Divisória continental

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grandes divisórias continentais, mostrando a drenagem para os principais mares e oceanos. As zonas a cinzento são bacias endorreicas que não desaguam nos oceanos.

Uma divisória continental ou divisão continental é uma divisória de águas — linha geográfica traçada sobre o terreno e que marca a fronteira entre duas bacias hidrográficas à escala continental, de modo a que as águas que escorram de um lado da linha sigam para um oceano ou outro grande corpo de água, e as águas do outro lado cheguem a outro, geralmente na parte oposta do mesmo continente. Devido à fronteira precisa entre os grandes corpos de água não estar claramente definida, a divisória continental nem sempre é clara para vários continentes. A publicação da Organização Hidrográfica Internacional, Limits of Oceans and Seas (Limites dos Oceanos e Mares) define com precisão os limites dos oceanos, mas não é universalmente reconhecida. Além disso, alguns rios desaguam em mares interiores.

Exemplos[editar | editar código-fonte]

Divisórias continentais na América do Norte.
Divisórias continentais na Europa.

As principais divisórias continentais são as seguintes:

  • América do Norte - Podem considerar-se quatro ou cinco divisórias continentais, em função de como se classifiquem as bacia hidrográficas:
  • A divisória Oriental separa a bacia do golfo do México da região que drena diretamente para o oceano Atlântico. Segue entre os Twin Tiers de Nova Iorque e Pensilvânia até sul pelos montes Apalaches terminando na ponta da Florida. A cidade de Atlanta fica situada sobre esta divisória.
  • Pode-se considerar que o Canadá tem outra divisória continental, a que separa a bacia do oceano Ártico da da baía de Hudson, já que a baía de Hudson é por vezes tida como uma grande massa de água distinta do oceano Ártico. Esta divisória, que ocasionalmente se denomina divisória do Ártico, foi uma barreira para o transporte até a portela de Methye teria sido descoberta em 1778, o que abriu os rios do Ártico aos comerciantes de peles, convertendo-se em parte de uma rota comercial transcontinental do Atlântico ao Pacífico. É de importância crucial na história do Canadá, já que marca o limite norte da Terra de Rupert, o monopólio comercial da zona da Companhia da Baía de Hudson.[1]
  • América do Sul - A divisória continental das Américas fica situada ao longo dos Andes, mas a divisão nem sempre passa ao longo dos picos mais altos deste sistema montanhoso. Na Patagónia muitos lagos morreicos foram usados para drenar para o Atlântico, em vez de drenar para o Pacífico, antes das glaciações do Pleistoceno.
  • Austrália - O continente australiano tem menos fronteiras entre oceanos e poucas cordilheiras proeminentes, pelo que é difícil definir uma única divisão. Grande parte do interior do continente desagua na bacia endorreica do lago Eyre.
  • A Eurásia tem varias divisões, em função da definição de «mar» (por exemplo, o mar Mediterrâneo e os seus diferentes mares costeiros, o oceano Atlântico, o mar do Norte, o mar Báltico, o oceano Ártico e o mar Negro). Algumas das divisórias são as seguintes:
  • Ásia:
  • Europa-Ásia:
  • Europa:

Referências e notas[editar | editar código-fonte]

  1. John E. Foster, W.J. Eccles (1985). The Historica Foundation of Canada: Fur Trade The Canadian Encyclopedia. Visitado em 30-12-2007.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]