Discussão:Ideologia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa



Untitled[editar | editar código-fonte]

A wiki é claramente vemelha -> Marx isso, Marx aquilo... Ideologia é um termo neutro. Insiram todos os pensadores e suas opniões ou não insira nenhum! Mais neutralidade e menos marxismo por favor!


Ideologia, segundo Marx, NÃO É FALSA CONSCIÊNCIA, mas sim produção teórica em geral (senso comum, ética, direito, filosofia, arte, etc). Na Ideologia Alemã, logo no prefácio, fica claro que Marx CRITICA a tese (própria dos neo-hegelianos) da "falsa consciência". O que Marx faz é mostrar o caráter ou determinação social do pensamento. O contexto da discussão de Marx contra os neo-hegelianos é que estes pensam que o mundo é dominado por (falsos) pensamentos; e daí a 11a. tese "Ad Feuerbach": para os neo-hegelianos (e filósofos em geral), basta "interpretar" o mundo de uma forma "crítica", e o mundo muda, como se o que o movesse fosse a idéia e não a prática.

Vejam, no "Prefácio de 59", que Marx usa o termo "ideologia" no sentido de uma tomada de consciência dos problemas práticos e de propostas para solucioná-los.


De fato, eis o que diz o verbete sobre a Ideologia Alemã: "Marx aponta para o fato de que as transformações perpetradas por estes filósofos se encontram somente no plano do pensamento sem nunca terem alcançado a realidade concreta. Isto por que cada um deles, criticando a teoria hegeliana, adotam um aspecto desta para fazer tanto, sem romperem com a falsa noção, segundo Marx, de que é o espírito humano o sujeito da história e não a atividade humana. Assim para tais filósofos, as idéias adquirem autonomia e passam a subjugar mundo, devendo o pensador, para transformar a realidade, substituir as idéias reinantes por outras que considere libertadoras e verdadeiras (uma consciência humana para Feuerbach, crítica para Bruno Bauer e egoísta para Max Stirner)".



Ideologia influencia a realidade?

Sim, já que a realidade é socialmente construída. Idéia que pode ser melhor compreendida em BERGER, P. T., LUCKMANN, T. A construção social da realidade. 12. ed. Vozes, Petrópolis.


Quais as características da ideologia?

ela seduz,amarra,segura ,faz com q a pessoa pense numa só cosmogomia imposta por alguns... prende num só ideal.


Entendo que há divergências doutrinárias sobre o que vem a ser Ideologia, especialmente no tocante ao fato de referir-se ou não apenas àquela provinda do lado opressor, não considerando-se como tal quando provenha do oprimido, por ser característica sua exatamente o fato de ser um "instrumento a serviço da classe opressora". Há ainda os que abordam o conceito de uma forma mais ampla, trazendo-o para os campos da educação familiar, religiosa, científica, permeando todas as formas de conhecimento e visão do mundo, desde a origem da espécie humana. Outros, ainda, restringem a ideologia ao aspecto político, tendo sua gênese com o advento da sociedade capitalista. É um tema que me interessa há muito, e parece que não há ainda um consenso entre os pensadores sobre este conceito e suas delimitações. Pauloacbjr 02h32min de 20 de Julho de 2007 (UTC)


Sobre a diferença entre "ideologia" e "mentira", encontrei este texto, muito interessante:

"Se, por exemplo, pretende-se que um adversário esteja mentindo ou que esteja ocultando ou distorcendo uma dada situação de fato, pressupõe-se, não obstante, que ambos partilham critérios comuns de validade; pressupõe-se, também, que é possível refutar mentiras e desfazer fontes de erro tendo por referência critérios aceitos de validade objetiva comuns a ambos os lados (Mannheim, 1972:83). Contrapondo a "concepção particular de ideologia" à "concepção total de ideologia", Mannheim considera: Quando utilizamos a concepção total de ideologia, procuramos reconstituir todo o modo de ver de um grupo social, e, neste caso, nem os indivíduos concretos nem o seu somatório abstrato podem ser legitimamente considerados como portadores deste sistema ideológico de pensamento como um todo. O objetivo da análise neste nível é a reconstrução da base teórica sistemática subjacente aos juízos isolados do indivíduo (Mannheim, 1972:85). Em suma, apesar de diferenças, análogo a Marx, Mannheim considera que a "concepção total de ideologia" é um processo inconsciente que não é redutível a juízos "isolados", enquanto a "concepção de ideologia particular" é apenas uma representação "localizada", "fracionada", não representativa da ideologia como fenômeno coletivo. Sob este prisma, a singularidade da abordagem de Mannheim está no fato do que qualifica como "ideologia particular" poder alimentar-se de "mentiras", "denunciáveis", por critérios de validade objetiva socialmente aceitos. Entre as muitas indagações que podem ser colocadas à original formula ção de Mannheim, uma "salta aos olhos". O que deve-se compreender como "critérios de validade objetiva aceitos como comuns a ambos os lados?" Considero que uma das probabilidades de aceitação dos referidos "critérios" implica na possibilidade de demonstrar que "fatos" significativos foram propositadamente sonegados ou apresentados de forma truncada com a finalidade de "tornar lógica" a argumentação de quem mente. Outra probabilidade talvez esteja na comparação do que diferencia "versões" sobre os mesmos acontecimentos, colocando em evidência os elementos significativos na construção das explicações" (examinado o que é comum às duas versões e o que não é), questionando-se a lógica intrínseca e a coerência de cada uma delas." (Aluízio Alves Filho)