Doença de Lyme

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Carraça/carrapato macho

A doença de Lyme (ou borreliose de Lyme) é uma doença causada pela bactéria espiroqueta Borrelia burgdorferi.

O vetor da infecção é geralmente a picada de um carrapato da espécie Ixodes scapularis infectado.

A apresentação da doença varia bastante, podendo, em seus estágios iniciais, incluir erupçäo cutânea e sintomas parecidos com os da gripe, e então manifestações musculoesqueléticas, artríticas, neurológicas, psiquiátricas e cardíacas. Na maioria dos casos, os sintomas podem ser eliminados com antibióticos, especialmente se o tratamento é iniciado precocemente. O tratamento tardio ou inadequado geralmente desenvolve o "estágio tardio" da doença de Lyme, que é debilitante e difícil de ser tratado.

História[editar | editar código-fonte]

Apesar de a doença ser certamente antiqüíssima, conforme estudos realizados no corpo mumificado de Ötzi, o Homem do Gelo encontrado em uma passagem da montanha no alto dos Alpes Ötzal cuja morte remonta a cerca de 5300 anos, indicando ser o caso mais antigo já encontrado, foi só em 1977, na região de Lyme, Connecticut, EUA, que vários casos de artrite aguda entre adolescentes levaram à descoberta médica da doença. A B.burgdorferi seria identificada como a causa em 1984. A cantora e atriz mexicana Thalía já sofreu da doença por quase dois anos.

O caso mais recente é do piloto da NASCAR, Trevor Bayne, que teve que ficar fora de muitas corridas.

Epidemiologia[editar | editar código-fonte]

Já foram detectados casos de doença de Lyme em 47 estados dos EUA, inclusive naqueles localizados ao longo da costa nordeste, de Massachusetts até Maryland, Wisconsin, Minnesota, Califórnia e Oregon, além de outros países e regiões planetárias que incluem a Europa (incluindo Portugal) e o norte da Ásia, incluindo Rússia, China, Japão, Austrália e Argentina. Geralmente, a doença de Lyme ocorre no verão e no início do outono, afetando mais frequentemente as crianças e os adultos jovens que habitam áreas florestais.

A doença é transmitida por carraças/carrapatos do gênero Ixodes. No Brasil, o Ixodes responsável é o Amblyoma cajennense. Há cerca de 25 casos por 100 000 habitantes por ano na Europa. Mais de 10% das carraças poderão estar infectadas. A doença de Lyme ataca principalmente mamiferos selvagens, mas a transmissão destes é muito improvável e pode ser que seja impossível.

Carraça (carrapato) inchada de sangue

Zona endemica também no sul da Argentina, com vários casos diagnosticados em turistas que visitam aquela região.

Progressão e Sintomas[editar | editar código-fonte]

Lesão característica

À infecção devido à picada da carraça ou carrapato, segue-se um período de incubação de três dias a um mês. A doença prossegue então exceto se interrompida por tratamento eficaz. Na pele ao redor da zona da picada surge o eritema migrante, mancha vermelha redonda que cresce até cerca de 5-50 centimetros de diâmetro, com clareamento da zona central. Pelo menos 75% dos indivíduos infectados apresentam este sinal precoce. Aproximadamente 50% dos indivíduos infectados apresentam mais áreas avermelhadas (normalmente menores) logo após o surgimento da grande mancha vermelha. Sintomas adicionais são inchaço dos gânglios linfáticos locais, mal estar, fadiga, dores de cabeça, febre e calafrios, rigidez do pescoço e dores musculares e articulares que duram cerca de um mês. Os sintomas menos comuns incluem a lombalgia, náusea e vômito, dor de garganta, aumento de linfonodos e do baço. Embora a maioria dos sintomas surjam e desapareçam, a sensação de mal estar e a fadiga podem persistir por semanas.

Se não tratada em 80% dos casos surgem após algumas semanas a dois anos as complicações tardias, com sintomas neurológicos iniciais como meningite, encefalite e disfunção das funções intelectuais (alucinações, perdas de memória, outras), paralisia de músculos devido aos danos nos nervos; e possivelmente problemas cardiacos (15% dos casos) - arritmias (batimentos cardíacos irregulares) e pericardite (inflamação do saco que envolve o coração). Mais tarde aparecem artrites com dores nas articulações e artrite.

Os joelhos afetados geralmente tornam-se mais edemaciados que dolorosos, frequentemente a temperatura da região aumenta (o que pode ser percebido pela palpação) e, raramente, tornam-se hiperemiados (avermelhados). Pode ocorrer a formação de cistos na face posterior do joelho. Quando esses cistos rompem, a dor piora abruptamente. Aproximadamente 10% dos indivíduos com artrite de Lyme desenvolvem problemas permanentes nos joelhos.

A doença é raramente fatal, mas conduz à debilidade.Um problema da doença são os sintomas algo moderados crônicos mas associados a danos significativos, levando o doente a não procurar o médico até que haja disfunções irreversíveis.

Observação: Em 50% dos casos ocorre neuropatia facial.

Prevenção[editar | editar código-fonte]

Uso de roupas claras cobrindo a maior parte da pele e botas altas quando em expedições à floresta. As calças devem ser metidas dentro das meias para evitar essa porta de entrada à carraça. As carraças, se encontradas, devem ser retiradas imediatamente da pele da forma apropriada, se possível por alguém com experiência. Se não houver ninguém nas imediações, devem ser usadas pinças. O recurso ao calor, vaselina ou azeite para expulsão da carraça não é recomendado, pois irrita o parasita e pode provocar regurgitação para o hospedeiro, aumentando as possibilidades de infecção [1]. Se em zona endémica é aconselhável a consulta médica.

Diagnóstico e Tratamento[editar | editar código-fonte]

Star of life caution.svg
Advertência: A Wikipédia não é consultório médico nem farmácia.
Se necessita de ajuda, consulte um profissional de saúde.
As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento.

O dignóstico é um teste ELISA de detecção de anticorpos especificos contra a espiroqueta. A cultura é extremamente difícil assim como a visualização microscópica, já que não absorvem corantes. A PCR é usada por vezes.

Apesar de todos os estágios da doença de Lyme responderem aos antibióticos, o tratamento precoce previne mais adequadamente as complicações. Nos estágios I ou II, os antibióticos amoxicilina, cefuroxima, eritromicina, doxiciclina ou macrolidio podem ser administrado pela via oral. Na doença avançada, grave ou persistente, são administrados antibióticos pela via intravenosa. Na fase III, utiliza-se ceftriaxona. Os antibióticos também ajudam a aliviar a artrite, embora possa ser necessário prolongar o tratamento por até 3 semanas. A aspirina ou outros antiinflamatórios não esteróides aliviam a dor das articulações inflamadas. O líquido acumulado nas articulações afetadas pode ser drenado e o uso de muletas pode ser benéfico

Entidade[editar | editar código-fonte]

Mundialmente o mês de março é conhecido como o mês da consciência da doença de Lyme. Em março de 2014 foi fundada no Brasil a entidade ABRALY - Associação Brasileira de Doença de Lyme com o intuito de lutar pela prevenção, conscientização e diagnóstico precoce da Doença de Lyme no Brasil.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Doença de Lyme
  • [2]
  • [3]
  • [4]
  • [5]
  • [6]
  • Reportagem da Sientific American sobre a ocorrência mais antiga da doença de Lyme [7]