Duarte de Meneses, Conde de Viana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Brasão de Duarte de Meneses, 3º Conde de Viana (do Alentejo) e 2º Conde de Viana (da Foz do Lima).

Dom Duarte de Meneses (Lisboa, 1414Serra de Benacofu, Marrocos, 1464) foi um militar e nobre português, filho natural de Pedro de Menezes, 1.º Conde de Vila Real.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sendo filho ilegítimo, foi sua meia-irmã, Brites de Meneses, quem herdou do pai a Casa de Vila Real. No entanto, D. Duarte de Meneses, pelo seu valor militar veio a obter do rei diversas honras e títulos, vindo a ser 3.º Conde de Viana (do Alentejo), 2.º Conde de Viana (da Foz do Lima) e primeiro capitão de Alcácer-Ceguer (23 de Outubro de 1458, que capitaneou até sua morte.

Deu a vida para proteger Afonso V na serra de Benacofu, aquando da deslocação do rei ao norte de Marrocos.

Família[editar | editar código-fonte]

Casou duas vezes. A primeira com Isabel de Melo, filha de Martim Afonso de Melo, Senhor de Arega e Barbacena. Deste casamento nasceu uma filha:

  1. Maria de Meneses, que casou com D. João de Castro, 2.º Conde de Monsanto.

Do segundo casamento com Isabel de Castro, filha de D. Fernando de Castro, 1.º Senhor do Paul do Boquilobo, e tia de D. João de Castro, seu genro, teve a seguinte descendência:

  1. Henrique de Meneses, 4.º conde de Viana (do Alentejo), 3.º conde de Viana (da Foz do Lima), 1.º conde de Loulé
  2. Garcia de Meneses, bispo de Évora
  3. Fernando de Meneses, o Narizes, de quem descendem os Marqueses de Valada. Pai do capitão de Tânger D. Duarte de Meneses o d'Évora
  4. João de Meneses, 1.º conde de Tarouca , pai de Duarte de Meneses governador da Índia.
  5. Isabel de Meneses, freira em Aveiro

Isabel de Castro e o cerco de Alcácer-Ceguer[editar | editar código-fonte]

Ficou conhecido o papel de Isabel de Castro num cerco de Alcácer-Ceguer conduzido pelo rei de Fez:

Sendo Capitão de Alcacer, em Africa, D. Duarte de Menezes, mandou vir de Portugal a sua mulher a Senhora D. Isabel de Castro; e chegando ella a tempo em que aquella Praça estava cercada por ElRei de Fez, com duzentos mil homens, tão pouco a intimidou um tal apparato bellico, que sem fazer caso delle, logo que vio a seu marido, lhe deo signal de que era vinda. Veio-a elle buscar com igual animo, e as primeiras palavras que ouvio de sua esposa, forão estas: Folga muito de oir em tão boa occasião para vos ajudar. Apenas disse isto, entrou na Praça, e começou logo a conduzir pedra, cal, agua, &c. E quando havia alguma suspensão de armas, voltava-se a tratar dos feridos, ministrando-lhes os refrescos de que necessitavão. Moveo tanto este exemplo ás mulheres da terra, que determinando-se a imita-lo, forão grande parte com a sua diligencia, para que a Praça se defendesse com todo o vigor, retirando-se.[1]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Nobreza de Portugal e Brasil, Vol. III, Lisboa, Representações Zairol Lda., 1989, pp. 478–480.

Referências

  1. (1842) "Heroínas Portuguesas". O Recreio (jornal das famílias) 8. Imprensa Nacional.

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Pedro de Meneses, 1.º Conde de Vila Real
Governador de Ceuta
14301434
Sucedido por
Pedro de Meneses, 1.º Conde de Vila Real
Precedido por
Pedro de Meneses, 1.º Conde de Vila Real
Governador de Ceuta
14371438
Sucedido por
Fernando de Noronha, 2.º Conde de Vila Real
Precedido por
-
Capitão de Alcácer-Ceguer
14581464
Sucedido por
Henrique de Meneses