Dona Canô

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dona Canô
Dona Canô em janeiro de 2010
Nome completo Claudionor Viana Teles Velloso
Nascimento 16 de setembro de 1907,
Santo Amaro da Purificação, BA
Morte 25 de dezembro de 2012 (105 anos),
Santo Amaro da Purificação, BA
Nacionalidade  Brasileira

Claudionor Viana Teles Velloso (Santo Amaro da Purificação, 16 de setembro de 1907[1]25 de dezembro de 2012[2] ), mais conhecida como Dona Canô, foi uma cidadã centenária brasileira, conhecida por ser mãe de dois importantes nomes da música popular brasileira, Caetano Veloso e Maria Bethânia.

Além dos dois célebres músicos, Dona Canô foi mãe de mais seis filhos, dos quais duas eram filhas de criação. Era viúva de José Teles Veloso (Seu Zeca), funcionário público dos Correios, morto em 13 de dezembro de 1983, aos 82 anos.

Considerada uma das mais ilustres cidadãs de Santo Amaro da Purificação, teve publicadas suas memórias no livro “Canô Velloso, lembranças do saber viver”, escrito pelo historiador Antônio Guerreiro de Freitas e por Arthur Assis Gonçalves da Silva, falecido antes do término da obra[3] . Organizava periodicamente Terno de Reis na cidade[3] .

Dona Canô e Lula[editar | editar código-fonte]

Em 2009, Caetano Veloso, em entrevista a O Estado de São Paulo ao qual declara seu apoio à candidatura de Marina Silva, disse:

Não posso deixar de votar nela. É por demais forte, simbolicamente, para eu não me abalar. Marina é Lula e é Obama ao mesmo tempo. Ela é meio preta, é cabocla, é inteligente como o Obama, não é analfabeta como o Lula, que não sabe falar, é cafona falando, grosseiro. Ela fala bem.
 
Caetano Veloso, O Estado de São Paulo[4] .

Esta frase em especial causou grande repercussão, chegando a fazer com que Dona Canô quisesse ligar para o presidente Lula para pedir desculpas por Caetano[5] .

Lula não merece isso. Quero muito bem a ele. Foi uma ofensa sem necessidade. Caetano não tinha que dizer aquilo. Vota em Lula se quiser, não precisa ofender nem procurar confusão.
 
Dona Canô[6] .

A polêmica praticamente se encerrou após Lula ligar pessoalmente para Dona Canô e perdoar Caetano.

Não fique chateada, preocupada, porque gosto muito da senhora e gosto do Caetano também. Está tudo bem, essas coisas acontecem.
 
Presidente Lula[7] .

Sobre a fama[editar | editar código-fonte]

Quando perguntada sobre a própria fama, Dona Canô dizia não entender a razão:

Cquote1.svg Apenas fiquei conhecida por causa de meus dois filhos que nunca se esqueceram de onde vieram nem da mãe que têm. Cquote2.svg
Dona Canô [8]

Referências

  1. Peixoto, Claude do Amaral (15 de setembro de 2009). Festa na Bahia Monitor Mercantil. Página visitada em 23 de dezembro de 2009.
  2. Morre Dona Canô, aos 105 anos, diz filho em Santo Amaro, na Bahia Portal G1 (25 de dezembro de 2012). Página visitada em 25 de dezembro de 2012.
  3. a b Rubim, Iuri (20 de março de 2009). BA: Aos 101 anos, D. Canô Velloso publica livro de memórias Terra Magazine - Blogs. Página visitada em 23 de dezembro de 2009.
  4. Racy, Sonia (5 de novembro de 2009). As últimas de Caetano Veloso, em entrevista exclusiva O Estado de São Paulo. Página visitada em 23 de dezembro de 2009.
  5. Leal, Cláudio (16 de novembro de 2009). Dona Canô: "Lula não é analfabeto. Caetano vai me ligar" Terra Magazine. Página visitada em 23 de dezembro de 2009.
  6. Conrado, Rita (15 de novembro de 2009). Dona Canô vai ligar para Lula e se desculpar pelas críticas de Caetano ao presidente O Globo. Página visitada em 23 de dezembro de 2009.
  7. Décimo, Tiago (20 de novembro de 2009). Lula telefona para dona Canô e perdoa Caetano Veloso O Estado de São Paulo. Página visitada em 23 de dezembro de 2009.
  8. Serpa, Simone (dezembro de 2007). Dona Canô - a baiana que é uma lição de calma e sabedoria há 100 anos Vida Simples (ed. 60). Página visitada em 21 de outubro de 2010.


Ligações externas[editar | editar código-fonte]