Don't Stop (canção do Fleetwood Mac)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Don't Stop"
Single de Fleetwood Mac
do álbum Rumours
Lado B "Never Going Back Again"
Lançamento Março de 1977 (GBR) / 6 de julho de 1977 (EUA)
Formato(s) 7"
Gravação 1976
Gênero(s) rock
Duração 3:13
Gravadora(s) Warner Bros.
Composição Christine McVie
Produção Fleetwood Mac, Richard Dashut, Ken Caillat
Cronologia de singles de Fleetwood Mac
Último
Último
"Go Your Own Way"
(1977)
"Dreams"
(1977)
Próximo
Próximo
Amostra de áudio
informação do ficheiro · ajuda

Don't Stop é uma canção da banda de rock anglo-americana Fleetwood Mac escrita pela vocalista e tecladista Christine McVie. Cantada por ela e pelo guitarrista Lindsey Buckingham, ela foi uma single retirada do álbum Rumours, de 1977. É um dos mais duradouros hits do Mac, e atingiu o nº 3 da Billboard no ano de seu lançamento.[1] No mercado britânico, Don't Stop foi a segunda single do álbum, lançada imediatamente após Go Your Own Way e atingindo o nº 32 das paradas no Reino Unido. Nos Estados Unidos, foi o terceiro single a ser lançado.

Origens[editar | editar código-fonte]

A canção reflete os sentimentos de McVie após sua separação do baixista da banda, John McVie, após oito anos de casamento: "Don't Stop era apenas um sentimento. Parecia ser apenas uma relevação de que "o ontem havia terminado", ela lembra em The Fleetwood Mac Story: Rumours and Lies. "Ela deveria, acho, ter sido dirigida mais diretamente a John, mas definitivamente eu não sou uma pessimista".[2]

Uso político[editar | editar código-fonte]

A canção foi utilizada como tema da primeira campanha do candidato Bill Clinton à presidência dos Estados Unidos em 1992, mais especialmente durante a convenção nacional dos democratas daquele ano. Depois de vencer as eleições, Clinton persuadiu a banda - que se encontrava separada há vários anos - a se reunir novamente para tocá-la num grande palco durante o baile inaugural de sua presidência, em 1993.[1] A música foi tocada novamente em todas as aparições do ex-presidente nas convenções democratas de 2004, 2008 e 2012.

Versões[editar | editar código-fonte]

Entre outras versões posteriores da canção, as mais conhecidas são a de Elton John para o álbum Legacy: A Tribute to Fleetwood Mac's Rumours[3] e da banda Status Quo para um álbum inteiro de covers chamado Don't Stop.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Suddath, Claire. A Brief History of Campaign Songs TIME. Visitado em 03/03/2013.
  2. Brunning, Bob .(2001). Rumours And Lies: The Fleetwood Mac Story. ISBN 978-1-84449-011-0.
  3. Legacy: A Tribute to Fleetwood Mac's Rumours Allmusic. Visitado em 03/03/2013.
  4. Status Quo Don't Stop Allmusic. Visitado em 03/03/2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]