Dragon Quest: Dai no Daibōken

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dragon Quest: Dai no Daibōken
ドラゴンクエスト -ダイの大冒険-
(Doragon Kuesto: Dai no Daibōken)
Mangá
Autor Riku Sanjo
Editora(s) Japão Shueisha
Revista Weekly Shōnen Jump
Data de publicação 1989 – 1996
Volumes 37
Anime
Direção Nobutaka Nishizawa
Estúdio Toei Animation
Exibição original 17 de outubro de 1991 – 24 de setembro de 1992
Emissoras de TV Japão TBS
Emissoras lusófonas Brasil SBT
Nº de episódios 46
OVA
Direção Nobutaka Nishizawa
Estúdio Toei Animation, Nippon Animation
Nº de episódios 3
Duração 35 min.
Projeto Animangá  · Portal Animangá

Dragon Quest Dai no Daiboken (ドラゴンクエスト - ダイの大冒険 -, Doragon Kuesuto - Dai no Daibōken -?, lit. "Dragon Quest - A Grande Aventura de Dai"), conhecido no Brasil como Fly, o Pequeno Guerreiro, é uma série em mangá lançada em 1990 para a Shonen Jump, que depois foi transformada em anime pela Toei Animation em 1991.[1] O mangá tem ao todo 37 edições, mas o anime, devido à desentendimentos entre a Square-Enix e à Toei Animation, não passou dos 46 episódios. Foi exibido no Brasil pelo SBT. Ele foi inspirado no jogo de RPG Dragon Quest/Dragon Warrior da Enix. Ele também teve jogos de tabuleiros.

Mangá[editar | editar código-fonte]

Antes de existir o mangá, Dragon Quest era um jogo de vídeo. Em 1989, Riku Sanjo e Koji Inada usaram parte do enredo do jogo, a fim de criar o mangá.

De autoria de Riku Sanjo (história) e Koji Inada (desenhos), o mangá é composto por 350 capítulos, divididos em 37 volumes. Foi publicado pela Shueisha na revista Weekly Shonen Jump entre 1989 e 1996. Posteriormente, o estúdio Toei Animation adaptou o mangá para a televisão em um anime de 46 episódios que não conseguiram contar toda a história e foram transmitidos entre 17 de outubro 1991 à 24 de setembro 1992. Também foram produzidos três OVAs sobre a série.

Anime[editar | editar código-fonte]

O animé é muito curto e não pôde concluir a história do mangá, por razões orçamentais. A história apresentada é dividida em cinco sagas: 1ª Saga de Hadler (Episódios 1-9), 2ª Saga de Crocodinne (Episódios 10-18), 3ª Saga de Jenki (Episódios 19-26), 4ª Saga de Freezard (Episódios 27-39) e 5ª Saga de Baran (Episódios 40-46).

Na primeira saga, a história começa quando o reino de terror do Grande Rei Demônio Hadler acabou e a paz reinou em todo o mundo. O grande herói espadachim conhecido como Avan, acompanhado por seus amigos Loca (um outro poderoso guerreiro), Leyra (uma clériga especializada em magias de cura) e Matoriv (um mago cuja especialidade eram magias de fogo) derrotaram Hadler em uma grande batalha conhecida como "A Batalha dos Reis". Após a derrota do Rei Demônio, todos os monstros ficaram livres das forças do Mal, que era responsável por tornar boas criaturas em máquinas assassinas. Isto não fez com que a apreensão das pessoas ficasse menor diante daquelas criaturas que um dia foram ameaças mortais. Então, o grande herói Avan reuniu todos os monstros bondosos e os levou a uma ilha que foi batizada de Ilha Dermilin.

É apresentado o menino Fly, que vive com seu avô adotivo Blass nessa ilha. Blass tenta ensinar magia para Fly, que a princípio não tem muito sucesso. Fly sonha em ser um heroi e assim, tem sua primeira missão quando seu amigo Gome (um monstrinho em forma de gota dourada com asas) é sequestrado por falsos heróis. Mais tarde na ilha, ele recebe a visita da princesa do Reino de Papunika, Leona. Porém, alguns súditos traidores queriam matar Leona e possuir o trono de seu pai, utilizando-se da máquina assassina do Rei Demônio. Fly tenta enfrentá-los e neste momento, descobre-se uma marca em sua testa, que aparece quando ele fica nervoso, liberando um misterioso poder, a famosa Marca do Dragão.

Algum tempo depois, os monstros da ilha começam a ficar estranhos, pois o mal desperta novamente e após quinze anos, o mundo se depara com a ameaça de Hadler. O Lorde Demônio conhecido como Vearn usou seus poderes místicos e ressuscitou o Rei Demônio. Nesse momento, chega à Ilha Dermilin o lendário herói Avan, que protege os monstros com a barreira mágica e a pedido da Princesa Leona, se torna o mestre de Fly começando um duro treinamento. Junto de Avan, está seu auxiliar Pop, um sujeito tremendamente preguiçoso, covarde e egoísta. No entanto, antes de Fly completar seu treinamento, Hadler invade a Ilha Dermilin e começa a enfrentar Avan em uma nova batalha. Porém, desta vez, o corpo de Hadler está muito mais poderoso do que antes, além de poder ser revivido indefinidamente por Vearn, graças à sua magia demoníaca. Avan morre na batalha tentando proteger Fly e Pop utilizando-se de um golpe de auto-sacrifício, no entanto, Hadler sobrevive. Quando tudo parece perdido, Fly se enfurece e usando novamente o poder do Dragão derrota Hadler, que foge surpreendido com o pequeno guerreiro. Junto com Pop, Fly deixa a ilha para combater o mal e vingar a morte de seu mestre Avan.

A segunda saga começa quando, Hadler manda Crocodinne, o Rei das Feras (e primeiro chefe da divisão do Exército do Mal), eliminar Fly. Pop conhece Maam, uma guerreira poderosa que também foi discípula de Avan. Crocodinne invade o reino de Lomos com o seu batalhão das feras e trava um duro combate com Fly, utilizando-se de truques baixos. Com a ajuda do Bispo Zaboera do exército do mal, Crocodinne usa Blass que está dominado pela maldade, para atacar Fly. A vantagem está a favor dos vilões, quando Pop aparece e enfrenta Crocodinne. Então, Fly libera o poder da Marca do Dragão e vence Crocodinne, sendo recompensado pelo Rei de Lomos, junto com seus amigos.

Na terceira saga Fly, Pop e Maam descobrem que a Princesa Leona desapareceu. O Reino de Papunika foi devastado por Jenki, o segundo chefe do Exército do Mal, da Divisão dos Imortais. Jenki foi o primeiro discípulo de Avan, mas o odiava e queria matá-lo, porque acreditava que seu mestre tinha matado seu pai adotivo (um esqueleto vivo chamado Baltos). Fly e Pop caem derrotados por Jenki, que utiliza a armadura assassina, mas são salvos por Crocodine, que reaparece desta vez, do lado do bem. Jenki prende Maam em seu castelo, enquanto Fly e Pop treinam para derrotá-lo. No final, Jenki descobre que foi Hadler quem matou seu pai, mas ainda sim, luta com Fly e acaba sendo derrotado pelo pequeno guerreiro. Aparece então, Freezard, o chefe da divisão das Chamas de Gelo, que faz com que o vulcão que está abaixo do castelo de Jenki, entre em erupção. Jenki desaparece sob o fluxo de lava, mas não antes de salvar Fly, Pop e Maam e se arrepender por ter se juntado às forças do mal.

A quarta e última saga tem a terrível batalha contra Freezard, o chefe da divisão das Chamas de Gelo, que prende a princesa Leona em um bloco de gelo. Fly, Pop e Maam começam a treinar com Matoriv, o mago que ajudou Avan na batalha contra Hadler. Fly parte para salvar Leona, mas antes disso, enfrenta um ataque conjunto do Exército do Mal com Zaboera e Mitzburn envolvidos, os chefes das divisões dos Bruxos e Fantasmas, respectivamente. Enquanto isso, Pop e Maam travam uma difícil batalha contra Hadler. Jenki e Crocodinne reaparecem para ajudar Fly e seus amigos. Juntos, eles tentam eliminar Freezard, mas o vilão é muito poderoso. Após dominar a técnica de seu mestre Avan, Fly consegue enfim derrotar Freezard e salvar a Princesa Leona. O Reino de Papunika começa a se reconstruir. Então, o chefe da divisão dos Super Dragões, Baran, inicia um ataque e revela que Fly é seu filho perdido. Após este primeiro encontro entre eles e justo quando se inicia a quinta saga, a série termina de maneira inesperada com um final totalmente diferente do mangá original.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Dragon Quest Dai no Daiboken. Visitado em 16-11-2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre mangá e anime é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.