Distúrbio do colapso das colônias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O distúrbio do colapso das colônias (em inglês, Colony Collapse Disorder, CCD) se refere à dizimação em massa de populações de abelhas, atualmente ocorrendo em diversos países. O CCD é provavelmente efeito de uma combinação de fatores, especialmente perda de habitat, doenças e uso de certos agrotóxicos, especialmente inseticidas de uso agrícola.

No inverno de 2006/2007 a doença afetou as abelhas estadunidenses. De acordo com a USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, na sigla em inglês), cerca de 30 e 60% das abelhas sumiram na Califórnia (oeste) e mais de 70% em algumas regiões da costa leste e no Texas (sul).[1]

Um fenômeno semelhante está sendo observado por apicultores europeus em Bélgica, França, Países Baixos, Polónia, Grécia, Itália, Portugal e Espanha.[2] Em vista disso, a Comissão Europeia tem tentado suspender temporariamente a aplicação de alguns agrotóxicos neonicotinoides mas enfrenta o forte pressão dos fabricantes.[3]

Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), as abelhas, sobretudo as silvestres, polinizam 71 de pouco mais de 100 culturas que respondem por 90% da oferta global de alimentos.[3] [4]

Nos Estados Unidos, a polinização das plantações por abelhas e outros insetos contribuiu com 29 bilhões de dólares na receita dos produtores agrícolas em 2010 [5] .


No Brasil[editar | editar código-fonte]

Em julho de 2012, dada ocorrência de vários casos de CCD no Brasil, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) proibiu temporariamente a aplicação de quatro inseticidas - o fipronil, que é um pirazol, e três neonicotinoides (imidacloprida, clotianidina e tiametoxam) - em lavouras que recebem insetos polinizadores, pois os neonicotinoides funcionam como neurotoxinas que interferem no sistema nervoso dos insetos, prejudicando o olfato e a memória, elementos essenciais para a manutenção das colmeias.[3] [6] Posteriormente, por pressão do poderoso lobby do agronegócio, o Ibama teve de ceder e baixou duas instruções normativas com a Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Essas instruções enfraquecem a medida anterior. A primeira delas, de outubrode 2012, liberou a pulverização aérea dos quatro agrotóxicos, e a segunda, publicada no início de janeiro de 2013, flexibilizou ainda mais a medida original, apenas protegendo a floração. [7]

Pouco depois, em fevereiro de 2013, na região de Dourados, Mato Grosso do Sul, um apicultor relatou que suas 70 colmeias (onde quase 3,5 milhões de abelhas produziam mais de 1 tonelada de mel ao ano) entraram em colapso, no curso de poucos dias. O caso está sendo investigada pelo governo do Mato Grosso do Sul mas, segundo Osmar Malaspina, professor do Instituto de Biociências da UNESP Rio Claro, São Paulo, "há forte suspeita de que a morte das abelhas tenha sido provocada pela aplicação de um inseticida da classe dos neonicotinoides em um canavial".[3]

O imidacloprido é um campeão mundial de vendas no mercado de inseticidas. Foi desenvolvido nos anos 1970 pela Shell e, na década de 1980, pela Bayer. As vendas globais estimadas de imidacloprido totalizam pouco mais de 1 bilhão de dólares por ano. O segundo lugar em faturamento cabe ao tiametoxam, da Syngenta, com mais de US$600 milhões ao ano.


Referências

  1. Desaparecimento em massa de abelhas nos EUA permanece inexplicável (em português)
  2. Gaëlle Dupont, Les abeilles malades de l'homme, Le Monde, acessado 8 de setembro de 2007 (em francês)
  3. a b c d Agrotóxicos: Brasil já sofre colapso das colmeias. Outras Palavras, 22 de abril de 2013.
  4. FAO. Protecting the pollinators. Dezembro de 2005.
  5. Em 2010, o valor do resultado das colheitas diretamente dependentes da polinização por insetos totalizou 16,35 milhões de dólares, enquanto o valor das colheitas de culturas indiretamente dependentes da polinização por insetos foi 12,65 bilhões de dolares. Ver Supporting Text (S3) for: "Insect pollinated crops, insect pollinators and US agriculture: Trend analysis of aggregate data 9 for the period 1992 – 2009". Update for individual crops for 2010. Nicholas W. Calderone. Department of Entomology. Cornell University. Ithaca, New York.
  6. Comunicado do Ibama. Diário Oficial da União, nº 139, 19 de julho de 2012, seção 3, p. 112.
  7. Secretaria de Defesa Agropecuária. Instrução Normativa Conjunta n°1 de 28 de dezembro de 2012. Dispõe sobre a aplicação dos ingredientes ativos Imidacloprido, Clotianidina, Tiametoxam e Fipronil. Diário Oficial da União, nº 3. Seção 1, 14 de janeiro de 2013.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre insetos, integrado no Projeto Artrópodes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.