Discussão:Revolta da Vacina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Existem vário erros no artigo. Erros que não são verificados na fonte (o site da superinteressante).

A fonte dos meus argumentos encontram-se nos livros "Os Bestializados" de José Murilo de Carvalho e "cidade febril" de Sidney Chalhoub, principais referêncis sobre o assunto.

1. A Reforma Urbana de Pereira Passos nada tem a ver com a Reforma Sanitaria de Oswaldo Cruz. A intenção de Passos era apenas a de modernizar a cidade do Rio de Janeiro, construindo novas avenidas, alargando antigas, reformando o porto, canalizando Rios... Sugiro então que mude-se a passagem: "então presidente da República Rodrigues Alves (1902-1906) deu plenos poderes ao prefeito Pereira Passos e ao médico Dr. Oswaldo Cruz para executarem um grande projeto sanitário." Além disso (um pouco mais a frente no texto) não foram só velhos prédios e cortiços que foram demolidos. As demolições se deram em virtude das obras de modernização e não de reformas sanitárias.

2. O texto confude o tempo todo a revolta popular contra a vacinação obrigatória com o levante da escola militar da praia vermelha (EMPV), que foi uma tentativa de golpe militar durante a Revolta da Vacina. É certo que algumas das personalidades que participaram do levante da EMPV também eram parlamentares ativos na luta contra a vacinação obrigatória ou mesmo membros importantes da "Liga contra a vacina obrigatória". O que não significa dizer que os dois movimentos estivessem vinculados. Sugiro então que mude-se a frase "A resistência popular, quase um golpe militar, (...)" Sugiro também que se altere a frase "os cadetes da Escola Militar da Praia Vermelha também se sublevaram contra as medidas baixadas pelo Governo Federal". Uma vez que não foi especificamente contra as medidas que eles se levantaram, mas com a intenção de dar um golpe de estado, liderads por militares positivistas florianistas.

3. Ponto mais importante!! A Revolta da Vacina foi VITORIOSA! A vacinação obrigatória foi revogada! De acordo com o próprio site da superinteressante: "No dia 16, o governo revoga a obrigatoriedade da vacina, mas continuam os conflitos isolados, nos bairros da Gamboa e da Saúde. Dia 20, a rebelião está esmagada e a tentativa de golpe, frustrada. " Houveram protestos ainda até o dia 20, apesar da revogaçao da obrigatoriedade no dia 16

--143.106.1.138 (discussão) 18h15min de 12 de julho de 2011 (UTC) F P Mello

Achei um link que indica a dissossiação entre a revolta militar e a revolta da vacina http://www.lemp.historia.ufrj.br/revista/A_revolta_da_Escola_Militar_da_Praia_Vermelha.pdf

--143.106.1.138 (discussão) 18h48min de 12 de julho de 2011 (UTC) F P Mello