Ducado da Borgonha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ducado da Borgonha
Blank.png
 
Blank.png
843 – 1477 Pavillon royal de France.svg

Brasão de Filipe, o Bom (após 1430) de Borgonha

Brasão de Filipe, o Bom (após 1430)

Localização de Borgonha
Territórios da dinastia de Valois-Borgonha durante o governo de Carlos, o Calvo
Continente Europa
Região Borgonha, Flandres, Limburgo, Hainaut, Holanda, Zeeland, Luxemburgo
País França, Países Baixos
Capital Dijon (também Bruges e Ghent)
Língua oficial Latim, línguas de oïl (francês antigo), neerlandês
Religião Catolicismo romano
Governo Monarquia
Duque da Borgonha
 • 1419 - 1467 Filipe, o Bom
 • 1467 - 1477 Carlos, o Calvo
Legislatura Estados Gerais criados durante o governo de Filipe, o Bom
Período histórico Idade Média
 • 843 Tratado de Verdun
 • 1337 - 1453 Guerra dos 100 anos
 • 1430 Ordem do Tosão de Ouro
 • 1474 - 1477 Guerra da Borgonha
 • 1477 Batalha de Nancy

O Ducado da Borgonha foi um dos estados mais importantes da Europa medieval, independente entre 880 e 1482. Não deve ser confundido com o condado da Borgonha, outro território da França. O feudo do duque da Borgonha correspondia aproximadamente à actual Borgonha, uma região da França.

Graças à sua riqueza e território vasto, este ducado foi política e economicamente muito importante. Tecnicamente vassalos do rei de França, os duques da Borgonha souberam conservar a autonomia, manter uma política própria e ser suseranos de diversos condados e senhorios, incluindo o condado da Borgonha (actual Franche-Comté).

História[editar | editar código-fonte]

A dinastia inicial de duques da Borgonha extinguiu-se em 1026, com a morte sem descendentes do herdeiro da casa, o duque Otão-Guilherme. Mas o ducado já tinha sido anexado em 1004 pelo rei Henrique I de França, que se tornou duque em 1016. Em 1032, Henrique I concedeu o ducado ao irmão Roberto, que fundou o ramo capetiano de duques da Borgonha. É desta linha que descende Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal. O último representante desta casa foi Filipe de Rouvres, que morreu de peste em 1361.

O ducado reverteu para a coroa francesa e dois anos mais tarde João II de França concedeu o título ao seu filho mais novo Filipe de Valois. Filipe II casou com Margarida III da Flandres, e através desta união anexou à Borgonha o condado da Flandres, bem como Artois, Nevers e Rethel e os ducados de Brabante e Limburgo.

A última duquesa da Borgonha independente foi Maria de Valois, que casou com Maximiliano I, Imperador do Sacro-Império. No casamento estava estipulado que o segundo filho herdaria os domínios da mãe, mas Maria morreu num acidente de cavalo antes que isso acontecesse. Depois desta tragédia, o Ducado da Borgonha foi incorporado à França, enquanto que os territórios dos Países Baixos passaram para o controle dos Habsburgos.