Donkey Kong Country Returns

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Donkey Kong Country Returns
Capa da versão norte-americana do jogo.
Desenvolvedora Retro Studios
Monster Games (3DS)
Publicadora(s) Nintendo
Diretor Bryan Walker
Compositor(es) Kenji Yamamoto
Minako Hamano
Masaru Tajima
Shinji Ushiroda
Daisuke Matsuoka
Plataforma(s) Wii, Nintendo 3DS
Série Donkey Kong
Data(s) de lançamento Wii
  • JP 9 de dezembro de 2010
  • AN 21 de novembro de 2010
  • EU 3 de dezembro de 2010

Nintendo 3DS
  • JP Verão de 2013
  • AN 24 de maio de 2013
  • EU 24 de maio de 2013
Gênero(s) Plataforma
Modos de jogo Um jogador, Multijogador
Classificação Permitido para todas as idades i CERO (Japão)
Inadequado para menores de 6 anos i ESRB (América do Norte)
Inadequado para menores de 3 anos i PEGI (Europa)
Último
Último
DK: Jungle Climber
Próximo
Próximo

Donkey Kong Country Returns é um jogo eletrônico de plataforma side-scrolling desenvolvido pela Retro Studios e publicado pela pela Nintendo para o console Wii, em 21 de novembro de 2010 na América do Norte e em dezembro do mesmo no ano no Japão e na Europa. Trata-se da série tradicional, sendo que é o primeiro jogo para console de mesa desde Jungle Beat e também o primeiro Donkey Kong Country a não envolver a Rare durante o desenvolvimento. A versão para Nintendo 3DS lançou com algumas novidades a mais no dia 24/05/13.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Jogadores assumem o controle de Donkey Kong e Diddy Kong, com muitos elementos tradicionais da série Donkey Kong Country, incluindo os níveis de carts de mina, balançando de cipós a vinhas, e coletando bananas. Haverá também níveis, com o personagens e ambientes que aparecem em primeiro plano como silhuetas, gerando diversas novas mecânicas de jogo. O modo multijogador permite aos jogadores controlar simultaneamente um caráter cada. Ambos os personagens têm dois hits cada. Se um jogador morre em dois jogadores modo, ele pode ser trazido de volta ao acertar um Barril DK que flutua em vista, semelhante ao New Super Mario Bros Wii. Para evitar problemas decorrentes de diferenças nas habilidades do jogador, Diddy pode hop em Donkey está de volta a assumir um papel mais passivo, enquanto seu jato pode ser usado para fazer alguns parceiros salta sua fácil. Como em Beat Jungle, Donkey pode dar o ground pound (soco de chão) para derrotar os inimigos e descobrir itens secretos. O jogo terá dois esquemas de controle, com o sistema padrão usando o Wii Remote em conjunto com o Nunchuk, bem como uma clássica abordagem mais empregam o Wii Remote realizada para os lados, tanto dos que utilizam controle de movimento para a terra da libra Donkey movimento. Também haverá jogabilidade com Donkey/Diddy montando no Rambi, o rinoceronte. Além de elementos de série comum como desbloquear segredos e, também há um modo de ataque por tempo.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Sob o controle da Tribo Tiki Tak, os animais na Ilha Donkey Kong roubaram todas as bananas do estoque de Donkey Kong, forçando-o a recuperar o tesouro com a ajuda de Diddy Kong. Os diferentes tipos de Tikis enchem o papel dos antagonistas do presente, substituindo os Kremlings, que não aparecem no jogo. No jogo estão presentes Rambi e Squawks como parceiros animais e a Loja de Cranky Kong está no jogo.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O Desenvolvimento de Donkey Kong Country Returns começou em abril de 2008, logo após uma parte do pessoal-chave da Retro Studios ter deixado a empresa. Na época, Shigeru Miyamoto queria criar um novo jogo de Donkey Kong e, em seu pedido, o produtor Kensuke Tanabe recomendado Michael Kelbaugh, o CEO da Retro Studios, que já havia trabalhado na série DKC, enquanto ele estava empregado na Nintendo of America. Satoru Iwata frequentemente referido neste turno de eventos como "destino" em suas reuniões com Retro Studios, razão pela qual sugeriu que o projeto Kelbaugh codinome homófonas F8.

Semelhante ao New Super Mario Bros., o jogo foi desenvolvido com a intenção de invocar sentimentos nostálgicos em que o jogador com o seu estilo de arte e som, ao tentar proporcionar-lhes experiências de jogo novo. Embora Miyamoto inicialmente se opôs à ideia, em simultâneo – jogo de dois jogadores foi executado, ao contrário da equipe do sistema de marca da série original. Primeiro revelado na E3 2010, o jogo emprega totalmente poligonal gráficos 3D, com três vezes a quantidade de texturas e polígonos que Metroid Prime 3: Corruption oferecidos. Ao longo de seis meses, dois terços do jogo de ferramentas e motor teve que ser reescrito pelos programadores, a animação e colisão sistemas de estar sujeito à maior parte das mudanças. Retro Studios fez alguns experimentos com níveis subaquáticos, embora eles se sentiram muito lento e inconveniente para o jogo em geral e acabaram omitido.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]