Douglas DC-6

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Um Douglas DC-6 da British Eagle.

O Douglas DC-6 foi um avião de motor a pistões construído pela Douglas Aircraft Company de 1946 a 1959.

Pretendido originalmente como um avião militar perto do fim da Segunda Guerra Mundial, foi modificado após a Guerra para competir com o Lockheed Super Constelation no mercado de transporte de longo alcance. Mais de 700 foram construídos, e muitos voam ainda hoje como cargueiros, nas Forças Armadas, no controle do de incêndios a florestas.

O DC-6 foi feito como o C-118 Liftmaster no serviço da Força Aérea dos Estados Unidos da América, e como o R6D no serviço da Marinha dos Estados Unidos América.

Projeto e desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O projeto DC-6 nasceu em 1944 como o XC-112 para as Forças Aéreas do Exército dos Estados Unidos. As Forças Aéreas pretendiam uma versão aumentada e pressurizada do C-54, com motores aperfeiçoados. Contudo, na altura em que o XC-112 voou pela primeira vez a Segunda Guerra Mundial já tinha acabado e a Força Aérea deixou cair o seu pedido.

A Douglas converteu então, o seu protótipo num transporte civil (redesignado YC-112A, qual tinha diferenças significativas em relação aos subsequentes DC-6 de produção) e entregou o primeiro DC-6 de produção em Março de 1947. Contudo, uma série de misteriosos incêndios durante o voô (incluindo uma queda de uma aeronave da United Airlines) colocaram em terra toda a frota de DC-6. Depois de descoberta a causa, todos os DC-6 foram modificados de modo a corrigir-se o problema, voltando a frota a voar ao fim de quatro meses no solo.

A Pan Am usou aeonaves DC-6 na inauguração dos seus voos transatlânticos em classe turística, iniciados em 1952.

Em 1 de Novembro de 1955 uma bomba explodiu a bordo de um DC-6 matando 44 pessoas sobre Longmont nos Estados Unidos

A United States Air Force passou a utilizar um versão do DC-6, denominada C-118 Liftmaster entre 1957 e 1975

Utilização no Brasil[editar | editar código-fonte]

O Douglas Dc-6 foi utilizado pela Panair do Brasil nas décadas de 50 e, começo, da década de 60, em seus vôos internacionais, até a chegada definitiva dos novos aviões a jato Douglas DC-8

Versões[editar | editar código-fonte]

  • DC-6: versão básica inicial;
  • DC-6A: versão com maior capacidade, com maior autonomia e com uma porta de grandes dimensões, projectada para o transporte de carga;
  • DC-6B: versão com as características do DC-6A mas projetada para o transporte de passageiros;
  • DC-6C: versão convertível, semelhante às verssões A e B, mas com capacidade tanto para carga como para passageiros;
  • C-118: versão militar do DC-6A para a United States Air Force;
  • VC-118: versão de transporte presidencial do C-118;
  • R6D: versão militar para a United States Navy

Uma versão aperfeiçoada do DC-6B deu origem ao Douglas DC-7.

Operadores[editar | editar código-fonte]

Operadores actuais[editar | editar código-fonte]

Passengeiros desembarcando de um DC-6 da SAS.
Douglas DC-6 3 view.svg

Além destes, ainda existem alguns DC-6 ao serviço de pequenas transportadoras aéreas na América do Sul.

Operadores históricos civis[editar | editar código-fonte]

Operadores históricos militares[editar | editar código-fonte]

O The Independence, Avião presidencial de Harry Truman.


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons
Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.