transcreva-se a bem colocada crítica de lavra do colega Walter Medeiros: "(...) A parte que diz: 'até ser publicamente condenada por diversas autoridades em saúde em matéria jornalística', na minha opinião, não condiz com o objetivo da Wikipédia, pois deposita toda suposta credibilidade do assunto em uma matéria jornalística, a qual, aliás, contestei completamente, mas não vem ao caso agora. O importante no momento seria retirar esta parte, que depõe contra a qualidade da enciclopédia. (...)" [sic, destaques em negrito nosso)

Ao colega Walter Medeiros: peço-lhe desculpar-me o fato de ter movido a sua seção "Credibilidade" da segunda para a décima segunda posição na hierarquia dos tópicos desta discussão. Também por ter tomado a estranha liberdade de fazer consignar os seus completos dados de [então última] edição, inclusive data e hora no padrão Wiki (colhidos do histórico). Tenho uma justificativa séria para isso: procurei conservar a cronologia dos comentários na discussão. Ademais, creio que a moção em nada prejudicou a finalidade do comentário do nobre colega. De toda forma, atrasadas desculpas.

Preciso lembrar que, sobre a matéria em questão, realizei algumas contribuições, tendo sido, na ocasião, o primeiro wiki-editor a lhe dar estrutura algo organizada. Também não descurei o aspecto controverso-dialético que fortemente se faz presente, sequer o apelo do colega Conhecer, no sentido de se preservar a Wikipédia de incursões temerárias quanto a matéria ainda não suficientemente esclarecida. Acrescentei vários avisos cautelares adicionais ao texto (comentados acima). Bem assim instei aos wiki-colegas médicos, em conhecimento (específico e/ou não) e/ou em exercício (específico e/ou não) a não deixarem a wiki-comunidade (editores, consulentes etc.) — enfim, a sociedade, a "ver navios", pois que todos merecemos o desejado esclarecimento a respeito. Que, contudo, até o presente (que me conste...) ainda não veio! Deixei, também, de lhe (ao artigo) fazer qualquer acréscimo ou alteração, limitando-me a observador periódico. (...) Tudo, enfim, à espera de algo novo, "palpável" (como se gosta de crer). Mas... as pesquisas não vêm, as investigações anunciadas... que é feito delas? A prestação de contas à sociedade... que fim tomou?!... Realmente — devo concordar — "(...)A parcialidade parece ser a regra, aqui, sempre (...)"[sic, ponto final omitido por nós].

In fine, saliento que, conquanto estudioso não-médico [habilitado] da matéria e defensor de sua adequada investigação científica, que a convalide ou a proscreva (já o disse várias vezes), não deixo de reconhecer o mérito da cautela zelosa (é redundante, bem o sei...) exercida pelo colega Conhecer, que sempre reafirma a sua elevada reputação. Só não posso deixar passar em brancas (ou em vermelhas — queiram perdoar-me a rápida ironia...) nuvens uma sutil — mesmo que não-intencional — parcialidade.

Afinal: que é da prestação de contas (cientifica e rigorosamente embasada) que a classe médica deve à sociedade?!... Essa não-satisfação à sociedade dá azos ao atual estado de coisas (ignorância ad causam).

Respeitos, BeremizCpa? 21h02min de 24 de Fevereiro de 2008 (UTC)