Discussão:Inhame

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A descrição desta planta refere-se ao cará, que no Nordeste brasileiro é conhecido como inhame. O inhame, como é conhecido na maior parte do Brasil, é um rizoma da família das aráceas, de forma arredondada, peludo e de ponta afilada. Apresenta alto teor de açúcar. A planta tem aparência de uma folhagem de jardim e folhas largas em forma de coração. Seu nome científico é Colocasia esculenta.

A foto não é do inhame! o inhame é todo cheio de pelinhos.

Inhame[editar | editar código-fonte]

A matéria publicada foi prejudicada pela foto. Mostraram foto de cará e não de inhame. De repente vão confundir muita gente com essas informações, já que o cará, embora também tenha suas propriedades nutricionais, é bem diferente e menos saboroso que o inhame. Com o cará não se pode fazer purê (ele é bem duro no cozimento), e seu formato é alongado e frequentemente disforme, enquanto o inhame tem forma arredondada, com uma cobertura (proteção) em forma de palhas ou pelos. O cará forma uma ramagem tipo trepadeira (folhas pequenas) e sua "batata", enterrada, pode chegar, em alguns casos, a 40 quilos, dependendo da espécie. O inhame tem folhas grandes e arroxeadas, semelhantes às da "Taióba" (da qual se come a folha), e seus tubérculos, em média, pesam entre 50 e 100 gramos. carlosrangel49@gmail.com

en:Yam (vegetable)

http://revistagloborural.globo.com/GloboRural/0,6993,EEC565139-1641-4,00.html

Cará ou inhame?

Texto Janice Kiss Fotos Ernesto de Souza O cará, o inhame e outras raízes nunca foram bem identificados. A confusão é antiga e começou com Pero Vaz de Caminha, na carta enviada ao rei de Portugal a respeito do descobrimento do Brasil. Ele errou ao registrar o que os índios comiam. Trocou a mandioca, principal alimento dos tupiniquins, pelo inhame. "Muito inhame e outras sementes que na terra há e eles comem", escreveu. Porém, o equívoco maior é entre esse rizoma e o cará, que é um tubérculo. Em certos lugares os nomes são até trocados. No Nordeste, por exemplo, o cará é chamado de inhame. Em outras regiões, o cará é chamado de inhame-cará. Os dois têm muita coisa em comum, como o valor nutritivo, a origem tropical, o gosto por clima quente e úmido, com bom índice de chuvas. Porém, existem diferenças apontadas pela Embrapa Hortaliças. O inhame é da família das aráceas e seu rizoma tem forma arredondada, é peludo e de ponta afilada. Apresenta alto teor de açúcar. A planta tem aparência de uma folhagem de jardim e as folhas largas em forma de coração. Já o cará é da família das dioscoreáceas. O tubérculo é comprido, como a batata-doce, e tem pêlos ralos. O teor de açúcar é menor que o do inhame. A planta solta folhas pequenas e parecidas com as da batata-doce.

http://www.emepa.org.br/anais/volume1/av117.pdf Esclarecimentos sobre as Denominações dos Gêneros Disoscorea e Colocasia Elson Soares dos Santos1

No Brasil, durante muitas décadas, os nomes vulgares do inhame, cará e taro vem causando grandeconfusão. No meio rural é comum o uso da denominação cará ou inhame, ao passo que o consumidor normalmente usa o termo "inhame". Nos Estados da Paraíba e Pernambuco é comum chamar inhame as espécies de Dioscorea que produzem túberas grandes (inhame da Costa, inhame São Tomé) e "cará" as espécies de Dioscorea que produzemtúberas pequenas (cará Nambú). Corrêa (1969) relata que pelo nome vulgar de inhame são conhecidas várias espécies de plantas pertencentes à família das Aráceas, mas em outros países, mesmo das Américas, é empregado por diversas espécies da família das Dioscoreáceas, em lugar de cará. Em algumas regiões do País também chamam erroneamente de inhame o rizoma das Aráceas, conhecido como "Taro". Segundo Cereda (2002), no Sul do Brasil, principalmente a denominação para Dioscorea como inhame era aplicada ao gênero Colocasia, gerando confusão entre os técnicos, os produtores e mesmo em relação a consumidores. O pior é que muitas das informações técnicas, como as estatísticas de produção e custo também foram invertidas. IdiomaCulturas Nome científico Espanhol Francês Inglês Inhame Dioscorea sp. Nãme Igname YamTaioba Xanthosoma sagittifolium Mafafa;OcumoChou caraibe Tania coco, CocoyamTaro Colocasia esculenta Taro, Papa china Taro, Chou da chine Dasheen, Taro Fonte: Cereda et al. (2002) Na verdade, botanicamente a espécie Colocasia esculenta não apresenta nenhuma semelhança com asespécies do gênero Dioscorea. Portanto, infere-se que a espécie Colocasia esculenta não é inhame nem cará, podendo receber a denominação de Taro. São duas espécies completamente diferentes, conforme pode-se observar pelas caracterizações botânica de ambas, apresentadas resumidamente a seguir: Inhame (Dioscorea sp.) É uma planta monocotiledônea, da família Dioscoreaceae, herbácea, trepadeira, pertencente ao gênero Dioscorea, que contem a cerca de 600 espécies (Purseglove, 1975; PEDRALLI, 2002), sendo as mais importantes por suas túberas comestíveis: Dioscorea cayennensis, Dioscorea rotundata, Diososcorea alata, Dioscorea trífida e Dioscorea esculenta. A título de comparação, apresenta-se uma descrição da espécie Dioscorea cayennensis a mais importante na Região Nordeste. De acordo com Santos (1996), a planta apresenta raiz tuberosa, alongada, de corcastanha-clara; caule volúvel, cilíndrico, tênue, com cerca de 3 mm de diâmetro, glabro, esparsamente aculeado; folhas opostas e raramente alternadas, lâmina ovalada a sub-oblonga, com sete a nove nervuras principais, base mais ou menos cordiforme com cerca de 7 cm de comprimento e 4,5 cm de largura; floresdióicas, dispostas em espigas masculinas solitárias, simples ou compostas. Apresenta túberas cilíndricas e de tamanho variável, geralmente de 1 a 10 kg. Taro (Colocasia esculenta (L.) Schott) É uma planta pertencente à família Araceae, cujos representantes são caracterizados pelo tipo deinflorescência em espádice, com as flores masculinas no ápice e as femininas na base do espádice. As folhas são formadas por grandes limbos aveludados, de formato cordiforme com nervuras bem visíveis e salientes na face abaxial, pecíolo longo e carnudo. O caule é modificado em rizoma feculento, constituindo a parte comestível da planta. As raízes são abundantes e do tipo fasciculadas (Santos & Puiatti, 2000). 1Pesquisador da Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba S.A. - EMEPA-PB


Page 2 Para contornar o problema, durante o primeiro Simpósio Nacional sobre as Culturas do Inhame e do Cará (2001), foram propostas e aprovadas, em Assembléia Geral, as denominações de Inhame para Dioscorea e Taro para Colocasia esculenta, uniformizando os termos brasileiros com a denominação internacional, corroborando os relatos de diversos pesquisadores (Pedralli, 2001; Cereda, 2002).


http://revistagloborural.globo.com/GloboRural/0,6993,EEC565139-1641,00.html Eu conheço o inhame dito nesta reportagem foto, como Inhame japonês, tem forma arredondada, é peludo e de ponta afilada. Conheço o Inhame-cará de um ou dois palmos de comprimento, de casca fina que tem pouquissímos pelos e o Inhame [1][2] [3]tem a casca grossa e com pelos Jurema Oliveira (discussão) 04h33min de 7 de Abril de 2008 (UTC)

No Congo também é chamado de Igname blanche Dioscorea rotundata também tem foto[4] Jurema Oliveira (discussão) 04h59min de 7 de Abril de 2008 (UTC)