Doriva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Dorival Guidoni Júnior)
Ir para: navegação, pesquisa
Doriva
Informações pessoais
Nome completo Dorival Ghidoni Júnior
Data de nasc. 28 de Maio de 1972 (41 anos)
Local de nasc. Mirassol (SP),  Brasil
Nacionalidade  brasileiro
Altura 1,73 m
Apelido Doriva
Informações profissionais
Período em atividade 1991-2007 (16 anos)
Posição Treinador (Ex-Meia)
Clubes profissionais1
Anos Clubes Jogos (golos)
1991
1992
1993
19931994
1995
19951997
19971999
19992000
20002002
20022006
2006
2007
2007
Brasil São Paulo
Brasil Anapolina (emp.)
Brasil Goiânia (emp.)
Brasil São Paulo
Brasil XV de Piracicaba
Brasil Atlético Mineiro
Portugal Porto
Itália Sampdoria
Espanha Celta de Vigo
Inglaterra Middlesbrough
Inglaterra Blackpool
Brasil América-SP
Brasil Mirassol
0 (0)
0 (0)
0 (0)
27 (0)
0 (0)
59 (1)
30 (5)
54 (4)
34 (1)
79 (0)
0 (0)
0 (0)
0 (0)
Seleção nacional3
19951998 Brasil Brasil 14 (0)
Times que treinou3
2013- Brasil Ituano

Dorival Ghidoni Júnior, conhecido como Doriva (Mirassol, 28 de maio de 1972) é um ex-futebolista brasileiro. Atualmente é o treinador do Ituano.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Doriva começou no futebol no São Paulo em 1991, sendo trazido pelo treinador Telê Santana. No ano seguinte esteve emprestado a Anapolina e Goiânia, para, em 1993 ao São Paulo.

As primeiras conquistas[editar | editar código-fonte]

Na sua segunda passagem pelo tricolor paulista, Doriva teve a oportunidade de trabalhar melhor com Telê Santana, que lhe deu a chance de atuar como meia da equipe campeã da Taça Libertadores da América e do Taça Interclubes.

Após um ano de muitas conquistas no São Paulo, Doriva transferiu-se para o XV de Piracicaba. O clube foi comprado pelo então presidente da TAM, o comandante Rolim Amaro, que trouxe vários jogadores de alto nível para disputa do Campeonato Paulista daquele ano. Apesar de um início arrasador, o XV acabou sendo rebaixado, retornando à elite paulista somente em 2012. Entretanto, o clube conseguiu se recuperar da decepcão que foi o Paulista, conquistando o título da 3ª divisão do Campeonato Brasileiro e consequente ascenso à 2ª divisão brasileira.

A primeira convocação[editar | editar código-fonte]

Enquanto ainda defendia o clube de Piracicaba veio a sua primeira convocação para a Seleção Brasileira. No dia 27 de Abril de 1995, Doriva fez a sua estreia com a camisa brasileira.

Atletico Mineiro[editar | editar código-fonte]

Após um ano no clube de Piracicaba, o jogador voltou a assinar com um clube da elite brasileira, o Atlético Mineiro onde conquistou a Copa Conmebol 1997 e a Copa Centenário de Belo Horizonte.

A ida para a Europa[editar | editar código-fonte]

Em 1997, o jogador teve a oportunidade de jogar por um clube europeu. O Porto de Portugal fez uma proposta que nem Doriva, nem o Atlético Mineiro recusaram. Porém, antes de deixar o Brasil, o jogador foi premiado com a Bola de Prata do Campeonato Brasileiro.

Nos dois anos que esteve no clube português Doriva manteve o ritmo que o levou à Seleção, o que fez com que fosse convocado para a disputa da Copa do Mundo de 1998. Conquistou ainda três títulos nacionais pelo clube, antes de se transferir para a Itália para defender a Sampdoria.

Apenas um ano no clube e Doriva mudou-se novamente. Agora o destino foi Vigo na Espanha para defender o Celta de Vigo. A sua passagem durou três anos, porém não houve qualquer conquista de títulos.

Em 2002 ele transferiu-se para a Inglaterra para jogar pelo Middlesbrough.

Voltando a conquistar um título[editar | editar código-fonte]

Desde a derrota na Copa do Mundo de 1998 que Doriva não era mais convocado para a Seleção e apesar de atuar por clubes candidatos a títulos nos últimos anos o jogador não conquistava um campeonato há seis anos. Porém, em 2004 o jogador voltou a levantar uma taça. Pelo Middlesbrough ele conquistou a Taça da Liga Inglesa.

O jogador ainda defendeu as cores do clube de Middlesbrough por mais dois anos. Na temporada de 2006/07 o jogador ainda atuou por dois meses pelo Blackpool, também de Inglaterra.

De volta ao Brasil[editar | editar código-fonte]

Após a curta passagem pelo Blackpool, Doriva decidiu voltar ao Brasil. Aceitou a proposta do América (SP) e disputou o Campeonato Paulista. O desempenho do clube não foi muito bom, terminando na 17ª posição, sendo rebaixado.

O seu contrato com o clube terminou e o jogador ficou quatro meses sem jogar. Nesse período ele treinou o sozinho em São José do Rio Preto para manter a forma e aproveitou para participar num curso da Associação Brasileira de Treinadores de Futebol, já perspectivando um cargo de treinador.

Após esse período ele recebeu uma proposta do Mirassol para um contrato de produtividade e atuará na Copa Federação Paulista e no Campeonato Paulista.

Depois de acertar o contrato com o Mirassol, Doriva revelou que pretende encerrar a carreira de jogador no fim de 2007. Segundo ele, seu sonho seria encerrar no São Paulo, porém não depende apenas dele.[1]

O fim inesperado[editar | editar código-fonte]

Em 2008, durante os exames médicos do Mirassol, os médicos detectaram uma arritmia cardíaca no jogador. Doriva, que estava escalado para a estreia do Mirassol no Paulistão, foi afastado pelos médicos. O jogador foi mais tarde observado por um especialista que confirmou o problema como sendo no tônus do coração. Por já ter histórico na família com o mesmo problema (seu avô e seu pai faleceram de problemas cardíacos), Doriva decidiu encerrar sua brilhante carreira aos 35 anos.

Como técnico[editar | editar código-fonte]

Seu primeiro trabalho como treinador aconteceu no Ituano, na disputa do Campeonato Paulista de 2014. Com uma campanha surpreendente, o técnico conseguiu fechar o time de até então desconhecidos e eliminar o Corinthians na primeira fase, classificando-se ao lado do Botafogo de Ribeirão Preto, vítima nas quartas de finais, após empate sem gols e vitória nos pênaltis. Nas semifinais quem sofreu foi o Palmeiras, derrotado por 1 a 0, no Pacaembu, e na final o Santos, que foi derrotado nos pênaltis após ser derrotado por 1 a 0 na primeira partida e vencer a segunda pelo mesmo placar. Com o título, o técnico despertou o interesse de grandes clubes do país.

Título[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

São Paulo
XV de Piracicaba
Atlético Mineiro
Porto
Middlesbrough

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Ituano

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]