Distância

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Distância percorrida)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde março de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Pessoas a diferentes distâncias entre si.

Na linguagem corrente, distância é a medida da separação de dois pontos. A distância entre dois pontos é medida pelo comprimento do segmento de reta que os liga. Quando se fala na distância entre dois pontos da superfície da Terra, então a distância é o mínimo comprimento entre as possíveis trajetórias sobre a superfície partindo de um ponto e atingindo o segundo (geodésia).

Em aplicações práticas, é comum definir a distância entre dois pontos na Terra como o comprimento da trajetória utilizada por determinado meio de transporte. Assim, fala-se em distância rodoviária, distância ferroviária ou distância aérea.

A distância é sempre uma medida positiva e tem a propriedade de que a distância de um ponto A até um ponto B é idêntica à distância do ponto B até o ponto A

Métrica[editar | editar código-fonte]

A idéia de distância entre dois pontos é formalizada e generalizada pela matemática através do conceito de métrica. Um espaço onde há uma distância ou métrica definida é chamado de espaço métrico.

Mais precisamente, se \mathbb{S} é um conjunto, uma métrica em \mathbb{S} é função d:\mathbb{S}\times\mathbb{S}\to\mathbb{R} que associa dois elementos de um conjunto a um número real e deve obdecer aos seguintes axiomas:

  • ser positivamente definida d(x,y) \ge 0\, para todos os x,y \in \mathbb{S}\,
  • ser simétrica d(x,y)=d(y,x)\, para todos os elementos x,y\, de \mathbb{S}\,
  • obedecer a desigualdade triangular. Para todos os x,y,z\, elementos de S, d(x,z)\le d(x,y) + d(y,z)\,
  • ser nula apenas para pontos coincidentes. d(x,y)=0 \iff x=y\,

A métrica e o universo em que vivemos[editar | editar código-fonte]

A métrica é a regra que define como calcular a separação entre dois eventos. No espaço euclidiano, espaço diretamente associado à mecânica clássica e ao qual estamos acostumados no dia-a-dia, a distância entre dois pontos pode ser calculada, uma vez considerada a métrica deste espaço, através da expressão:

\delta d = \sqrt { \delta x^2 + \delta y ^2 + \delta z ^2} ,

Nesta expressão, amplamente conhecida entre os alunos com ensino médio, não figura a grandeza tempo, e a distância espacial mostra-se completamente independente da distância temporal entre os dois pontos (eventos) considerados, que no dia-a-dia traduz-se por:

 \delta t = t_2 - t_1

Uma vez determinadas a distância espacial e a distância temporal entre os eventos, estas são as mesmas para quaisquer observadores, estando estes em movimento relativo ou não. O comprimento da sua rua não depende do fato de você estar em um carro parado ou em movimento, e tão pouco seu relógio de pulso atrasa por este motivo (isto para velocidades relativas encontradas no dia-a-dia).

Einstein, ao publicar a sua teoria da relatividade restrita, trouxe à luz o fato de o universo em que vivemos não constituir-se em um espaço euclidiano, mas sim em um espaço hiperbólico com quatro dimensões, três espaciais e uma temporal, mutuamente inseparáveis. A métrica para o cálculo da distância entre dois eventos no espaço-tempo não é euclidiana pois na expressão que permite o cálculo desta distância  \delta S  :

\delta S = \sqrt { \delta x^2 + \delta y ^2 + \delta z ^2 - (c \delta t) ^2}

o intervalo de tempo  \delta t , apesar de figurar como uma coordenada junto às demais, não é plenamente equiparável a estas, figurando na expressão precedido de um sinal de subtração, e não adição. A velocidade da luz C, uma constante que não afeta o raciocínio, figura na expressão apenas para proporcionar um "ajuste" dimensional das grandezas envolvidas.

Assim como a distância espacial entre dois pontos na métrica euclidiana não depende do observador considerado, esteja este observador parado ou em movimento em relação aos pontos (eventos) considerados, a separação espaço-temporal entre dois eventos será sempre a mesma qualquer que seja o observador considerado, esteja ele em movimento relativo ou não. Entretanto, o sinal de menos que acompanha o tempo na expressão para \delta S permite considerações que fogem ao senso comum uma vez que, mesmo conservada a separação espaço temporal  \delta S para dois observadores em movimento relativo, permite que uma separação espacial observada por um dos observadores seja interpretada pelo outro observador não como uma separação espacial mas sim como uma separação temporal, o mesmo valendo para a separação temporal no primeiro caso, que pode ser interpretada pelo segundo observador como uma separação espacial. Tal possibilidade de relacionamento entre as grandezas espaciais e temporal na métrica hiperbólica do espaço-tempo dá origem à conhecida dilatação temporal e contração espacial descrita nos cursos de relatividade restrita.

O universo em que vivemos é regido por uma métrica hiperbólica, e não euclidiana.

Distância entre conjuntos[editar | editar código-fonte]

dist(A,B)> dist(A,C) + dist(C,B)

Seja \left(\mathbb{S},d\right) um espaço métrico, define-se a distância entre dois subconjuntos A\, e B\, não-vazios de S\, como o ínfimo das distâncias entre um ponto do conjunto A\, e um ponto do conjunto B\,:

\hbox{dist}(A,B):=\inf\left\{d(x,y):x\in A,~y\in B\right\}\,


Ver também[editar | editar código-fonte]