Discussão:O Salvador da Pátria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Uma novela fenomenal, com ótima trama, trilha sonora marcante(quem nao se lembra de lua e flor tema de sassa mutema?) alem de um roteiro muito bem escrito. Sempre recomendada.



O Salvador da Pátria Internacional é a primeira trilha sonora de novela lançada em CD no Brasil.


Trilha Sonora Internacional:

Hold me in your arms (Rick Astley) Two hearts (Phil Collins) One moment in time (Whitney Houston) I'll be there for you (Bon Jovi) Girl, you know it's true (Milli Vanilli) I believe in you (Stryper ) Inside a dream (Jane Wiedlin) Closer wish (Sarah & Leon Bishop) Domino dancing (Pet Shop Boys) Baby I love your way (Will to Power) Lost in your eyes (Debbie Gibson) Dear God (Midge Ure) Nice and slow (George McCrae) Just like the phoenix (Cathy Fischer)



Esta é uma das melhores trilhas sonoras já editadas pela SomLivre / Rede Globo, da época em que uma trilha sonora internacional tinha pelo menos 5 grandes hits (bem diferente do que se vê hoje em dia).


Algumas curiosidades inéditas sobre a novela O Salvador da Pátria:


Os críticos constantemente classificam O Salvador da Pátria como uma novela ruim, mas esta foi uma das melhores novelas já exibidas pela televisão Brasileira, apesar da grande fase barriga. Foi também uma novela ofuscada pela sua antecessora e pela sucessora (Vale Tudo e Tieta, que fizeram muito sucesso).

Além disso, a Globo caiu no erro de mexer com política em pleno ano eleitoral, aí o governo implicou e a novela teve quer ser desviada para a "máfia dos tóchicos" como diria Sassá Mutema, e com isso a novela perdeu o sentido.


A novela foi exibida em ano de eleições presidenciais no Brasil. Certos críticos afirmam que o personagem do analfabeto manipulado por políticos foi usado como propaganda contra a figura de Luís Inácio Lula da Silva, então candidato à presidência da República.


No final escrito primeiramente, aconteceria a morte de Sassá Mutema, mas a diretoria da Globo não permitiu.


Apesar de ter participado apenas das primeiras três semanas da novela, o radialista Juca Pirama é um dos personagens mais lembrados pelo público, assim como seu bordão ??Meninos, eu vi??. I-Juca Pirama é na verdade pertencente à obra de Gonçalves Dias, e também dizia ??Meninos, eu vi!??.


Em Portugal e em outros países a novela foi exibida com o nome Sassá Mutema ! Aliás sempre que a novela tem o nome Pátria eles mudam, por que faz menção ao Brasil (exemplo: Pátria Minha virou Vidas Cruzadas lá fora).



José Wilker voltava à Globo depois de dois anos como diretor do departamento de telenovelas da Rede Manchete.


O Salvador da Pátria teve uma reprise de forma compacta na sessão Vale a Pena Ver de Novo de 27 de abril a 28 de agosto de 1998, em 87 capítulos.


A Volkswagen fazia merchandising nessa novela, todos os carros do elenco eram da Volkswagen, inclusive o Fusca da professora Clotilde, que explodiu.


Sassá vem de Salvador. Mutema vem de "muita tema" (uma característica do protagonista era a determinação, que beirava a teimosia).



Naquela época a repartição de capítulos era diferente da de hoje. A novela começava com uma cena pequena de até 1 minuto, aí vinha a abertura, aí voltava a novela (sem intervalo), aí a novela era exibida normalmente (intercalado os blocos com os intervalos) e no final a novela terminava com a seguir cenas dos próximos capítulos , onde se passavam as cenas mas sem som, o som era substituído por músicas da trilha sonora. No último capítulo, ao invés de a seguir cenas dos próximos capítulos era exibido um a seguir cenas da próxima novela (também as cenas sem som, o som era substituído por músicas da trilha sonora). O a seguir cenas da próxima novela também era utilizado no Vale a Pena Ver de Novo.


A logomarca de O Salvador da Pátria simboliza uma bandeira.


A belíssima abertura da novela produzida por Hans Donner, mostrava a evolução de Sassá Mutema de bóia fria a político, representado por mesas que se intercalavam num complicado jogo de luz sombra. Pouca gente acreditou que aquilo tudo foi feito manualmente, com pouco uso de informática (aliás essa é uma característica positiva das aberturas da época, hoje infelizmente o recurso tecnológico se sobressai à idéia criativa, que já não é mais tão criativa assim). Além disso, o tema de abertura ("Amarra o Teu Arado à Uma Estrela", interpretada por Gilberto Gil) casava perfeitamente com a abertura e com a sinopse da novela.



Betty Faria, que estava no elenco de O Salvador da Pátria, emendou 2 novelas do mesmo horário, foi a protagonista da novela seguinte (Tieta), algo raro de se acontecer. Ela apenas não apareceu na primeira fase de Tieta (onde Cláudia Ohana fazia a Tieta mais jovem).


O autor de O Salvador da Pátria, Lauro Cézar Muniz, é sem dúvida nenhuma o autor mais inovador da TV Brasileira. Apesar de nem sempre acertar, pelo menos é capaz de apostar em novos formatos, muito diferente da mesmisse que se vê hoje em dia em nome de alguns pontos a mais ibope, ao exemplo das novelas de Walcyr Carrasco.


Confira quem foram os concorrentes / vencedores do Troféu Imprensa em 1989:


Melhor ator José Mayer (Osnar, de ??Tieta??) (vencedor, deu empate)

Lima Duarte (Sassá Mutema, de ??O Salvador da Pátria??) (vencedor, deu empate)

Nuno Leal Maia (Gaspar Kundera, de ??Top Model??)



Melhor atriz:

Betty Faria (Tieta, de ??Tieta??)

Joana Fomm (Perpétua, de ??Tieta??) (vencedora, deu empate)

Teresa Rachel (Rainha Valentine, de ??Que Rei Sou Eu???) (vencedora, deu empate)



Melhor ator:

Kananga do Japão

Que Rei Sou Eu? (vencedora) Tieta