Dreamachine

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde novembro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde novembro de 2012).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Nuvola apps important.svg
A tradução deste artigo ou se(c)ção está abaixo da qualidade média aceitável.
É possível que tenha sido feita por um tradutor automático ou por alguém que não conhece bem o português ou a língua original do texto. Caso queira colaborar com a Wikipédia, tente encontrar a página original e melhore este artigo conforme o guia de tradução.
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
dreamachine

Dreamachine ou dream machine, que poderia ser traduzido como máquina dos sonhos, é um dispositivo de luz estroboscópico que produz um estímulo visual. Foi criado pelo artista Brion Gysin e o cientista Ian Sommerville depois de ler o livro de William Grey Walter intitulado O cérebro vivente.[1] [2]

História[editar | editar código-fonte]

Uma máquina de sonhos consiste em um cilindro com aberturas cortadas em paralelo. O cilindro é colocado em uma plataforma que gira a 78 ou 45 voltas por minuto. Coloca-se uma lâmpada no centro do cilindro e a velocidade de giro permite que a luz saia através das aberturas com uma frequência constante entre 8 e 13 pulsos por segundo. Esta faixa de frequência corresponde a ondas alfa, que são oscilações eléctricas que normalmente estão presentes no cérebro humano quando se está relaxado.[2]

A máquina de sonhos de Brion Gynsin é o tema principal do documentario

  • FlicKer de Nik Sheedan[1].

Utilização[editar | editar código-fonte]

A máquina de sonhos deve ser “vista” com olhos fechados, já que la luz pulsante estimula o nervo óptico e altera las oscilações eléctricas do cérebro. O “espectador" experimenta visões de padrões de cor cujo brilho é incrementado pelas pálpebras fechadas. Os padrões se convertem em formas e símbolos que giram até que o espectador sinta-se rodeado de cores. Dizem que ver uma máquina de sonhos permite entrar em uma alucinação hipnagógica.[3] Algumas vezes esta experiencia pode ser muito intensa, porem para sair basta abrir os olhos.[1]

Uma máquina de sonhos pode ser perigosa para pessoas com epilepsia fotosensivel ou outros distúrbios nervosos. Estima-se que uma em cada 10.000 pessoas experimentam um ataque ao experimentar o dispositivo, e em crianças se apresenta o dobro de casos. O uso de uma máquina de sonhos pode ser viciante e recomenda-se utilizar o dispositivo com moderação.[4]

Referências

  1. a b Everything is Permuted. Flickers of the Dreamachine.
  2. a b Century, Dan. Brion Gysin and his Wonderful Dreamachine. Legends Magazine.
  3. Predefinição:Cita livro
  4. «Décor by Timothy Leary», The New York Times, 20-01-2005.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]