Discussão:País desenvolvido

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Vaticano não poderia estar nesta lista, pois é um país apenas "pro forma" e se assemelha muito mais a um organismo com personalidade de direito público internacional somado a um território. Parte dos indicadores de desenvolvimento não tem relevância para o Vaticano... Ou alguém poderia me dizer a renda per capita, taxa de mortalidade infantil e a expectativa de vida do Vaticano? Ora... Sequer nasce gente no Vaticano!o comentário precedente não foi assinado por 189.10.168.99 (discussão • contrib.) --OS2Warp msg 02:13, 10 Março 2007 (UTC)

O Vaticano está listado na wiki em inglês. Este artigo deve ser cópia parcial deles. Vejo na versão inglesa que o Vaticano é um pais.--OS2Warp msg 02:13, 10 Março 2007 (UTC)
Nossos conceitos não devem partir de outra wikipedia, até porque o conceito de "país desenvolvido" é altamente questionável; cada um tem seu conceito. Acredito que seria plausível colocar nessa lista certos países do segundo mundo que estão se consolidando como economias de mercado, como Polônia, República Tcheca, Eslovênia, Lituânia, Letônia, Estônia, etc. Sergii-rachmonov 04:20, 27 Maio 2007 (UTC)


Foi correcto ter-se retirado o Brasil da lista de países desenvolvidos, porque não faz sentido comparar os países da nova Europa com o Brasil, que está no bom caminho, mas ainda não chegou lá. Mesmo Portugal se arrisca a sair da lista segundo alguns critérios. (Como por exemplo IDH>0,9: Portugal tem 0,897 e o Brasil tem 0,800). Se pensarmos bem não faz sentido incluir Portugal numa lista onde a República Checa e o Chipre não estão incluídos. Estas classificações precisam de ser revistas, mas não nos cabe a nós inventar uma classificação nova. JF (discussão) 11h39min de 29 de Novembro de 2007 (UTC)

---

A mais que não seja por razões históricas e culturais, para não falar que somos um dos países com mais segurança .

É como eu tenho dito, acho que não é por causa de uns números que um país deixa de ser desenvolvido. Por exemplo, a República Checa passou à nossa frente porque tem uma melhor educação que a de Portugal. Quantos Portugueses foram para lá estudar? Mas, se falarmos em termos de infra-estruturas, por exemplo, auto-estradas, Portugal é dos países da Europa com mais auto-estradas por quilómetro quadrado, e ainda falta o distrito de Bragança. Além do mais, os dados são de 2006 e já estamos a entrar em 2008. 2006 foi um ano terrível para a economia e assim por adiante. Mas agora pergunto-me, aonde é que a ONU vai buscar os dados? Em que se baseia ela? E creio que faltam factores relevantes para considerar se um país é ou não desenvolvido, a saber: segurança, infra-estruturas, balança comercial, produtividade (não é o PIB/Capita), acesso às comunicações (ali ganharimos de certeza dado que há mais telemóveis que portugueses no país). Há muitos países por aí fora que não são considerados desenvolvidos mas que estão a transformar-se em potência como a Rússia, o Brasil... porque não dar também o respectivo valor a estes países? Creio que seja necessário não dar o devido valor a esta mera estatística da ONU porque inclui somente três bases: Longevidade, Rendimento per capita e Educação. E Portugal não deixou de ser um país desenvolvido só porque, ai e tal, estamos a três centésimas!!! dos 0.900. Por favor, acho que não é por causa disso que deixamos de ser desenvolvidos, ou será? Enfim, são estas tretas de instituições que só sabem olhar para os números e não para o interior das coisas. Quem vê caras, não vê corações PTJoel 01h15min de 2 de Dezembro de 2007 (UTC)
Joel, fizeste bem em retirar o comentário sobre o IDH. E tens razão no que escreveste acima.JF 13h08min de 2 de Dezembro de 2007 (UTC)

Quando da citação da notícia sobre o Brasil na página principal tentei editá-la de modo a não falar em desconsideração de Portugal como desenvolvido, porque nada do que li dizia isso, pelo contrário: era o Brasil que subia e ficava entre os países de alto desenvolvimento humano (e concordo quanto a isso com o PTJoel:ao menos cá, centésimos a mais ou a menos não parecem ter feito tanta diferença, quanto mais a mudança de categoria nossa), na mesma classificação de Portugal. Reparem na diferença entre os termos: "país desenvolvido" e "país de alto desenvolvimento humano". O primeiro não é, até onde sei, explicitamente classificado pelo PNUD/ONU a partir do IDH, mas por outras organizações com base nos dados do IDH, dentre outros.

Só lembrando ao PTJoel: quem fornece os dados para os cálculos do PNUD são os próprios países, pelo que se deve reclamar àquela somente da metologia, e não necessariamente dos dados. Mateus Hidalgo quê? 01h49min de 6 de Dezembro de 2007 (UTC)

Bem, mas mesmo assim, no artigo do IDH não se explica a metodologia das classificações. E queria dizer à pessoa que ainda tem a mania de querer por a nota sobre o "desclassificamento" ou a perda do "status" (mais uma palavra inglezada) que este artigo fala de Países Desenvolvidos e não de IDH. Estive a ver as versões francesa, inglesa e até russa, e conclui que Portugal está lá na mesma. E não é o IDH que vai caracterizar se o país é ou não desenvolvido. Aquela nota não tem sentido nenhum! País desnvolvido é caracterizado, como o próprio parágrafo indica (Organizações tais como, o Banco Mundial, o Fundo Monetário Internacional e a CIA apontam como países desenvolvidos os seguintes:), pela CIA, o FMI, OCDE e assim por adiante. Como foi dito assima e passo a citar: Reparem na diferença entre os termos: "país desenvolvido" e "país de alto desenvolvimento humano. Só mais uma coisa, aquele mapa do IDH será realmente apropriado para este artigo? O artigo é país "país desenvolvido", ora bolas e não IDH. PTJoel (discussão) 21h20min de 6 de Dezembro de 2007 (UTC)

erro de português[editar | editar código-fonte]

semelhança do que sucede com grande parte das entradas, encontram-se erros de português, que nada têm a ver com variantes, mas apenas com impreparação, já que é comum nas crases do artigo definido a com a proposição a. É lamentável.

Que tal corrigir em vez de lamentar? Dava menos trabalho e seria mais produtivo... MarioM 12h54min de 1 de Junho de 2008 (UTC)

Como são erros cometidos por cidadãos brasileiros (nas crases, por exemplo, já que em Portugal o som do a e do à são muito distintos o que leva a que não haja erros) pensei que isso poderia ferir susceptibilidades. O ideal seria um cuidado geral de todos para que a enciclopédia não fique em tom de conversa de café, repleta de coloquialismos. Parto do princípio de que, quem colabora numa enciclopédia, onde outros vão tirar dúvidas, domina pelo menos os mais básicos rudimentos da língua em que escreve, seja ela qual for. Lisboeta

Esboço?[editar | editar código-fonte]

Ao meu ver a página já está grande o suficiente para ser tirado {{esboço-economia}}. O que acham?MatheusCafé-Coffee-Kawa? 22h49min de 25 de maio de 2010 (UTC)

O texto dele é bem pequeno, pouco mais de dois parágrafos... será que tabelas e listas contam tanto como conteúdo? RafaAzevedo disc 22h51min de 25 de maio de 2010 (UTC)

Mas no geral está bom... E aí, o que diz?MatheusCafé-Coffee-Kawa? 23h05min de 25 de maio de 2010 (UTC)

  • O Rafa disse tudo. Parece que vossa senhoria, criada por "família europeia", está errada. Face-grin.svg Heitor diz aí! 01h39min de 26 de maio de 2010 (UTC)
Não faça mais comentários sobre minha origem. Até porque isto também é preconceito, ridicularizar de qualquer forma a etnia do outro. Passar bem. (E ainda com estes emoticons fazendo chacota do meu direito de conversar sobre o artigo).MatheusCafé-Coffee-Kawa? 16h36min de 26 de maio de 2010 (UTC)

Proteger[editar | editar código-fonte]

Face ao vandalismo, parece-me que este artigo está a precisar proteção. Concordam? DReispt msg 16h20min de 2 de março de 2011 (UTC)