Dropbox

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde julho de 2012)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Ambox important.svg
Este artigo ou seção parece estar escrito em formato publicitário.
Por favor ajude a reescrever este artigo para que possa atingir um ponto de vista neutro, evitando assim conflitos de interesse.
Para casos explícitos de propaganda, em que o título ou todo o conteúdo do artigo seja considerado como um anúncio, considere usar {{spam}}, regra n° 6 da eliminação rápida.
Dropbox
Dropbox Inc.
Indústria Internet e Serviços de hospedagem de arquivos
Fundação 2007
Fundador(es) Drew Houston
Arash Ferdowsi
Sede San Francisco, Califórnia,
 Estados Unidos
Áreas servidas Mundo
Empregados 572 (Fevereiro de 2014)[1]
Página oficial dropbox.com

Dropbox é um serviço para armazenamento e partilha de arquivos. É baseado no conceito de "computação em nuvem" ("cloud computing"). Ele pertence à Dropbox Inc., sediada em San Francisco, Califórnia, EUA.

A empresa desenvolvedora do programa disponibiliza centrais de computadores que armazenam os arquivos de seus clientes. Uma vez que os arquivos sejam devidamente copiados para os servidores da empresa, passarão a ficar acessíveis a partir de qualquer lugar que tenha acesso à Internet. O princípio é o de manter arquivos sincronizados entre dois ou mais computadores que tenham o aplicativo do Dropbox instalado.

O Dropbox é utilizado por mais de 25 milhões de pessoas no mundo. O Dropbox oferece 2 GB de espaço gratuito na rede para sincronizar e compartilhar arquivos com outros usuários.[2] Em 2014, a Dropbox Inc foi avaliada em US$ 20 bilhões.[3]

História[editar | editar código-fonte]

A ideia do Dropbox surgiu quando por acaso um dos seus futuros criadores (Drew Houston) esqueceu seu pendrive quando viajava em um ônibus e precisava dele para uma consultoria que daria em uma empresa. Frustrado com a perda, Drew começou a escrever um código sem nenhuma pretensão, e que futuramente viria se chamar Dropbox. Drew também cita em entrevistas que já estava saturado de ter que ficar abrindo seu e-mail a todo instante para anexar arquivos e poder acessá-los remotamente mais tarde. Seu trabalho inicial era apenas para resolver seu problema pessoal, só depois, Houston viu que sua ideia tinha um bom potencial de mercado. Formado no MIT em ciência da computação, Drew deu inicio a seus trabalhos no projeto, e convidou seu colega Arash Ferdowsi a participar do mesmo. Arash na época ainda não tinha se formado no MIT e interrompeu seu curso para ajudar no projeto. Eles conseguiram um contrato com a empresa de aceleração de crescimento Y Combinator em 2007, se mudaram para o Vale do Silício, para sediar a empresa, e colocaram o produto no ar em 2008.

O sucesso foi imediato. A empresa teve um crescimento muito rápido, e em 2011 já tinha contrato firmado com a multinacional japonesa Sony Ericsson, para que seu software fosse pré-instalado em seus dispositivos. Em 2010 o produto foi bloqueado pelo governo Chinês e voltou a ter esses problemas em 2011. Nesse mesmo ano o Dropbox já atingia a marca de mais de 50 milhões de usuários. Mas em 2012 sentiu um impacto da concorrência das gigantes Microsoft, com o SkyDrive, e da Google, com o Google Drive.

O Dropbox já recebeu cerca de US$ 257 milhões em investimentos de empresas de capital de risco. Um dos investidores ilustres da empresa é o vocalista da banda irlandesa U2, Bono Vox. [4]

Funcionalidades[editar | editar código-fonte]

O Dropbox é um serviço freemium (o cliente tem a opção de usá-lo gratuitamente, mas pode pagar para obter algumas funções extras) de armazenamento remoto de 2 GB de arquivos e pode ter até 500 GB se optar por um plano pago. Os arquivos podem ser carregados nos servidores do Dropbox a partir de qualquer dispositivo que possua o seu software e conexão com a internet, a partir daí, esses arquivos podem ser acessados de qualquer dispositivo com internet. Além da sincronização dos arquivos, o Dropbox mantém as versões anteriores, permitindo que o cliente retorne a uma versão mais antiga dos seus dados, isso é muito útil no uso de planilhas.

A empresa acredita no modelo de negócio freemium inclusive como uma estratégia de marketing, em entrevista o CEO da empresa afirmou que o crescimento rápido tem muito a ver com os usuários que não pagam, esses chamam outros que possivelmente virão a pagar no futuro, em pesquisa realizada constatou-se que 96% dos clientes possuem contas gratuitas. A diferença das contas gratuitas para as pagas está apenas no espaço disponível para os dados. A empresa lançou também um modelo de marketing onde quem traz amigos para usar o produto ganha mais espaço para uso.

O problema da privacidade dos arquivos[editar | editar código-fonte]

Esse é um item importante do dropbox, e também do próprio modelo de computação na nuvem, ao qual o produto utiliza. Pois como os usuários estão depositando seus arquivos em servidores remotos, esses arquivos podem ser capturados no momento que está trafegando na rede. E ainda podem ser capturados nos próprios servidores da empresa, inclusive por funcionários mal intencionados.

Para isso a empresa trabalha com todos os seus dados criptografados. O cuidado que a empresa tem com seus dados é tão grande que seus dados têm a mesma dificuldade de ser capturados quanto dados bancários.

Apesar de todo o cuidado com a segurança, em um update de 2011 os engenheiros da empresa fizeram uma mudança onde, por um momento, não foi necessário senha para acessar as contas, mas o problema foi resolvido de imediato, e apenas cerca de 1% das contas foram afetadas. A empresa logo depois do ocorrido pediu desculpas oficiais aos clientes.

O ambiente de trabalho[editar | editar código-fonte]

Em entrevista em São Francisco Drew Houston afirmou que a empresa só é viável devido a política adotada pela administração, de tornar um ambiente de trabalho saudável para todos os funcionários trabalharem felizes, ele pontuou que cerca de 50% dos colaboradores são engenheiros, devido a grande base tecnológica do produto, e que a empresa não cobra um horário fixo de seus colaboradores. Segundo Houston outro fator importante no gerenciamento do Dropbox é que eles fazem definições e redefinições dos projetos a cada três meses, a fim de evitar desperdício de tempo, e sobrecarga de trabalho.

A segurança[editar | editar código-fonte]

Em 31 de julho de 2012, o blog do Joker, o palhaço, divulgou um comunicado sobre atualizações de segurança após recebimento de queixas de usuários que receberam spam em endereços de e-mail usados somente no cadastro do Dropbox. Senhas roubadas de outros websites incluíam uma senha de uma conta de um empregado do Dropbox, o que provavelmente permitiu a obtenção dos endereços de e-mail dos usuários que receberam spam.[5]

Arquivos com direitos autorais[editar | editar código-fonte]

Um ponto muito importante no compartilhamento de arquivos na nuvem é o caso de arquivos com direitos autorais. Como os clientes têm liberdade para compartilhar qualquer arquivo, fica difícil para empresa fiscalizar se esses clientes não estão compartilhando dados protegidos por direitos autorais. E esse assunto está muito em evidência depois do fechamento do site Megaupload, pelo ministério público americano, acusado de infringir a lei dos direitos autorais [6] .

Demografia dos usuários[editar | editar código-fonte]

A grande maioria dos usuários são dos Estados Unidos, com a porção de 32,7% das contas, seguidos do Reino Unido com 6,7%, depois vem a Alemanha com 6,5%.

Plataformas mais utilizadas para executar o Dropbox[editar | editar código-fonte]

66,1% dos usuários rodam seu Dropbox sobre o Windows, 20,9% usam ele sobre o Mac OS, 2,0% usam o sistema operacional Linux, e o restante dos usuários usa em mais de um sistema operacional.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]