Dot the i

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Dot the i (Jogo de Sedução) é um filme dirigido por Matthew Parkhill, lançado em 2003. No seu elenco se encontra dentre eles Gael García Bernal e Natalia Verbeke. A direção de fotografia é de Affonso Beato. A trilha sonora é de Javier Navarrete.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Carmen (Natalia Verbeke) é uma mulher espanhola agitada e sem paciência, que está prestes a se casar com Barnaby (James D'Arcy), um inglês calmo e educado. Pouco antes do casamento Carmen conhece, em uma noite entre amigos, um homem misterioso de nome Kit (Gael García Bernal), que acende uma paixão que não existia em sua vida. Sem conseguir se esquecer de Kit, Carmen precisa lidar com a paixão reprimida à medida que a data do seu casamento se aproxima.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

  1. Doris Day - Perhaps, Perhaps, Perhaps
  2. Pink Martini - Sympathique
  3. Space Raiders - Beautiful crazy
  4. Ozomatli - Super Bowl Sundae
  5. Doves - There Goes The Fear
  6. Bentley Rhythm Ace - T-Spot
  7. Carlos Lean - Mira Pa'Dentro
  8. Idlewild - Out Of Routine
  9. David Danvers - Cross The T
  10. Rachid Taha - Barra Barra
  11. Lotte - Empty
  12. Tito Herida and Olayo Guiminez - Dot the i Flamenco Song
  13. Omar Faruk Tekbilek - Red Skies
  14. Aqualung - Just for a moment
  15. Christian Basso - The Movement
  16. iota - Gears
  17. D.J.Shadow - Blood on the motorway
  18. Fun lovin' criminals - The Fun lovin' criminals

Ficha Técnica[editar | editar código-fonte]

Título Original: Dot the I Gênero: Drama Tempo de Duração: 92 minutos Ano de Lançamento (Espanha / Inglaterra): 2003 Estúdio: Alquimia Cinema S.A. / Arcane Pictures / Summit Entertainment Distribuição: Artisan Entertainment / Imovision Direção: Matthew Parkhill Roteiro: Matthew Parkhill Produção: George Duffield e Meg Thomson Música: Javier Navarrete Fotografia: Affonso Beato Desenho de Produção: Tom Burton Direção de Arte: Fleur Whitlock Figurino: Louise Stjernsward Edição: Jon Harris